Eleições para o Parlamento Europeu – ‘Litoralgarve’ apresenta os 21 eurodeputados portugueses de seis partidos e coligações políticas, eleitos até 2029, com treze homens e oito mulheres

No passado domingo, dia 09 de Junho de 2024, nas 3.092 freguesias do país, o Partido Socialista (PS) garantiu a maioria dos votos nas eleições para o Parlamento Europeu, com oito representantes, enquanto a Aliança Democrática (PPD/PSD, CDS-PP, PPM) conseguiu sete. Já o Chega assegurou dois eurodeputados, tal como o partido Iniciativa Liberal, os quais concorreram pela primeira vez a estas eleições. O Bloco de Esquerda viu ser eleito um candidato, o mesmo acontecendo à CDU – Coligação Democrática Unitária, formada pelo Partido Comunista Português e pelo Partido Ecologista ‘Os Verdes’. Recorde-se que a abstenção, embora tendo sido inferior às eleições para o Parlamento Europeu, em 2019, atingiu 62,5 por cento, os votos em branco chegaram a 1,2 por cento e os votos nulos a 0,8 por cento.

PS, Bloco de Esquerda e PCP perderam um deputado cada. Chega e Iniciativa Liberal estreiam-se no Parlamento Europeu e o PAN fica de fora

Na nova legislatura do Parlamento Europeu, de 2019 a 2024, Portugal também contou com 21 deputados – nove do PS, seis do PPD/PSD, dois do Bloco de Esquerda, dois do Partido Comunista Português, um do CDS-PP e um do PAN – Pessoas, Animais, Natureza, partido que, no entanto, deixou de estar representado naquela instituição, em virtude de o seu eleito ter passado a independente no dia 16 de Junho do ano de 2020.

Comparativamente à legislatura que agora termina, nas eleições realizadas a 09 de Junho de 2024, o PS, o Bloco de Esquerda e o PCP perderam um deputado cada. Chega e Iniciativa Liberal estreiam-se no Parlamento Europeu. E quem sai é o PAN. Agora, através da Aliança Democrática, o PPD/PSD mantém seis eurodeputados e o CDS-PP um.

Eleitos 720 deputados de 27 países da União Europeia. Em maioria estão Alemanha, França, Itália e Espanha

Com sede em Estrasburgo, cidade situada na zona leste de França, e locais de trabalho em Bruxelas, capital da Bélgica, e no Luxemburgo, o Parlamento Europeu passa a ter, na nova legislatura, de 2024 a 2029, um total de 720 deputados dos 27 Estados-Membros da União Europeia, distribuídos por diferentes famílias políticas. O Partido Popular Europeu (PPE), com 186 assentos (ganhou, agora, dez mandatos) e a Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D), que fica com 135 representantes (perdeu quatro), estão em maioria.

Alemanha (96), França (81), Itália (76) e Espanha (61) são os países que contam com mais deputados no Parlamento Europeu. Já o Chipre, Luxemburgo e Malta, cada um com seis representantes, reúnem o menor número de assentos.

São estes os 21 eurodeputados portugueses, eleitos para os próximos cinco anos:

José Manuel Oliveira

PS – PARTIDO SOCIALISTA   (oito eurodeputados)         

1º- . ) – Marta Alexandra Fartura Braga Temido de Almeida Simões

– Deputada na Assembleia da República, administradora hospitalar e ex-ministra da Saúde

Natural de Coimbra, tem 50 anos de idade. Dia 02 de Março de 1974 é a data do seu nascimento. Foi recentemente eleita deputada na Assembleia da República pelo Círculo Eleitoral de Lisboa. No currículo de Marta Temido, destaca-se o facto de ser Doutorada em Saúde Internacional, pelo Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, detendo um Mestrado em Gestão e Economia da Saúde, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, e Licenciatura em Direito, pela Faculdade de Direito da mesma universidade.

Especializada em Administração Hospitalar pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, como refere a sua biografia, exerceu os cargos de Sub-Diretora do Instituto de Higiene e Medicina Tropical daquela instituição e de Presidente não executiva do Conselho de Administração do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, antes de assumir funções no XXI Governo. Entre 2016 e 2017, foi presidente do Conselho Directivo da Administração Central do Sistema de Saúde. 

