O Algarve e a arquitetura modernista

No passado sábado, 29 de abril, na FNAC Faro, foi evocado o património modernista do Algarve. Na sessão de apresentação do livro Um Niemeyer É Sempre Um Niemeyer de Carlos Oliveira Santos, lembraram-se as obras de arquitetos algarvios como Manuel Gomes da Costa, Vicente de Castro e Manuel Laginha, bem como o projeto de arquitetura de Oscar Niemeyer para a Pena Furada, em Vila do Bispo, de 1965.

Houve intervenções de José Apolinário, presidente da CCDR Algarve, Rute Silva, presidente da Câmara de Vila do Bispo, Luís Matos, presidente do Conselho Diretivo Regional do Algarve da Ordem dos Arquitetos, de Christofe Oliveira, do grupo The Modernists, e de uma senhora brasileira, Norma Martins.

O livro de Carlos Oliveira Santos, editado por altura dos dez anos de morte do grande arquiteto brasileiro, é uma história do único projeto de Niemeyer construído em Portugal, o conjunto do Casino Park Hotel, no Funchal, de 1966, e tem a participação dos arquitetos Álvaro Siza, Santiago Calatrava e Paulo Niemeyer, bisneto de Oscar.

PUBLICIDADE