Nove grupos corais animam noite de Reis na Igreja de São Sebastião, em Lagos, com mais de duzentas pessoas a assistir, ignorando o frio no exterior e ouvindo apelos à paz no mundo

“Haja alegria / E paz também / Muita saúde / Até para o ano que vem”. Esta foi uma das canções mais repetidas, cativando o público, entre a captação de imagens através de telemóveis. E a determinada altura Carlos Saúde, presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos, em jeito de brincadeira, até lembrou a vitória do Sporting Clube de Portugal frente ao Estoril Praia, para a Liga de Futebol, ao assinalar a presença do vereador Pedro Moreira na plateia.

José Manuel Oliveira

O frio que se fez sentir não impediu que mais de duzentas pessoas tivessem saído de casa para assistir ao tradicional espectáculo ‘Cantar de Reis’, na Igreja de São Sebastião, em Lagos, na noite de sexta-feira, 05 de Janeiro de 2024, numa iniciativa organizada pela Junta de Freguesia de São Gonçalo, com o apoio da paróquia local.

Mesmo assim, o templo acabou por não encher por completo, mas o entusiasmo do público, entre muitos aplausos e imagens captadas através de telemóveis, como é habitual, contribuíram para incentivar e abrilhantar a actuação, durante cerca de cinquenta minutos, dos nove grupos participantes no encontro, dois dos quais em conjunto, como sucedeu com o do Clube Artístico Lacobrigense e da Orquestra Ligeira de Lagos, e da Sociedade Filarmónica 1º. de Maio a par do Grupo Coral de Lagos, num palco montado em frente ao altar principal da Nossa Senhora de Fátima.

Numa sessão apresentada pelo presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos, o socialista Carlos Saúde, podiam ver-se, na plateia, de forma discreta, a presidente da Assembleia Municipal de Lagos, Joaquina Matos, as vereadoras do executivo camarário, Sandra Oliveira e Sara Coelho, do mesmo partido, e um dos vereadores da oposição, o social-democrata Pedro Moreira.

“Um Bom Ano em paz. Se fizermos por isso, nós conseguiremos”

Como estava programado, pelas 21.00 horas, coube ao grupo do Centro de Estudos da Universidade Sénior de Lagos, constituído por duas dezenas de elementos, entre eles Luís Bandarra, figura bem conhecida nestas andanças, abrir o espectáculo ‘Cantar de Reis’, com vozes vibrantes a emocionar o público, nomeadamente ao som de tambores, guitarras, violas e ferrinhos. “É Natal, nasceu o Deus Menino!”, ouviu-se, entre vários cânticos.

Numa breve pausa, houve tempo para uma senhora “desejar um Bom Ano em paz” aos presentes. “Se fizermos por isso, nós conseguiremos”, acrescentou, com convicção.Pode ser uma imagem de 8 pessoas, violino, acordeão, flauta e clarinete

“Eu tive um sonho, mudar o mundo, queremos a paz”

Na segunda canção daquele grupo, cantou-se e repetiu-se a determinada altura: “eu tive um sonho, mudar o mundo, queremos a paz.” O público embalou, com alguma emoção à mistura. A terceira e última canção dos membros do Centro de Estudos da Universidade Sénior de Lagos terminou, pelas 21h.20m., e foi “dedicada aos Reis”, como fez questão de frisar a apresentadora de serviço deste grupo de animação. Em seguida, Carlos Saúde, presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos, ofereceu uma caixa com um bolo-rei e uma garrafa de vinho.

O autarca aproveitou, então, para sublinhar que, “numa noite fria e propícia a constipações, é preciso coragem para sair de casa”, a fim de assistir à tradição do cantar dos Reis. Depois, agradeceu a presença das vereadoras da Câmara Municipal de Lagos, Sandra Oliveira e Sara Coelho, e do vereador Pedro Moreira, gracejando, até, que este autarca estaria satisfeito com a vitória por 5-1 da equipa de futebol sénior do Sporting Clube de Portugal frente ao Estoril Praia, em Alvalade, nessa noite, no jogo a contar para a 16ª. jornada da Liga portuguesa.

Uma música dedicada a Zeca Afonso

Posteriormente, subiram ao palco os grupos do Clube Artístico Lacobrigense e da Orquestra Ligeira de Lagos, com um total de mais de duas dezenas de elementos, entre jovens, homens e senhoras, para uma atuação conjunta. Uma das canções, como anunciou a apresentadora de serviço, até foi dedicada a “Zeca Afonso.” Pouco depois das 21h.32m., após as despedidas e as ofertas da Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos, foi a vez de o Grupo de Amigos do Chinicato entrar em cena, com 21 elementos. Ferrinhos, harmónios e um tambor ajudaram a animar o espetáculo, que terminou às 21h.46., após três canções alusivas à quadra natalícia.

Crianças no Rancho Folclórico e Etnográfico de Odiáxere

Seguiu-se a atuação do Grupo Folclórico e Etnográfico de Odiáxere, constituído por cerca de duas dezenas de membros, entre eles um menino e uma menina. As senhoras apresentaram-se com lenços nas cabeças. Pouco depois, um homem, que vestia uma samarra, percorreu a igreja, com um amplo saco branco, para angariar, junto do público, receitas destinadas a “gastos” daquele grupo, como foi anunciado. Mas nem toda a gente aderiu ao peditório. Antes de encerrar a atuação com três canções, uma senhora, apresentadora do Grupo Folclórico e Etnográfico de Odiáxere, convidou o público a estar presente no dia 13 de Janeiro (sábado) na Igreja Paroquial daquela localidade, para assistir ao 11º. Encontro de Cantar das Janeiras e dos Reis.