Também ocupou cargos de administração e gestão em diversos hospitais do Serviço Nacional de Saúde, assim como em outras entidades do sector, nomeadamente na Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, a cuja direção presidiu entre os anos de 2013 e 2015. 

Tornou-se mais mediática como ministra da Saúde, desde 15 de Outubro de 2018 até 30 de Agosto de 2022, altura em que pediu a demissão, tendo sido substituída por Manuel Pizarro, então eurodeputado. Marta Temido assumiu um papel considerado, por muitos, como preponderante durante o período da pandemia da Covid-19, nos anos de 2020 a 2022. 

2º.) – Francisco José Pereira de Assis Miranda

Professor universitário e deputado na Assembleia da República pelo Círculo Eleitoral do Porto

Nasceu em Amarante no dia 08 de Janeiro de 1965. Tem 59 anos de idade. Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, é professor Convidado da Universidade Lusíada. Desempenhou o cargo de Presidente da Câmara de Amarante, de 1989 a 1995 e, a partir dessa altura, exerceu diversas funções no Partido Socialista. Foi deputado à Assembleia da República (de 1995 a 2002 e de 2009 a 2014), Presidente do Grupo Parlamentar Socialista (de 1997 a 2002 e de 2009 a 2011) e Deputado Europeu (de 2004 a 2009 e de 2014 a 2019). No seu currículo, conta, ainda, com a presidência do Conselho Económico e Social, além de ter voltado a ser eleito deputado, no dia 19 de Março de 2024, na Assembleia da República.

    3º.) –  Ana Catarina Veiga dos Santos Mendonça Mendes

Advogada e política

Com 51 anos de idade, nasceu em Coimbra, no dia 14 de Janeiro de 1973, e é advogada, sendo licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Já desempenhou os cargos de presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista e de 1ª. Vice-Presidente, na Assembleia da República. Foi deputada em oito legislaturas.

Assumiu, também, funções de secretária-geral adjunta do PS, entre 09 de Dezembro de 2015 e 17 de Outubro de 2019, e Ministra-Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, num grupo que contou com António Costa, secretário-geral socialista, como primeiro-ministro.

De 2014 a 2015, foi presidente da Federação Distrital de Setúbal do PS. E de 1993-1997-2013, exerceu funções de deputada na Assembleia Municipal de Almada.

Foi vice-presidente da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, entre 2016 e 2017, e presidente da delegação portuguesa da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, entre 2016 e 2019. Também foi membro da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa – APCE, nas Comissões de Migrações, Refugiados e Deslocados Internos e Comissão dos Assuntos Políticos e Democracia. É presidente do Grupo de Amizade Portugal-China, como consta do seu currículo.

4º.) – Bruno Alexandre Rocha Gonçalves

– Político

Secretário-Geral dos Jovens da Internacional Socialista, nasceu em Braga a 27 de Dezembro de 1977. Tem 26 anos de idade. É deputado na Assembleia Municipal de Braga e integra o Secretariado da Federação do PS nesta cidade.

 5º.) –  André Filipe  Franqueia Rodrigues

 – Deputado do PS pelo Círculo de São Miguel, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores

Nasceu a 12 de Fevereiro de 1977, tem 47 anos e é deputado à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores. Nesta instituição, desempenha o cargo de vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS, além de ser membro do Secretariado Regional do PS/Açores e Secretário Coordenador do PS/São Miguel.

Foi assessor do Presidente do Governo Regional dos Açores, nos dois mandatos de Vasco Cordeiro.
Em termos académicos, é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e frequentou o Mestrado em Ciências Jurídico-Forenses na mesma Faculdade.

