PSP detém traficante de droga em Lagos e apreende 523 doses de cocaína, 816 de heroína, 27 de haxixe, quatro comprimidos de ‘ecstasy’, duas de canábis e cerca de 4.000 euros

O suspeito já tinha sido condenado por tráfico de estupefacientes.

José Manuel Oliveira

Um homem, de 30 anos de idade, foi detido em Lagos por agentes da Esquadra local da Polícia de Segurança Pública (PSP), devido a indícios da prática de tráfico de droga. Desconhece-se, por enquanto, quais as medidas de coacção a que fica sujeito, enquanto aguarda julgamento, após ser presente a um juiz de instrução criminal, como estava previsto para esta quarta-feira, dia 13 de Dezembro de 2023.

“Foi possível recolher prova de várias transações de droga, por várias zonas da cidade de Lagos, a um elevado número de consumidores de drogas duras”, refere a PSP

Um comunicado do Comando Distrital de Faro da PSP indica que esta detenção surgiu em resultado de diligências policiais, através das quais “foi possível recolher prova de várias transações de droga, por várias zonas da cidade de Lagos, a um elevado número de consumidores de drogas duras.”

Apreendido, também, “diverso material de preparação e acondicionamento, para a venda direta aos consumidores”

“Na sequência da detenção foram realizadas várias buscas, uma domiciliária e quatro não domiciliárias, onde foi apreendido um total de 523 doses de cocaína, 816 doses de heroína, 27 doses de haxixe, 4 comprimidos de ecstasy, 2 doses de canábis e cerca de 4.000 euros”, revela a PSP. E acrescenta que, “além do estupefaciente e dinheiro apreendidos, foi também possível apreender diverso material de preparação e acondicionamento, para a venda direta aos consumidores.” O suspeito já tinha sido condenado por tráfico de estupefacientes, de acordo com a polícia, sem adiantar outros pormenores.

Operação classificada pela PSP como “relevante para devolver o sentimento de segurança aos cidadãos da cidade de Lagos, dado o alarme social provocado pela atividade criminosa do ora detido”

“A PSP considera esta operação relevante para devolver o sentimento de segurança aos cidadãos da cidade de Lagos, dado o alarme social provocado pela atividade criminosa do ora detido”, finaliza o comunicado.

 

 

(Em actualização)