Câmara de Lagos quer comprar terrenos para ampliar a oferta habitacional

A autarquia lacobrigense aprovou, na última reunião de câmara, a aquisição de dois grandes terrenos com capacidade edificativa para ampliar a resposta pública municipal e fazer face à complexa situação de carência habitacional que se vive no concelho. A proposta final resultante da negociação encetada com o Fundo de Investimento proprietário dos terrenos ascende aos 9,4 milhões de euros.

Trazer à posse do município dois prédios rústicos situados nas Caliças, com uma capacidade global edificativa na ordem dos 80 mil metros quadrados, para aí projetar um grande programa de construção habitacional que permita reequilibrar o mercado imobiliário do concelho e criar uma oferta diversificada, capaz de dar resposta à multiplicidade de perfis e de necessidades habitacionais que estão diagnosticadas, é o que se pretende alcançar com este investimento.

Os planos para estes terrenos passam pelo desenvolvimento de empreendimentos destinados a oferta pública fora do Programa 1.º Direito, mas também pela criação de condições que fomentem a oferta privada acessível por parte do setor privado e cooperativo e a construção de habitações a afetar a casas de função ou a programas destinados aos jovens. Estima-se que a operação de loteamento dos dois terrenos, no seu conjunto, permita construir até 600 fogos, para além de equipamentos e serviços de apoio a essa nova área de expansão da cidade.

Na apresentação do assunto, o presidente da autarquia sublinhou a importância desta decisão, que, no seu entender, “constitui um marco importante na política de solos, fomentando o início de uma nova realidade para toda a problemática da habitação na vertente da oferta e da própria regulação do mercado”.

O processo de aquisição dos imóveis segue, agora, para apreciação e decisão da Assembleia Municipal.

Mais Artigos