Eleição legislativa de 2024 – Lista de candidatos a deputados do Partido Socialista pelo círculo eleitoral de Faro até poderá ser encabeçada por “alguém de Lisboa com raízes familiares no Algarve

“Qualquer pessoa será bem-vinda. Somos uma família no PS, todos amigos,” garantiu-nos um militante de Lagos, destacando “a união” no partido, após as recentes eleições internas, as quais acabaram por dar a vitória a Pedro Nuno Santos como novo secretário-geral e candidato a primeiro-ministro.

José Manuel Oliveira

Numa altura em que estão a ser formadas listas de candidatos a deputados à Assembleia da República, com vista às eleições legislativas antecipadas a realizar no dia 10 de Março de 2024, um dos cenários apontados no Partido Socialista (PS) para o Círculo Eleitoral de Faro, segundo admitiram ao ‘Litoralgarve’, até poderá passar por “alguém de Lisboa, com raízes familiares no Algarve”, como uma eventual possibilidade para liderar esse processo.

“Qualquer pessoa será bem-vinda. Somos uma família no PS, todos amigos,” observou, ao nosso Jornal, um militante de Lagos, recordando, a propósito, “a união” no partido, após as recentes eleições internas que deram a vitória ao ex-ministro das Infraestruturas e Transportes, Pedro Nuno Santos, como novo secretário-geral e agora candidato a primeiro-ministro de Portugal.

João Soares e Fernando Anastácio entre nomes que circulam nos bastidores

Um nome de que já se falou é o de João Soares, filho do fundador do PS, Mário Soares (já falecido) e que, curiosamente até já encabeçou a lista do partido pelo Círculo Eleitoral de Faro, nas eleições legislativas em 2009, quando José Sócrates foi candidato a primeiro-ministro. João Soares, que foi visto no velório da antiga deputada do PCP Margarida Tengarrinha, no dia 31 de Outubro de 2023, na Igreja do Colégio dos Jesuítas, em Portimão, tem raízes familiares no Algarve, já que, recorde-se, a sua mãe, Maria Barroso, conceituada cidadã, também já falecida, nasceu na localidade da Fuzeta, no concelho de Olhão.

O nome do conhecido advogado de Albufeira Fernando Anastácio, que já desempenhou vários cargos no Algarve e foi eleito deputado pelo círculo eleitoral de Lisboa, também tem circulado nos bastidores socialistas, adiantaram ao ‘Litoralgarve’, como podendo ser uma hipótese para transmitir “um novo fôlego” ao partido nesta região do sul do país.

Jamila Madeira e Isilda Gomes – Parlamento Europeu ou Assembleia da República?

Por outro lado, a ex-secretária de Estado Adjunta e da Saúde, em 2019, com a então ministra Marta Temido, no período da pandemia da Covid-19, Jamila Madeira, apoiante do titular da pasta da Administração Interna, José Luís Carneiro, na recente disputa eleitoral no PS, poderá manter, na quota feminina, um lugar na lista de candidatos à Assembleia da República. Isto, numa altura em que também se fala no cenário de poder voltar a integrar a lista dos socialistas candidata ao Parlamento Europeu, nas eleições que terão no dia 09 de Junho de 2024.

Esse cargo será igualmente desejado por Isilda Gomes, eleita a 29 de Junho de 2022, presidente da Comissão de Recursos Naturais do Comité das Regiões, em Bruxelas. Recorde-se que Isilda Gomes cumpre o seu terceiro mandato consecutivo como presidente da Câmara Municipal de Portimão, não podendo, por isso, recandidatar-se a essas funções nas eleições autárquicas em 2025. Entre os socialistas no Algarve, Isilda Gomes continua com boa imagem, de liderança, após ter desempenhado, ao longo de vários anos, diversos cargos, entre os quais a de Governadora Civil do Distrito de Faro e de deputada na Assembleia da República. Regressou à sua atividade profissional de professora de Matemática, em Portimão, antes de integrar, como vereadora, o executivo camarário local. Foi eleita presidente da Câmara Municipal de Portimão, em Outubro de 2023, sendo-lhe apontada como uma das suas proezas o facto de ter conseguido estabilizar a situação financeira deste município do barlavento algarvio. Esse trabalho, a imagem entretanto conquistada e a sua experiência internacional no Comité das Regiões, em Bruxelas, além da influência que mantém no aparelho socialista, continuando a integrar o Secretariado Nacional, órgão de direção do partido, agora sob a liderança de Pedro Nuno Santos, são fatores que, como nos contaram, até poderiam conduzi-la, de novo, a um lugar de deputada na Assembleia da República.

A hipótese de Paulo Neves ser incluído nesta lista de deputados

Paulo Neves, que integra o Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) – do qual fazem parte o Hospital de Faro, o Hospital do Barlavento, em Portimão, e o agora Hospital Terras do Infante, em Lagos – estará a ser apontado para possível número dois da lista de candidatos algarvios a deputados, numa altura em que se tem falado na possibilidade de ingressar num grupo privado ligado ao sector da saúde.

No PS, haverá receio de José Apolinário correr o risco de perder o lugar de presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, se o líder do PSD, Luís Montenegro, chegar a primeiro-ministro, com a nova Aliança Democrática

De acordo com informações recolhidas pelo nosso Jornal, José Apolinário, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDRA), entidade que gere milhões de euros provenientes de fundos europeus do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), poderá integrar, de novo, a lista de candidatos a deputados. Tal cenário surge num momento em que, no PS, existirá um receio de que José Apolinário possa vir a perder o seu lugar na CCDRA, se o líder do PSD, Luís Montenegro, for o próximo primeiro-ministro de Portugal, no governo da nova Aliança Democrática (AD), com o CDS-PP, o PPM e independentes.

Regresso do antigo deputado Miguel Freitas teria sido equacionado

Curiosamente, o nome do ex-deputado Miguel Freitas, engenheiro agrónomo e professor universitário, que já desempenhou, entre outros, os cargos de vice-presidente da CCDRA e de diretor regional da Agricultura e Pescas, no Algarve, também estaria na calha para voltar à política, de novo como candidato à Assembleia da República. Contudo, fontes contactadas pelo ‘Litoralgarve’, dizem que Miguel Freitas, que também já foi presidente da Federação do PS/Algarve, será uma carta fora do baralho em termos políticos nesta altura.