Habitação é a prioridade do plano e orçamento da Câmara de Lagos para 2024

A Câmara Municipal de Lagos já aprovou a sua proposta de Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2024 (GOP 2024), tendo remetido para discussão e aprovação da Assembleia Municipal um documento que prevê um montante inicial de receita e despesa de quase 100 milhões de euros, a aplicar prioritariamente nas áreas do abastecimento de água e habitação, mas também nas componentes da proteção do meio ambiente e conservação da natureza, cultura, administração geral e industria e energia.

Com um orçamento de 98 093 700,00€, o município prevê gastar cerca de 52% em despesas correntes e 48% em despesas de capital. De acordo com o Plano Plurianual de Investimentos (PPI), o Abastecimento de Água e a Habitação levam as maiores fatias (com cerca de 7,6 e 6,4 milhões de euros, respetivamente), seguindo-se a Proteção do Meio Ambiente e Conservação da Natureza, a Cultura, a Administração Geral e a Industria e Energia. O somatório do investimento nestas seis grandes áreas representa mais de 32 milhões de euros, ou seja, 72% do PPI para 2024 e 33% da despesa total do município.

Na Habitação o esforço será direcionado para a revisão da Estratégia Local e para a implementação das ações nela previstas, as quais visam aumentar a oferta habitacional e reabilitar as urbanizações municipais existentes, nomeadamente ao nível da sua eficiência energética. O aumento do número de fogos a construir, que passa de 153 para 260, é o ponto de partida dessa revisão. Em 2024 a autarquia irá proceder à entrega do primeiro lote de 47 novos fogos, parte dos quais já concluídos e outros em desenvolvimento. Serão ainda lançadas empreitadas para a concretização de 24 fogos no Chinicato, 21 fogos em Santo Amaro e 104 fogos na CHESGAL.

Já em matéria de Recursos Hídricos, a aposta acontece em várias frentes, com avultados investimentos a terem lugar no diagnóstico permanente do estado das infraestruturas, na conservação e manutenção dos reservatórios, na avaliação e combate à intrusão salina na rede de esgotos, na implementação do projeto de “Implementação de Zonas de Medição e Controlo”, na renovação de redes de água de abastecimento e na adoção de tecnologias de informação ao serviço da eficiência dos sistemas.

Mais Artigos