6º. ) – Carla Maria Nunes Tavares

 – Presidente da Câmara Municipal da Amadora, com mandato suspenso, devido à sua candidatura a deputada do Parlamento Europeu

Nasceu no dia 15 de Agosto de 1970, tem 53 anos de idade e é licenciada em Gestão pela Universidade Autónoma de Lisboa. A nível profissional, apresenta-se como técnica financeira / contabilidade. Foi membro da Assembleia de Freguesia da Reboleira, de 1993 a 1997; membro da Assembleia Municipal da Amadora, entre 1998 e 2002; e deputada na Assembleia da República, de 1999 a 2002, pelo Círculo Eleitoral de Lisboa, tendo integrado as Comissões Parlamentares de Juventude e Desporto; Paridade, Igualdade de Oportunidades e Família; e Comissão de Inquérito Parlamentar à Gestão da TAP. Desempenhou o cargo de vereadora e Vice-Presidente da Câmara Municipal da Amadora, de 2002 a 2013, com pelouros nas áreas da Educação, Desporto, Juventude, Desenvolvimento Social, Recursos Humanos e Finanças.

Desde o ano de 2013, é presidente da Câmara Municipal da Amadora, com os pelouros de Planeamento Estratégico, Economia e Inovação; Gestão Financeira e Patrimonial ; e Gestão de Projetos co-financiados. Na sequência da sua candidatura a deputada do Parlamento Europeu, Carla Tavares suspendeu as funções de autarca.

7º) –  Isilda Maria Prazeres dos Santos Varges Gomes

Presidente da Câmara Municipal de Portimão (com mandato suspenso, desde que passou a integrar a lista de candidatos a deputados ao Parlamento Europeu) e da Associação Nacional de Autarcas do PS

Isilda Maria Prazeres dos Santos Varges Gomes, nascida na freguesia de Mido, no concelho de Almeida, distrito da Guarda, a 16 de Setembro de 1951 (tem 72 anos de idade), licenciada em Matemática e Ciências da Natureza, já reformada como professora, em Portimão, é uma figura com vasta experiência política no Algarve, onde tem ocupado vários cargos, nomeadamente o de Governadora Civil do Distrito de Faro, entre 01 de Junho de 2007 e 14 de Agosto de 2009.

A 29 de Junho de 2022, foi eleita Presidente da Comissão de Recursos Naturais do Comité das Regiões, na cidade de Bruxelas, capital da Bélgica. Já foi deputada, pelo Círculo Eleitoral de Faro, na Assembleia da República, e após desempenhar o cargo de vereadora, é presidente da Câmara Municipal de Portimão, desde Outubro de 2013, sendo-lhe apontada como uma das suas proezas o facto de ter conseguido estabilizar a delicada situação financeira deste município do barlavento algarvio, que se registava na altura.

Esse trabalho, a imagem entretanto conquistada e a sua experiência internacional no Comité das Regiões, além da influência que mantém no aparelho socialista, no qual continua a integrar o Secretariado Nacional, órgão de Direção do partido, agora sob a liderança de Pedro Nuno Santos, sendo também dirigente da Associação Nacional dos Autarcas do PS, acabaram por contribuir para colocar Isilda Gomes em posição de vantagem para horizontes mais vastos ao nível europeu.

 8º.) – Sérgio Miguel Sousa Gonçalves

– Deputado do Partido Socialista na Assembleia Legislativa da Madeira e antigo presidente do PS nesta região

