Um Retrato Social do Combatente na Guerra Colonial, nova exposição da Casa do Sal

A Casa do Sal, em Castro Marim, vai reabrir ao público já no dia 24 de abril e com a nova exposição “A Guerra Colonial – Um Retrato Social do Combatente”. A inauguração está marcada para as 12h30 e integra o programa das comemorações do 25 de Abril do município de Castro Marim.

A Guerra Colonial surge após a II Guerra Mundial, em que eclodiram movimentos independentistas nos territórios africanos e asiáticos dominados pelas potências europeias. Portugal opunha-se à independência das suas colónias e o conflito, que só viria a ter fim com o 25 de Abril de 1974, ia fragilizando o país.

O quotidiano nacional era marcado pelas notícias dos seus combatentes em África, as visitas à sua terra, os seus feitos na guerra ou o seu falecimento em combate, eram geralmente notícias nos jornais locais e regionais. E Castro Marim não era exceção, sendo esse resgate de memórias e acontecimentos que esta exposição nos vem agora oferecer, entre os momentos bélicos e contextos integradores, em que os combatentes socializavam com as populações locais. Tudo dependia o local onde estivessem colocados e a atividade operacional a que fossem sujeitos. Da exposição fazem também parte algumas peças colecionadas por combatentes do Ultramar, nomeadamente João Caldeira e António Vidal.

A exposição “Guerra Colonial – Um Retrato Social do Combatente” ficará patente até ao dia 11 de junho e pode ser visitada todos os dias, entre as 09h30 e as 13h00 e as 14h30 e as 18h00, e foi organizada pelo Município de Castro Marim e pelo Núcleo de Vila Real de Santo António da Liga dos Combatentes, com apoio da Junta de Freguesia de Castro Marim.