Município de Lagos aprova voto de pesar em memória de José Veloso

Faleceu, no passado dia 19 de janeiro, José Veloso, figura incontornável da intervenção cívica e política que ficará, para sempre, associada aos movimentos pela emancipação dos povos, pela democracia, o progresso social, a paz e o socialismo. Em sua memória e homenagem, a Câmara Municipal de Lagos aprovou um voto de pesar e cumpriu um minuto de silêncio, expressando à sua família e amigos as mais sentidas condolências.

Natural de Lagos, onde nasceu em 1930, José Veloso formou-se em Arquitetura e à sua terra natal regressou para exercer, em gabinete próprio, esta profissão, no âmbito da qual se viria a destacar. Envolvendo-se ativamente com o Fundo de Fomento da Habitação para ajudar a cumprir uma das maiores conquistas da Revolução de Abril, trabalhou, como coordenador de equipas de projeto do Serviço de Apoio Ambulatório Local (SAAL), em diversos concelhos algarvios. Dedicou a sua atividade profissional quase exclusivamente a projetos de equipamentos públicos, de habitação de promoção municipal e de habitação cooperativa, com obras construídas em concelhos algarvios e alentejanos, tendo recebido menções honrosas do Fundo de Fomento da Habitação em projetos de habitação cooperativa, de que é exemplo a Cooperativa 30 de Junho, no Chinicato (freguesia de São Gonçalo/Lagos), e o título de membro honorário da Ordem dos Arquitetos.

A par da atividade profissional, teve um papel político ativo, antes e depois do 25 de abril, participando, em 1969, no Movimento Democrático Português/Comissão Democrática Eleitoral (MDP/CDE) como candidato da CDE, por Faro, à Assembleia Nacional e, em 1975, como candidato à Assembleia Constituinte, pelo MDP-CDE. Candidato do PCP em diversas eleições para a Assembleia da República, foi membro da Assembleia Municipal de Lagos, nas listas da APU e da CDU, em vários mandatos e vereador na Câmara Municipal de Lagos, eleito pela APU, no mandato de 1983 a 1985, bem como membro da Comissão Organizadora da Assembleia Constituinte da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, ANMP. Integrou, igualmente, a Comissão Concelhia de Lagos e foi membro da direção da Organização Regional do Algarve do PCP.

Homem de múltiplos interesses, colaborou regularmente com artigos de opinião na imprensa regional algarvia e editou vários livros, a maior parte dos quais dedicados ao tema do mar, da vela e das embarcações, área a que se dedicou, participando na fundação do Clube de Vela de Lagos, em 1950, do qual foi presidente da Direção e Comodoro em vários mandatos, e de outras estruturas associativas.

Mais Artigos