PSP deteve três indivíduos, de 33, 36 e 51 anos, em Portimão e Olhão, por violência doméstica. Dois deles aguardam julgamento em prisão preventiva por ordem judicial

O outro está, para já, “impedido de contacto e aproximação da vítima”, através de “controlo electrónico.” Comunicado do Comando Distrital de Faro da Polícia de Segurança Pública destaca “investigações desenvolvidas nos últimos dias”, as quais permitir travar crimes de violência doméstica.

José Manuel Oliveira 

Dois suspeitos pela prática do crime de violência doméstica já se encontram em prisão preventiva, como medida de coacção, enquanto um outro fica impedido de contacto e aproximação da vítima, até ao julgamento. Foram estes os resultados de investigações levadas a efeito, “nos últimos dias”, por elementos da Polícia de Segurança Pública (PSP), nas cidades de Portimão e Olhão, revelou, em comunicado, na sexta-feira, 13 de Outubro de 2023, o Comando Distrital de Faro desta força de segurança.

“Diligências muito céleres de recolha de prova por parte da Esquadra de Investigação Criminal de Portimão” permitiram ao Ministério Público desta cidade emitir mandados de detenção a dois suspeitos

De acordo com aquela entidade, “dois dos suspeitos foram detidos na cidade de Portimão, na sequência de denúncias de violência doméstica apresentadas na Divisão Policial [local], que perante a sua gravidade e necessidade premente de medidas para salvaguarda da segurança das vítimas, deram lugar ao desenvolvimento de diligências muito céleres de recolha de prova por parte da Esquadra de Investigação Criminal de Portimão. Suportado pelo trabalho desenvolvido, o Ministério Público de Portimão emitiu mandados de detenção com vista a serem aplicadas medidas de coação aos suspeitos”, referiu.

Assim, durante a manhã de quinta-feira, dia 12 de Outubro, “os suspeitos, de 33 e 51 anos de idade, foram localizados, detidos e presentes em Tribunal [daquela cidade do barlavento algarvio]”, tendo sido “aplicada a um deles a medida de prisão preventiva e ao outro a medida de proibição de contacto e aproximação da vítima, suportada por controlo electrónico”, explicou o Comando Distrital de Faro da PSP.

O detido na cidade de Olhão apresenta “um historial de consumo de estupefacientes” e “vinha registando episódios reiterados de ações cada vez mais violentas para com a vítima”

Já o terceiro detido resultou de uma investigação desenvolvida por agentes da Brigada de Investigação Criminal da Esquadra de Olhão. O suspeito, de 36 anos de idade e com “um historial de consumo de estupefacientes, vinha registando episódios reiterados de ações cada vez mais violentas para com a vítima, pelo que, para proteção desta, mostrava-se urgente a aplicação de medidas de coação mais eficazes”, assinalaram as autoridades policiais. Foi, então, que, “com base na matéria probatória já recolhida o Ministério Público decidiu emitir um mandado de detenção visando o suspeito”, que acabou por ser cumprido na passada quarta-feira, 11de Outubro.

Ao ser presente ao Tribunal de Faro, na quinta-feira, dia 12, o detido ficou em prisão de preventiva, enquanto aguarda o julgamento. Não foram adiantados mais pormenores por parte do Comando Distrital de Faro da Polícia de Segurança Pública, neste comunicado.