Madeirense, licenciado em economia pela Universidade Nova de Lisboa e com pós-graduação em ‘Corporate Finance’ e Mestrado em Gestão Internacional pelo ‘ISCTE Business School’, iniciou a carreira profissional na área financeira, na ‘PWC Portugal’, que presta serviços profissionais de auditoria, fiscalidade e assessoria de gestão, orientados por indústria. Passou, depois, pelo sector da energia e pelo Centro Internacional de Negócios da Madeira, enquanto quadro da SAIPEM, do grupo ENI, operadora de refinaria e comercialização de produtos petrolíferos em Itália.
No ano de 2006, passou a integrar a empresa ‘ANA Aeroportos’, como responsável pelo desenvolvimento de novas rotas no departamento de marketing aviação, iniciando, assim, um percurso pelo sector do turismo e transportes, de acordo com os seus dados profissionais.
Já em 2011, tornou-se administrador executivo de diversas empresas do Grupo Sousa, entre as quais a ‘Porto Santo Line’ e os hotéis deste grupo, no Porto Santo, na Região Autónoma da Madeira.
Além da vida empresarial, a experiência de Sérgio Gonçalves no sector do turismo permitiu-lhe desempenhar um papel activo ao nível do associativismo, como vice presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Madeira, Vice-presidente da Associação de Promoção da Madeira e membro dos órgãos sociais da Confederação do Turismo de Portugal, da Associação Nacional de Turismo e do Conselho de Turismo da Confederação Empresarial de Portugal.
Em termos políticos, foi eleito deputado do PS, no ano de 2019, na Assembleia Legislativa da Madeira. E em Fevereiro de 2022, acabou por ser eleito presidente do PS-Madeira, cargo que voltou a entregar Paulo Cafôfo, como indica a sua biografia. Nas recentes eleições regionais de 2024, foi reeleito para a Assembleia Regional da Madeira.

AD – ALIANÇA DEMOCRÁTICA   (PPD/PSD, CDS-PP, PPM) – (sete eurodeputados)

1º. )  – Sebastião Maria Reis Bugalho

– Jornalista e comentador televisivo

Jornalista e comentador televisivo de assuntos políticos e sociais portugueses, nasceu em Lisboa a 15 de Novembro de 1995 e tem 28 anos de idade. Filiado no PSD, é licenciado em Ciência Política e Relações Internacionais pelo Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica, em Lisboa. Em 2019, foi escolhido pela então presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, para integrar, em sexto lugar, a lista deste partido à Assembleia da República, pelo Círculo Eleitoral de Lisboa, não tendo sido eleito. Mais tarde, em Setembro de 2021, teve a oportunidade de substituir a deputada Ana Rita Bessa, mas não aceitou o cargo no parlamento.

2º. )  – Paulo Alexandre Matos Cunha

– Advogado, professor e político

Nasceu em Vila Nova de Famalicão, no dia 22 de Agosto de 1971, tem 52 anos de idade e é, desde 03 de Julho de 2022, vice-presidente da Comissão Política Nacional do PSD, liderada pelo actual primeiro-ministro de Portugal, Luís Montenegro. Desempenha o cargo de presidente da Comissão Política Distrital de Braga do PSD.

Entre 2002 e 2005, foi deputado na Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão. Posteriormente, de 2009 a 2013, exerceu funções de vereador da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, onde acabou por ser eleito presidente do executivo, cargo que ocupou em dois mandatos, até ao ano de 2021.

Licenciou-se em Direito pela Universidade Lusíada, no Porto, em 1994, é Mestre em Ciências Jurídico-Políticas pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e Doutorado em Ciências da Administração na Universidade do Minho. A nível profissional, é advogado e docente na Universidade Lusíada, no Porto, desde 1994 e, a partir de 2021, no Instituto Politécnico do Cávado e Ave, em Barcelos.

3º. ) – Ana Miguel Pedro Soares

– Jurista e assessora do Parlamento Europeu, integrou a lista de candidatos a deputados desta instituição, indicada pelo CDS-PP

Com 35 anos de idade e natural de Oliveira de Azeméis, é licenciada em Direito pela Faculdade do Porto, jurista e vogal da Comissão Política Nacional do CDS-PP. Trabalha no Parlamento Europeu há doze anos, tendo sido assessora do então eurodeputado Nuno Melo. É considerada uma figura que “conhece a casa por dentro”, numa alusão à instituição para a qual foi, agora, eleita, e surgiu nesta lista indicada pelo seu partido, com o objetivo de renovação e aposta na juventude, bem como em dar lugar de destaque a uma mulher para o Parlamento Europeu.  

4º. ) – Hélder António Guerra de Sousa e Silva

– Engenheiro eletrotécnico e presidente da Câmara Municipal de Mafra, com mandato suspenso de 29/04/2024 a 09/06/2024, ao assumir a candidatura a eurodeputado

Natural de Mafra (21 de Julho de 1965), tem 58 anos de idade e é engenheiro electrotécnico, com formação no Instituto Superior Técnico de Lisboa. 

