Município de VRSA apresenta providência cautelarpara repor circulação no cruzamento de Santa Rita

O município de Vila Real de Santo António interpôs uma providência cautelar no Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé, contra a Infraestruturas de Portugal, com vista à reabertura – em condições de segurança – do cruzamento de acesso à localidade de Santa Rita, na Estrada Nacional 125.

A medida surge na sequência da colocação de pinos e blocos de cimento, por parte da concessionária, naquele troço de via, ficando assim alterado o fluxo de trânsito entre as Estradas Municipais 1236 e 1242.

«Efetivamente, sem qualquer informação, aviso ou solicitação de parecer, foram colocados blocos de cimento e pinos, alterando a estrutura do cruzamento, e foi pintado um traço contínuo, de forma a proibir que os condutores virem à esquerda quando circulam na EN125, impedindo o acesso à localidade de Santa Rita (pela EM1236), aos condutores que vêm de Tavira, sendo que os que vêm de Vila Real de Santo António também se encontram impedidos de virar para a localidade da Ribeira da Gafa (EM 1242)», lê-se na providência.

De acordo com o modelo de circulação agora definido pela concessionária, é necessário percorrer mais de 7 km para fazer inversão de marcha (em segurança, nas rotundas mais próximas), pelo que os condutores, ao serem confrontados com a impossibilidade de acesso às vias municipais, estão a optar por fazer interrupções e alterações bruscas de tráfego pondo em perigo os restantes condutores.

Para a autarquia de VRSA, a solução definitiva para a resolução do problema da segurança naquele local passa pela construção urgente de uma rotunda, como aliás está previsto no plano global de requalificação da EN 125, obra que ainda não avançou devido ao facto de a Infraestruturas de Portugal, SA se encontrar em litígio com a subconcessionária da via.

No entanto, e com vista a mitigar os problemas a curto prazo, a Câmara Municipal já apresentou à Infraestruturas de Portugal um conjunto de propostas tais como a colocação de dispositivos redutores de velocidade, a instalação de semáforos ou a alteração da velocidade máxima de circulação no local, ao invés de encerrar a totalidade dos acessos.

De forma a alertar para a perigosidade do local a todos os automobilistas, a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António vai instalar, no local, um outdoor a comunicar a necessidade de reduzir a velocidade naquele trajeto e a apelar à adoção de medidas defensivas até que estejam repostas todas as condições de segurança e seja construída a rotunda.