Portimão entregou distinções relativas ao 5.º Prémio Municipal do Voluntariado

A Câmara de Portimão assinalou esta terça-feira, 5 de dezembro, o Dia Internacional do Voluntariado com a revelação dos vencedores e entrega das distinções relativas à quinta edição do Prémio Municipal do Voluntariado, sendo este o primeiro momento oficial das comemorações do 99.º aniversário da elevação de Portimão à categoria de cidade, que se comemora a 11 de dezembro.

 

Durante a cerimónia, realizada esta manhã no pequeno auditório do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, foram distinguidos na categoria Coletiva o projeto “Lighthouse Portugal”, da Associação da Comunidade Vale da Benção, enquanto na categoria Individual venceu o projeto “Volunteer Portugal”, desenvolvido por Fernando João da Cruz.

 

O projeto “Lighthouse Portugal” (farol, em português) nasceu do esforço e vontade de professores e educadores que pretendem ajudar a reestabelecer o equilíbrio no acesso ao apoio escolar e a melhorar as condições sócio emocionais da comunidade, tendo como público-alvo os pré-adolescentes e adolescentes de famílias carenciadas ou de baixos recursos.

 

Através de espaços juvenis agradáveis e inclusivos, é objetivo promover o sucesso escolar, combater o abandono escolar e realizar atividades de lazer salutares para um crescimento mais harmonioso. Sempre que possível, serão distribuídas doações, angariadas pelo projeto, às famílias carenciadas que procurarem o “Lighthouse Portugal”.

 

Quanto ao projeto “Volunteer Portugal”, consiste na criação de uma plataforma digital destinada à formação de equipas de voluntariado e ao estabelecimento de pontes entre estas, projetos existentes a nível nacional e entidades parceiras.

 

Desse modo, os jovens poderão conhecer os projetos em vigor na data pretendida, formar as suas próprias equipas (em conjunto com outros jovens com interesses semelhantes registados na plataforma), ter acesso a formação técnica dirigida à concretização do projeto selecionado e partilhar ideias quer com os colegas de trabalho, quer com as entidades parceiras da Volunteer Portugal.

 

Cada vencedor do 5.º Prémio Municipal do Voluntariado recebeu 6.500 euros, tendo sido entregues certificados de participação aos projetos “Oficinas de Pintura Comunidade Criativa” (Santa Casa da Misericórdia de Portimão), “EnviroCare Portimão: Capacitar Portimão através da Ação Ambiental e Educação” (Dots – Connecting Learners for Development) e “Ser Mulher, Ser Vida” (Liliana Dolores).

 

De referir que, em ambas as categorias, não foi atribuído o segundo prémio, em conformidade com o ponto 2 do art. IV do regulamento do Prémio Municipal de Voluntariado, de acordo com a decisão do júri, composto por Teresa Mendes, vereadora da Câmara Municipal de Portimão, por Mariana Santos, enfermeira diretora do CHUA, Joana Bastos, coordenadora da DUAL, Nuno Alves, presidente de direção do Banco Alimentar do Algarve, e pelo professor adjunto Paulo Alves, da Universidade do Algarve.

 

Incentivo à criatividade no apoio a quem mais precisa

 

Por ocasião da entrega dos prémios deste ano, Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão, realçou a importância das boas práticas do voluntariado, afirmando ter “enorme orgulho no nosso movimento associativo e na forma como apoia quem mais precisa, pois enquanto tivermos pessoas em situação de sofrimento e sem ajuda, seremos uma sociedade doente.”

 

Sobre o Prémio Municipal de Voluntariado, a autarca sublinhou que “não se trata de uma competição, mas sim de mais uma forma de incentivarmos a criatividade, através de iniciativas e projetos em prol da maior eficácia no apoio às pessoas, que são as nossas maiores obras.”

 

Segundo Isilda Gomes, “há muito tempo que a autarquia não tem limite monetário no que toca a dotar as instituições que trabalham na área social de capacidade de resposta, através dos contratos-programa, pois elas são a linha avançada no combate às desigualdades. Por isso, e apesar de vivermos tempos muito difíceis, onde a pobreza envergonhada é uma realidade, não existe qualquer razão para haver fome em Portimão.”

 

Vencedores de 2022 já fazem a diferença

Antes da revelação dos premiados nesta quinta edição, foi feito o balanço dos projetos vencedores no ano passado, cujo primeiro prémio na categoria Coletiva coube à Teia d’Impulsos – Associação Cultural, Social e Desportiva, com o projeto “Navegar pela Mente”.

 

Em representação da associação, Inês Reis realçou que o projeto possibilita atualmente a prática semanal de vela a 27 utentes que frequentam o Hospital de Dia de Psiquiatria e Reabilitação do CHUA – Portimão, que deste modo beneficiam de uma atividade desportiva que estimula as suas competências sociais e cognitivas, aumentando a autoestima e promovendo a reintegração e participação ativa na sociedade.

 

Merecedor do 2.º prémio na categoria Coletiva, o projeto “Oficina Social de Bricolage” foi apresentado por Luís Norte, do GRATO – Grupo de Apoio aos Toxicodependentes, tendo sido criada uma oficina de pequenas reparações ao domicílio e ao serviço da população mais vulnerável e carenciada do concelho, no sentido de resolver pequenos problemas do dia-a-dia, como o arranjo de uma torneira ou de uma fechadura, mas que são significativos para o bem-estar de uma família.

 

A verba recebida foi aplicada para equipar uma carrinha com material de manutenção ferramentas e bricolage, funcionando a oficina à primeira e terceira segunda-feira do mês, no horário 10h00/12h30, e que desde janeiro deste ano já prestou apoio a 21 agregados familiares, segundo o responsável do GRATO.

 

Em 2022, também por decisão do júri, uma menção honrosa passou a dividir o valor financeiro do 1.º prémio de 2021 na categoria Coletiva. Tratou-se do projeto “As lavadeiras de Portimão”, pensado pelo MAPS – Movimento para a Problemática da SIDA no sentido de disponibilizar serviços de higienização da roupa.

 

Capaz de fazer frente às necessidades reais do processo de integração das pessoas em situação de sem abrigo e famílias carenciadas em vulnerabilidade social e económica, este inovador projeto funciona de segunda a sexta-feira, mediante marcação prévia, e beneficiou até ao momento 540 utilizadores, revelou Fábio Simão, em representação do MAPS.

 

Voluntariado é prioridade estratégica

 

A cerimónia foi antecedida pela mesa-redonda “Voluntariado – Dar e Receber”, durante a qual intervieram o presidente do Banco Alimentar do Algarve, Nuno Cabrita Alves, Miguel Veiga, técnico da Delegação do Algarve do Instituto Português do Desporto e Juventude, Catarina Santos, voluntária da Refood, e Marta Monteiro, coordenadora de Projeto DYPALL Network – Associação para o Desenvolvimento da Participação Cidadã.

 

O Prémio Municipal do Voluntariado, criado em 2018, distingue projetos nas áreas da solidariedade, saúde, ambiente, economia social, educação e formação que promovam a melhoria da qualidade de vida de crianças, jovens, idosos, cidadãos portadores de deficiência ou outras pessoas em situação vulnerável.

 

Ainda neste âmbito, a autarquia criou a plataforma Voluntariado Portimão (https://www.cm-portimao.pt/voluntariado-portimao), espaço de encontro entre as pessoas interessadas em ser voluntárias, que aí podem oferecer a sua disponibilidade para prestar um conjunto de ações inerentes à condição de cidadania ativa e solidária, divulgando as entidades que desenvolvem projetos em prol do desenvolvimento do município.

Mais Artigos