Foi deputado do Grupo Parlamentar do PSD, na Assembleia da República, tendo terminado o seu mandato, em 2013, na sequência da sua eleição, pelos sociais-democratas, como Presidente da Câmara Municipal de Mafra.

De acordo com o seu currículo, foi o responsável pela criação e implementação do Serviço Municipal de Protecção Civil de Mafra, o primeiro Agrupamento de Corpos de Bombeiros a nível nacional, tendo, por outro lado, idealizado e conduzido todo o processo que culminou na atribuição do Galardão de Reserva Mundial de Surf à Ericeira, primeira da Europa e a segunda a nível mundial.

É licenciado e mestre em Engenharia Electrotécnica e de Computadores. E também se licenciou em Ciências Militares, ramo de transmissões, pela Academia Militar, além de possuir o Curso Avançado em Segurança e Defesa pela Universidade Católica Portuguesa.

Foi Director de Serviços no Ministério da Administração Interna, Oficial do Exército, docente universitário e representante em diversas entidades públicas e privadas.

Home | Lídia PEREIRA | MEPs | European Parliament

5º. ) – Ana Lídia Fernandes Oliveira Pereira

Economista e deputada no Parlamento Europeu desde 2019, pelo PSD

Nasceu no dia 26 de Julho de 1991, em Coimbra. Tem 32 anos de idade e é economista. Licenciada em Economia pela Universidade de Coimbra, é Mestre em Estudos Económicos Europeus pelo Colégio da Europa.

A sua biografia destaca o facto de, em 2019, nas eleições para o Parlamento Europeu, ter sido a primeira política a realizar uma campanha neutra em carbono, de forma a chamar à atenção para as mudanças climáticas. Desde que ingressou no Parlamento Europeu, pelo PSD, tem desempenhado as funções de vice-coordenadora do seu grupo parlamentar na Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários e membro da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar. E em 2020, também se juntou ao Subcomité de Assuntos Tributários. Além das atribuições da sua comissão, Ana Lídia Fernandes Oliveira Pereira faz parte do Intergrupo do Parlamento Europeu para os Mares, Rios, Ilhas e Zonas Costeiras. É, também, presidente da Juventude do Partido Popular Europeu.

6º. ) – Sérgio Humberto Pereira da Silva

– Presidente da Câmara Municipal da Trofa, com mandato suspenso até Junho, em virtude da sua candidatura ao Parlamento Europeu

Nasceu no dia 07 de Novembro de 1975, na Trofa. Tem 48 anos de idade. Licenciado em Educação Física, é professor do 3º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário.

Na sua juventude, foi jogador de futebol sénior profissional, tendo atuado na posição de médio defensivo no Trofense (épocas de 1994/1995 – 1995/1996 e 2001/2002), no Tirsense (época de 1997/1998 e 2000/2001) e no Grupo Desportivo do Ribeirão, do concelho de Vila Nova de Famalicão e pertencente à Associação de Futebol de Braga, durante as épocas de 1996/1997 e 1997/1998. Esteve, ainda, ligado a várias associações e clubes a nível local e regional. E desde Novembro de 2022, integra o Conselho Consultivo da Associação de Futebol do Porto.

Exerceu funções como assessor para o Desporto e Juventude na Câmara Municipal da Trofa, de 2005 a 2009. Foi Deputado do PSD, pelo Círculo Eleitoral do Porto, na Assembleia da República. Nas eleições autárquicas realizadas no dia 29 de Setembro de 2013, veio a ser eleito Presidente da Câmara Municipal da Trofa. E a 1 de Outubro de 2017 e a 26 de Setembro de 2021, foi reeleito, com maioria absoluta, para o cargo.

