Mesmo de folga, agente da Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Faro consegue deter homem por tentativa de furto de ciclomotor na via pública, quando até já tinha levado a bateria

Com 28 anos de idade, o suspeito foi constituído arguido e notificado para comparecer no Tribunal de Faro.

José Manuel Oliveira

Um agente da Esquadra de Investigação Criminal de Faro da Polícia de Segurança Pública (PSP), que estava de folga, deteve em flagrante delito, na quinta-feira, dia 18 de Janeiro de 2024, um homem, de 28 anos de idade, por tentativa de furto de um ciclomotor nesta cidade.

Suspeito preparava-se para furtar um ciclomotor na cidade de Faro, quando foi interceptado pelo proprietário, o que provocou uma discussão entre ambos. Polícia viu os dois homens em conflito e tentou resolver o problema, identificando-se como agente da PSP

De acordo com um comunicado do Comando Distrital de Faro da PSP, divulgado na sexta-feira, dia 19/01/2024, “enquanto se deslocava na via pública, um polícia da Esquadra de Investigação Criminal de Faro, que se encontrava de folga, verificou dois homens envolvidos em discussão. Perante este cenário, dirigiu-se aos envolvidos, identificou-se como polícia e procurou dirimir o conflito.”

“Na sequência da sua ação, foi possível perceber que um dos homens se preparava para furtar um ciclomotor estacionado na via pública, momento em que foi intercetado pelo proprietário, o que gerou a altercação entre ambos”, esclareceu a PSP.

Já tinha furtado a bateria do ciclomotor, a qual acabou por ser localizada e apreendida no interior de um veículo

E acrescentou: Também “foi possível perceber que, antes da chegada do proprietário e intervenção policial, já o suspeito havia furtado a bateria do ciclomotor, tendo esta sido localizada e apreendida no interior de uma viatura, estacionada a poucos metros do local.”

Fica em liberdade, com Termo de Identidade e Residência

O autor do furto da bateria e da tentativa de furto do ciclomotor, encontra-se em liberdade, após ter sido constituído arguido e obrigado a prestar Termo de Identidade e Residência, na sequência dos factos descritos pela PSP. Ao mesmo tempo, foi notificado para comparecer no Tribunal de Faro, a fim de ser interrogado sobre o processo. Desconhecem-se, para já, outros pormenores sobre este caso ocorrido em plena via pública na capital algarvia.