No dia 2 de junho vai haver peixinho fresco à venda na Lota de Alvor

No âmbito do Dia Nacional do Pescador, que se assinala a 31 de maio, o Município de Portimão, através do Museu da cidade, irá dedicar a efeméride à comunidade piscatória de Alvor, que constitui um marco na identidade do concelho pelo seu profundo envolvimento com a faina marítima.

Destaque para o dia 2 de junho, com uma recriação de venda de peixe, numa espécie de lota viva, além da tertúlia “Dois dedos de conversa sobre o Mar e a Pesca”, que abordará alguns projetos desenvolvidos no âmbito da preservação e sustentabilidade dos recursos marinhos e piscatórios, entre outros temas de interesse.

A primeira atividade das comemorações realiza-se a partir das 9h30 de 31 de maio, na forma de visitas orientadas de alunos das escolas do concelho aos armazéns de pesca de Alvor, para assistirem ao trabalho realizado em terra.

Após as visitas, os estudantes darão asas à imaginação, pintando um mural alusivo à efeméride, com a participação da Associação de Pescadores Profissionais de Alvor e da Junta de Freguesia de Alvor.

Segue-se no dia 2 de junho o Mercadinho de Peixe na Lota de Alvor, entre as 9h00 e às 14h00, que começará quando a sirene soar para dar início à venda do peixe fresco, capturado pelos pescadores com recurso a aparelho de anzol ou palangre.

Esta transação, feita diretamente entre pescador e consumidor, assegura toda a frescura e qualidade do pescado, num verdadeiro rebuliço típico de uma lota viva.

Ainda no mesmo dia e espaço, poderá ser vista a mostra fotográfica “O aparelho de anzol em Alvor”, que contextualiza alguns processos de trabalho na base da pesca com este sistema, de forma a consciencializar para uma arte de pesca altamente seletiva, sustentável e pouco poluidora, que apanha peixe de grande qualidade ao longo da costa, entre sargos, bicas, besugos, douradas, parguetes, pargos ou safias.

Por fim, realiza-se pelas 15h30 a tertúlia Dois dedos de conversa sobre o Mar e a Pesca”, marcada para o Centro Interpretativo do Salva-Vidas de Alvor.

O encontro contará com a presença de representantes da Docapesca e da Associação dos Pescadores Profissionais de Alvor, para falarem sobre alguns dos projetos desenvolvidos no âmbito da preservação e sustentabilidade dos recursos marinhos e piscatórios, e também acerca do atual panorama de trabalho da pesca artesanal na vila, nomeadamente no que toca à valorização patrimonial do aparelho de anzol ou palangre.

Esta tertúlia será moderada por Carlos Romão Reis, que conta com um percurso profissional ligado à Docapesca, sendo a participação gratuita, embora de inscrição obrigatória, através dos contactos: ana.ramos@cm-portimao.pt ou 282 405 230.

Atividade piscatória essencial para a comunidade local

Instituído em 1997, o Dia Nacional do Pescador representa um marco para a identidade do concelho de Portimão, cuja história está fortemente ligada ao mar, pelo que a efeméride distingue a importância de uma classe profissional desde sempre associada ao território portimonense e que, com sal, sangue, suor e lágrimas, foi essencial para o crescimento e afirmação da comunidade.

As duas atividades integradas nas comemorações locais assinalam igualmente a importância que a atividade piscatória teve, em tempos idos, para a economia local e a resiliência dos poucos que ainda se dedicam a esta atividade marítima.

As comemorações do Dia Nacional do Pescador em Portimão contam com as parcerias da Associação dos Pescadores Profissionais de Alvor, da Junta de Freguesia de Alvor e da própria comunidade piscatória local, tendo o apoio da Docapesca, Portos e Lotas SA.