É, desde Novembro de 2021, Vice-Presidente da Direção do Conselho Metropolitano da Área Metropolitana do Porto. No seu currículo, consta, igualmente, a função de Auditor Nacional, tendo efetuado o Curso de Defesa Nacional no Instituto de Defesa Nacional, na edição 2018 / 2019. Já em Setembro de 2022, foi eleito presidente da Comissão Política Distrital do Porto do PSD. Também a nível partidário, desempenhou os cargos de presidente da Concelhia do PSD da Trofa e da Juventude Social Democrata desta localidade.

7º. ) – Paulo Roberto de Medeiros do Nascimento Cabral

Conselheiro para os Assuntos dos Açores e Energia na Representação de Portugal junto da União Europeia

Natural de Ponta Delgada, vive em Bruxelas, capital da Bélgica, onde desempenha o cargo de Conselheiro para os Assuntos dos Açores e Energia na Representação de Portugal junto da União Europeia. Já trabalhou como Chefe de Gabinete do Presidente do Governo da Região Autónoma dos Açores e exerceu funções de assessor e de chefia no Gabinete dos eurodeputados do PSD. Foi deputado na Assembleia da República. Licenciado em psicologia clínica, variante cognitiva, cognitiva comportamental, sistémica, pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, deu formação na Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores, em São Miguel. Também trabalhou como Professor-Formador na Escola de Novas Tecnologias dos Açores e na empresa ‘Norma Açores’ – Sociedade de Estudos e Apoio ao Desenvolvimento Rural, além de ter sido Diretor Técnico na Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada.  

CHEGA   (dois eurodeputados)

1º. ) – António Manuel Moreira Tânger Corrêa

Ex-embaixador de Portugal em vários países

Diplomata e vice-presidente da Direção Nacional do Chega, cargo que exerce desde 20 de Setembro de 2022, é natural de Lisboa e tem 72 anos de idade. Nasceu no dia 24 de Abril de 1952. Adido cultural na embaixada de Portugal no Brasil, segundo dados que constam da enciclopédia livre ‘Wikipédia’, construiu a carreira diplomática ao longo de quatro décadas, tendo sido cônsul-geral de Portugal em Goa (Índia) e no Rio de Janeiro (Brasil), embaixador de Portugal na Bósnia, Sérvia, em Israel, no Egipto, Qatar e na Lituânia. Foi, também, primeiro secretário da embaixada portuguesa em Pequim, na China.

Antes, no ano de 1974, após a revolução do 25 de Abril, António Tânger Corrêa desempenhou funções de secretário-geral da Juventude Centrista (CDS) e, em 1980, foi Adjunto do então Ministro dos Negócios Estrangeiros, Diogo Freitas do Amaral, no governo da Aliança Democrática (AD), liderado por Francisco Sá Carneiro.

No seu currículo, destaca-se, também, o facto de ter representado Portugal nos Jogos Olímpicos de Verão, em 1992, na cidade de Barcelona, em Espanha, como timoneiro num veleiro.

2º.) –  Tiago da Mota Veiga Moreira de Sá

Professor da Universidade Nova de Lisboa e ex-deputado do PSD, na Assembleia da República, tendo aderido, recentemente, ao Chega

Natural de Lisboa, nasceu a 12 de Janeiro de 1971 e tem 53 anos de idade. Licenciado em Ciências da Comunicação, em 1995, na variante de Jornalismo, doutorou-se em História das Relações Internacionais no Instituto Português de Relações Internacionais, em Lisboa. É Professor Associado na Universidade Nova de Lisboa, na qual lecciona várias cadeiras relacionadas com Relações Internacionais, além de ser investigador no Instituto Português de Relações Internacionais. Também colabora com a comunicação social.

A nível político, durante a década de 90 do século XX, filiou-se no PSD, tendo colaborado com o Gabinete de Estudos e com o Instituto Sá Carneiro, além de ter exercido funções de autarca na freguesia de Alvalade / Lisboa. Após a vitória de Rui Rio, nas eleições diretas do PSD, assumiu os cargos de Presidente da Comissão de Relações Internacionais e de Coordenador da Secção de Negócios Estrangeiros do Conselho Estratégico Nacional social-democrata, como consta da sua biografia. Foi deputado do PSD na Assembleia da República, desde 2022 até 25 de Março de 2024, após o que aderiu ao Chega. E em Abril deste ano, foi anunciado como “um grande reforço para a temporada europeia” do partido liderado por André Ventura.

