Cliente inglês agredido, no domingo à tarde, num estabelecimento de restauração, por trabalhadores, e lançado contra esplanada no centro da cidade de Lagos, por não ter quatro euros para pagar a conta

Vítima, que sofreu cortes nos braços e em várias partes do corpo, vai apresentar queixa na Polícia de Segurança Pública. Presidente da Câmara Municipal de Lagos, Hugo Pereira, e outros populares, ao assistirem ao incidente, chamaram a atenção dos agressores, mas estes, segundo contaram ao ‘Litoralgarve’, ainda se mostraram “arrogantes”.

José Manuel Oliveira

Um cidadão inglês, aparentando entre 50 e 60 anos, foi violentamente agredido na via pública, no domingo, dia 12 de Maio, cerca das 16.00 horas, por trabalhadores de um estabelecimento do sector da restauração, situado no centro da cidade de Lagos, porque, alegadamente, não tinha quatro euros para pagar a conta, após ter bebido uma cerveja. O indivíduo, que acabou por ficar desorientado com as agressões, sofreu ferimentos nos braços e em várias partes do corpo, e prepara-se, agora, para apresentar queixa na Esquadra de Lagos da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Popular, que estava no local, conta ao ‘Litoralgarve’: “Vi o homem a ser agarrado e violentamente agredido por dois funcionários do estabelecimento, que até o atiraram contra uma esplanada, porque não tinha quatro euros para pagar a conta, após ter bebido uma cerveja. Ele estava a chorar, com dores, e tinha cortes nos braços e em várias partes do corpo”

“Vi o homem a ser agarrado e violentamente agredido por dois funcionários do estabelecimento, que até o atiraram contra uma esplanada, porque não tinha quatro euros para pagar a conta, após ter bebido uma cerveja. Ele estava a chorar, com dores, e tinha cortes nos braços e em várias partes do corpo”, descreveu, ao ‘Litoralgarve’, um dos populares, que assistiu ao incidente.

Presidente da Câmara Municipal de Lagos, Hugo Pereira, chamou a atenção dos agressores, sugerindo-lhes que alertassem a PSP, em vez de baterem no cliente, pois uma situação deste tipo “não se resolve assim”

De acordo com informações recolhidas pelo nosso Jornal, também estava no local o presidente da Câmara Municipal de Lagos, Hugo Pereira, como simples cidadão, e que, tal como outras pessoas, se mostrou bastante indignado com o sucedido. Chamou, inclusivamente, a atenção dos cidadãos agressores, oriundos de um país asiático, ao que apurámos, expressando-se com eles em inglês e sugerindo-lhes que alertassem a Polícia de Segurança Pública (PSP), em vez de agredirem o cliente, pois uma situação deste tipo “não se resolve assim”, como referiu na altura. Já a Polícia Municipal de Lagos, ao que terá dito, não está de serviço ao domingo.

“Foram, ainda, arrogantes para com o presidente da Câmara Municipal de Lagos e não quiseram colaborar”

“Eles foram, ainda, arrogantes para com o presidente da Câmara Municipal de Lagos e não quiseram colaborar”, contou, ao nosso Jornal, um popular. Ao que foi possível apurar, também não queriam entregar a guitarra que o cliente inglês tinha no estabelecimento, quando acabou por ser agredido, arrastado para a rua e projetado contra uma esplanada, perante a surpresa de quem estava no local.

O ‘Litoralgarve’ está a tentar obter uma reacção do autarca lacobrigense, Hugo Pereira, sobre este caso insólito, ocorrido no centro da cidade, tendo, nesse sentido, enviado uma mensagem escrita para o seu telemóvel a questioná-lo acerca do assunto. Aguardamos uma resposta.

(Em atualização)

Mais Artigos