Justiça manda em liberdade, com Termo de Identidade e Residência, três estrangeiros detidos pela PSP na baixa da cidade de Faro por venda de haxixe e liamba a turistas

Também estavam em posse de diversos acessórios de preparação e acondicionamento do produto, além de dinheiro que se suspeita ser proveniente desta prática criminal.

José Manuel Oliveira

Três homens, com idades entre 23 e 40 anos, foram detidos, na quarta-feira, dia 24 de Janeiro de 2024, por agentes da Esquadra de Faro da Polícia de Segurança Pública (PSP), em consequência da venda de droga a turistas na baixa desta cidade.

“Tinham como alvo, sobretudo, turistas, que abordavam e questionavam se pretendiam adquirir produto estupefaciente”

“Os três indivíduos, estrangeiros e com idades entre os 23 e 40 anos, foram abordados pelos polícias que, quando efetuavam patrulhamento preventivo na zona da baixa da cidade, recolheram informação que dava nota da atividade ilícita que aqueles levavam a cabo. Foi possível apurar que os três homens tinham como alvo, sobretudo, turistas, que abordavam e questionavam se pretendiam adquirir produto estupefaciente”, informa o Comando Distrital da PSP de Faro, em comunicado divulgado na quinta-feira, 25 de Janeiro de 2024.

“Na sequência da abordagem aos suspeitos – prossegue – foram aprendidas diversas doses de haxixe e liamba embaladas e prontas para venda aos consumidores, dinheiro europeu e extracomunitário que se suspeita provir da prática criminal desenvolvida, bem como diversos acessórios de preparação e acondicionamento do produto.”

Foram presentes ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro

De acordo com a PSP, os três detidos acabaram por ser presentes ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro na tarde de quarta-feira, “tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de Termo de Identidade e Residência.” Não foram revelados mais detalhes.

Recorde-se que, como o ‘Litoralgarve’ tem noticiado, a venda de droga na via pública a turistas tem sido prática corrente em várias zonas do Algarve, nomeadamente Lagos e Carvoeiro, localidade do concelho de Lagoa. Contudo, nalguns casos, o produto não passa, afinal, de “louro prensado” e até “farinha”, como nos têm revelado agentes ligados às autoridades, acabando os traficantes por enganar os compradores de estupefacientes. Estes só se apercebem do sucedido após o pagamento e a recepção do produto pronto para consumo e numa altura em que os vendedores da droga já mudaram de local.