INICIATIVA  LIBERAL   (dois eurodeputados)

1º. ) – João Fernando Cotrim Figueiredo

Deputado e empresário

Gestor e empresário, tem 62 anos de idade (nasceu a 24 de Junho de 1961), estudou na Escola Alemã de Lisboa, tendo seguido a graduação em Economia na universidade inglesa ‘London School of Economics’. De regresso a Lisboa, optou por tirar um MBA em Administração, Negócios e Marketing na Faculdade de Economia da Universidade de Lisboa. Já desempenhou, entre outros, o cargo de Diretor-geral da TVI e de Presidente do Conselho Directivo do Turismo de Portugal. Em Dezembro de 2019, assumiu a liderança do partido Iniciativa Liberal, tendo deixado essas funções no mês de Dezembro de 2023.

Antes, a 06 de Outubro de 2019, foi eleito deputado, pelo Círculo Eleitoral de Lisboa, nas eleições legislativas, tendo-se tornado o primeiro representante do partido Iniciativa Liberal na Assembleia da República. E no ano de 2022, cometeu a proeza de multiplicar o resultado do partido, o que permitiu à Iniciativa Liberal eleger quatro deputados, posicionando-se como a quarta força política em Portugal.

2º. ) – Ana Vasconcelos Martins

Investigadora e Vice-Presidente da Iniciativa Liberal

Tem 39 anos de idade e é investigadora. Nasceu em 1985. Foi indicada pelo partido Iniciativa Liberal, nos Açores. É vice-presidente da Comissão Executiva do partido.

BLOCO DE ESQUERDA   (um eurodeputado)

1º . ) – Catarina Soares Martins

Atriz e ex-coordenadora do Bloco de Esquerda e deputada na Assembleia da República

Tem 50 anos de idade e nasceu no Porto, a 07 de Setembro de 1973. Casada e mãe de duas filhas, apresenta-se como atriz, é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, mestre em Linguísticas e doutorada em Didática das Línguas. Foi deputada pela primeira vez na Assembleia da República, como independente, eleita nas listas do Bloco de Esquerda, tendo estado no cargo desde 15 de Outubro de 2009 a 14 de Setembro de 2023. Já como coordenadora deste partido, Catarina Martins ocupou o lugar entre 2012 e 2023, inicialmente numa liderança conjunta com João Semedo. Em 2015, assinou com o PS, com o PCP e o Partido Ecologista ‘Os Verdes’, o célebre acordo de incidência parlamentar, na Assembleia da República, conhecido por ‘geringonça’, o qual permitiu ao então secretário-geral socialista, António Costa, chegar a primeiro-ministro, tirando o poder à Aliança Democrática, constituída pelo PSD, na altura liderado por Pedro Passos Coelho, e pelo CDS-PP, de Paulo Portas, que pouco antes tinha vencido as eleições legislativas, sem maioria absoluta.

CDU – COLIGAÇÃO DEMOCRÁTICA UNITÁRIA  – (PCP- Partido Comunista Português e PEV – Partido Ecologista ‘Os Verdes’)  – (um eurodeputado)

1º. ) – João Guilherme Ramos Rosa de Oliveira

Ex-deputado da CDU na Assembleia da República, pelo Círculo Eleitoral de Évora, e advogado de profissão

——

Advogado, nasceu no dia 09 de Julho de 1979 em Évora. Tem 44 anos de idade. Foi eleito pela primeira vez membro da Assembleia de Freguesia da Horta das Figueiras, no município de Évora, pela Coligação Democrática Unitária (CDU), indicado pelo Partido Comunista Português. Exerceu funções de deputado da CDU, pelo Círculo Eleitoral de Évora, entre 2007 e 2022, na Assembleia da República, onde liderou o Grupo Parlamentar dos comunistas. Também foi tenor do Grupo Coral do parlamento. É membro da Comissão Política do Comité Central do PCP.