O espetáculo na Igreja de São Sebastião de Lagos, prosseguiu, pelas 22h.04m., a cargo da dupla formada pela Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º. de Maio e pelo Grupo Coral de Lagos, com um total de mais de vinte elementos. As canções foram ao som de saxofones, tambores e clarinetes. E um homem surgiu com uma coroa na cabeça, simbolizando um dos Reis Magos. Uma das canções serviu para homenagem um elemento daquele grupo, já falecido, como fez questão de salientar uma senhora. Às 22h13m. foi a despedida, entre aplausos do público.Pode ser uma imagem de 4 pessoas, clarinete, violino e flauta

Grupo Popular das Portelas foi a surpresa da noite

Ao contrário do ano passado, a novidade desta noite de Reis, em Lagos, foi a presença, com início pelas 22h.16m., do Grupo Popular das Portelas, povoação situada a poucos quilómetros da cidade. Vinte e dois elementos, na sua maioria jovens, rapazes e raparigas, animaram a festa, com quatro canções e dançando, o que acabou, de alguma forma, por contagiar o público. Pelo meio, surgiu mais um peditório para fazer face a despesas.

“Haja alegria

 E paz também

 Muita saúde

Até para o ano que vem”

Foi este um dos versos mais cantados pelos elementos do Grupo Popular das Portelas e que também mais contribuiu para vibrar a assistência na Igreja de São Sebastião de lagos.

Vereadora da Câmara Municipal de Lagos, Sara Coelho, deixou uma mensagem de esperança, numa altura em que existem “problemas nalguns locais do mundo”, numa alusão às guerras na Ucrânia e na Faixa de Gaza, no Médio Oriente, com milhares de mortos e feridos

Depois desta atuação, o presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo, Carlos Saúde, subiu ao palco com a vereadora Sara Coelho e a presidente da Assembleia Municipal de Lagos, Joaquina Matos, dando-lhes a palavra. A autarca Sara Coelho apelou a valores como “paz, amor e respeito pelo próximo”, deixando uma mensagem de esperança, numa altura em que existem “problemas nalguns locais do mundo”, numa alusão à guerra na Ucrânia e à de entre Israel e o grupo palestiniano Hamas, na Faixa de Gaza, no Médio Oriente, que já provocaram milhares de mortos e feridos, além de reféns. E lembrou “também aqui alguns” problemas, embora diferentes, sem especificar. Houve quem tivesse interpretado, ao nosso Jornal, estas palavras da autarca Sara Coelho, como uma espécie de recado a problemas que Portugal enfrenta, nomeadamente no sector da saúde, com a sobrecarga das urgências dos hospitais nesta altura do ano.

“Um excelente 2024 tem de partir de cada um de nós”

É necessário “atitude de cada um de nós”, apelou aquela vereadora do executivo camarário lacobrigense, deixando, nesse sentido, uma “mensagem, para 2024, de compreensão e compaixão” e um ano “participativo de todos nós.”

Já em relação ao Cantar de Reis, Sara Coelho aproveitou para destacar este tipo de “tradições.” “As nossas raízes estão aqui e a Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos merece”, salientou a autarca, entre aplausos do público e com Carlos Saúde a curvar-se em gesto de agradecimento. “Um excelente 2024 tem de partir de cada um de nós”, acrescentou a vereadora.

Carlos Saúde, presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos, espera que “em breve seja arranjado” o monumento nacional que é a Igreja de São Sebastião, há anos em estado de degradação

Por sua vez, Joaquina Matos, após enaltecer “a tradição dos Reis”, agora “na Igreja de São Sebastião e não na rua”, como antes acontecia, apresentou votos de “paz no mundo, saúde e amor” para o ano que agora se inicia, em nome da Assembleia Municipal de Lagos.” Enquanto isso, Carlos Saúde mostrou a sua convicção de que são para manter “estas nossas tradições”, desejando a todos “Bom Ano”. E em jeito de recado ao estado de degradação do edifício da Igreja de São Sebastião de Lagos, sem pintura há anos no seu exterior, entre muitas outras lacunas, o presidente da Junta de Freguesia concluiu a sua intervenção, dizendo: “espero que em breve seja arranjado” este monumento nacional, onde está colocada, há meses, junto à entrada da porta principal uma caixa a pedir dinheiro para a respectiva reabilitação.

O espectáculo terminou com a atuação do Grupo Entre Amigos, composto por mais de uma dezena de elementos e do qual faz parte a autarca Joaquina Matos. E foi ao som do harmónio e da guitarra que, pelas 22h.52m, se despediram do público, entre palmas e mais fotos captadas através de telemóveis.Pode ser uma imagem de 7 pessoas, clarinete e violino

“Lagos tem de manter estas tradições para dar alegria às pessoas”, apelou, ao ‘Litoralgarve, Conceição Silva, elogiando as atuações do Grupo Popular das Portelas e do Grupo Entre Amigos

Já em declarações ao ‘Litoralgarve’, Conceição Silva, elogiou, em particular, “o Grupo Popular das Portelas” e “este último, o Grupo Entre Amigos, em que atua Joaquina Matos.” “Foi uma noite de Reis bem passada e venho sempre assistir a esta tradição. Antigamente, cantavam os Reis ali no largo”, junto ao local onde situava a sede do Clube de Futebol Esperança de Lagos, ou seja, na Praça Luís de Camões. “Lagos tem de manter estas tradições para dar alegria às pessoas”, apelou a senhora, enquanto se apressava a chegar a casa, numa altura em que começaram a cair alguns chuviscos. Mas tudo não passou de uma ‘gracinha’ momentânea do São Pedro, já que, pouco depois, apenas o frio se fez sentir nesta noite de Reis na cidade de Lagos.

Créditos fotográficos : Freguesia de São Gonçalo de Lagos