Homem rouba viatura no concelho de Castro Marim, após agredir o condutor, há mais de dois meses, está agora, em prisão preventiva ao ser detido, em Tavira, por militares do Núcleo de Investigação Criminal da GNR

Guardas cumpriram, no dia 08 de Maio, mandato de detenção, na sequência da investigação durante pouco mais de dois meses, desde a ocorrência do ‘carjacking’,a 01 de Março.

José Manuel Oliveira

Já está em prisão preventiva, a aguardar julgamento, por decisão de um juiz de instrução criminal do Tribunal de Faro, no dia 09 de Maio (quinta-feira), o homem, de 37 anos, que roubou uma viatura no concelho de Castro Marim, após ter assaltado e agredido o condutor.

Os crimes ocorreram a 01 de Março deste ano e na passada quarta-feira, dia 08 de Maio, militares do Núcleo de Investigação Criminal da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Tavira, deram cumprimento a um mandato de detenção do indivíduo, em Tavira, por ‘carjacking’.

Roubo com recurso a arma branca (…),no decorrer do qual o condutor foi agredido com violência e os seus bens roubados, bem como o veículo”, segundo a GNR

Em comunicado, emitido durante a tarde de sexta-feira, 10 de Maio, o Comando Territorial de Faro da GNR indica que, na sequência “de um roubo com recurso a arma branca, no dia 1 de Março, no concelho de Castro Marim, no decorrer do qual o condutor foi agredido com violência e os seus bens roubados, bem como o veículo, os militares da Guarda iniciaram uma investigação, a fim de apurar a identidade do suspeito, bem como a recolha de provas no âmbito da investigação.”

“O indivíduo já estava referenciado como suspeito em outros crimes violentos contra as pessoas e contra o património, os quais causaram alarme social nos concelhos de Castro Marim, Tavira, Olhão e Faro”

“No seguimento da ação – explica a GNR – os militares apuraram que o individuo já estava referenciado como suspeito em outros crimes violentos contra as pessoas e contra o património, os quais causaram alarme social nos concelhos de Castro Marim, Tavira, Olhão e Faro”. Nesse âmbito, “foi dado cumprimento ao mandado de detenção e o indivíduo foi presente a primeiro interrogatório judicial, dia 9 de maio, no Juiz de Instrução Criminal de Faro, onde lhe foi decretada a medida de coação de prisão preventiva”, acrescenta o comunicado.

Mais Artigos