Presidente do Município de VRSA pede mais policiamento nas ruas da cidade

O Presidente do Município de Vila Real de Santo António, Álvaro Araújo, pediu esta quinta-feira, que seja aumentado o policiamento nas ruas da cidade e a visibilidade das forças de segurança, designadamente a PSP, de forma a aprofundar entre os cidadãos o sentimento de segurança e proteção de pessoas e bens.

 

Falando durante a cerimónia que assinalou o 135º aniversário do Comando Distrital de Faro da PSP, que decorreu no Centro Cultural António Aleixo, em Vila Real de Santo António, Álvaro Araújo agradeceu todos os esforços que a PSP tem feito no município para salvaguardar a segurança pública, mas aproveitou a presença, na cerimónia, da secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto, para solicitar o aumento do efetivo policial e sua visibilidade no espaço público.

 

“É fundamental incrementar o policiamento nas ruas, precisamente para pôr em prática as vertentes de prevenção e de educação para a cidadania, através de conselhos e informações úteis que os agentes facultam às pessoas. Trata-se de promover uma atitude inclusiva, que há muito é preconizada pelos agentes que patrulham as ruas”, defendeu o autarca perante uma plateia com centenas de membros da PSP e outras forças de segurança e muitos convidados.

 

Recordando que ainda este ano deverá ser inaugurada a nova esquadra da PSP na cidade, inauguração para a qual convidou, in loco e pessoalmente, a governante Isabel Oneto -, no que classificou como um dia vindouro “de grande festa”, o Presidente do Município vila-realense recordou que a nova estrutura ficará instalada no antigo edifício da Alfandega, “pela importância da sua localização estratégica, pelo facto de a sua dimensão ser adequada e por ser um edifício emblemático e digno de instalar a polícia que zela pela segurança de todos”.

 

Sem esquecer o que ainda está por fazer no capítulo da segurança, Álvaro Araújo enfatizou o que a Polícia de Segurança Pública tem feito pela segurança no concelho, notando que “todas as palavras proferidas serão sempre exíguas e insuficientes para agradecer tudo o que este corpo policial faz por nós, do ponto de vista humano”.

 

No seu discurso, o Presidente do Município relevou “o caráter preventivo, formativo e educativo que também norteia a ação dos agentes da PSP”, sustentando que “o exemplo da cidade é flagrante para percebermos o valor do apoio constante que é dado à população, durante todo o ano, particularmente nos meses de maior afluência turística”.

 

“Aqui as pessoas sentem-se seguras com a presença dos agentes da PSP nas ruas da cidade. É um facto que não podemos negar. É difícil adjetivar a importância que a Polícia de Segurança Pública tem para cada um de nós. Mas é fácil enumerar as áreas funcionais em que este corpo policial se move: atua na prevenção da criminalidade geral e organizada; na prevenção do terrorismo, na segurança de pessoas e bens; na pequena criminalidade”, salientou, acrescentando a propósito que “não é por acaso que Portugal é um dos países mais seguros da Europa e do Mundo!”.

 

No seu discurso, a secretária de Estado Isabel Oneto também deu ênfase ao decréscimo dos números da criminalidade em Portugal: “Não é por acaso que ela [criminalidade] diminui, que continuamos a ser um dos países mais seguros do mundo. Deve-se, no essencial, ao trabalho das forças de segurança, cada vez mais profissionais e atentas aos novos desafios que Portugal, a Europa e o Mundo atravessam”.

 

Em resposta à solicitação do Presidente da Câmara Municipal, anunciou o reforço para breve dos meios ao dispor da estrutura policial no Algarve e no concelho em particular: “Foi graças à programação das infraestruturas e equipamentos das forças de segurança que foi possível programar e executar o investimento que aqui vamos inaugurar em breve [a nova esquadra]”.

Prometeu para muito breve a vinda de novas viaturas descaracterizadas “e outras” para o Algarve e a renovação das esquadras de Olhão e Portimão.

 

Sobre o efetivo humano da PSP, Isabel Oneto defendeu o rejuvenescimento do pessoal do quadro, pois “só assim será possível manter elevados níveis de prontidão e de resposta. Temos em formação mais de 900 agentes, que entrarão ao serviço já em setembro. E ainda no ano de 2022 prevemos a abertura de mais 1000 vagas”.

 

O 135º da unidade da Polícia de Segurança Pública do Comando Distrital de Faro assinala a data de 25 de agosto de 1887 como evocativa da criação do Comando Distrital de Faro. A História destaca a nomeação do 1.º Comissário da Polícia Civil de Faro, José Bernardo dos Santos, como o ato que esteve na origem da criação da Polícia Civil daquela cidade.