Performance “O Povo é quem mais ordena” & Apresentação do projeto educativo “Centro Expositivo Sensorial”

No dia 10 de maio, a Fortaleza de Sagres recebe “O Povo é quem mais ordena”, uma performance de Berna Huidobro (teatro circo) e Gabriela Espinosa (performance e danças tradicionais), promovida pelo Teatro Experimental de Lagos.

A performance aborda a memória histórica e especificamente dos 50 anos da Revolução dos Cravos, abrindo a possibilidade de re-olhar o passado, re-situar o presente e re-imaginar o futuro. O projeto performativo situa uma possibilidade entre o pessoal e o social, entre o individual e o coletivo, entre o íntimo e o público, para ser vivida através da ação sensível e política dos corpos dos intérpretes. A partir de memórias registadas junto de jovens será criada uma sonoplastia sob a qual se realizará uma ação performática, constituída por um somatório de ações poéticas que permitam posicionar a memória, os arquivos, os discursos e os símbolos da Revolução.

Quem está a falar? Quem pode falar? Falar sobre o quê? E o que acontece quando falamos?
“O Povo é quem mais ordena” é um convite a provocar a memória-presente-futuro sob a Liberdade, questionando as liberdades que ainda temos de conquistar na atualidade. A performance decorre na instalação “Voz do Mar” e cada sessão terá a duração de cerca de 15 minutos. Estão previstas sessões direcionadas para a comunidade sénior e escolar durante a manhã e duas sessões para o público em geral a ter lugar às 14h e 15h.

A atividade é de entrada gratuita. Para mais informações contacte: 282 620 140 ou fortaleza.sagres@cultalg.gov.pt .

No mesmo dia, terá lugar o lançamento oficial do projeto Centro Expositivo Sensorial. Trata-se de um projeto educativo, de interpretação dos conteúdos do Centro Expositivo da Fortaleza de Sagres e dirigido a um público mais novo e/ou com condições específicas. Esta proposta resultou das aprendizagens na formação em Erasmus + que envolveu duas colaboradoras da equipa da Fortaleza de Sagres, que estiveram em mobilidade no Museu Thyssen Bornemisza, em Madrid. O seu contributo inspirou a criação do projeto que contou ainda com a parceria da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Bispo, com a criação de “sacos táteis” por um grupo de senhoras, utentes da Santa Casa da Misericórdia. Com esta iniciativa o Serviço Educativo e de Mediação Cultural da Fortaleza de Sagres pretende garantir a acessibilidade, a fruição cultural, a diversidade e a inclusão das crianças mais novas ou visitantes com condições específicas e simultaneamente facilitar a interpretação dos conteúdos temáticos do Centro Expositivo da Fortaleza de Sagres através de perceções sensoriais (visuais, táteis, sonoras e olfativas). Para mais informações sobre as atividades educativas da Fortaleza de Sagres, pode ser consultado o flipbook do Programa Fortaleza Educativa, disponível em https://issuu.com/fortaleza_de_sagres/docs/fortaleza_de_sagres_programa_fortaleza_educativa

Mais Artigos