Dois homens foram detidos por agentes da PSP de Portimão, pela prática de crimes de violência doméstica, violação, coacção sexual e posse de arma proibida, mas só a um o Tribunal decretou prisão preventiva


Quem foi para a cadeia, já tinha antecedentes criminais por violação, coacção sexual e violência doméstica.

José Manuel Oliveira

Dois homens, de 47 e 50 anos de idade, foram detidos em Portimão, por agentes da Esquadra de Investigação Criminal da Divisão Policial desta cidade, devido à prática dos crimes de violência doméstica, violação, coacção sexual e posse de arma proibida, anunciou o Comando Distrital de Faro da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Risco elevado e iminente para a integridade física das vítimas, provocou o desenvolvimento rápido de todas as diligências necessárias por forma a assegurar a sua segurança

“Ambas as detenções ocorreram na sequência de investigações a cargo da Brigada de Investigação Criminal de Violência Doméstica, nas quais se concluiu existir risco elevado e iminente para a integridade física das vítimas, o que motivou o célere desenvolvimento de todas as diligências necessárias, por forma a assegurar a sua segurança”, de acordo com aquela força de segurança. 

Cumprimento de mandado de detenção e buscas, por ordem do Ministério Público de Portimão, permitem às autoridades policiais apanhar os suspeitos e apreender uma arma de fogo de calibre 6.35mm. que serviria para um deles ameaçar a vítima

A primeira detenção ocorreu na passada terça-feira, dia 11 de Junho, em cumprimento de um mandado de detenção emitido pelo Ministério Público de Portimão, “por se terem apurado, na investigação, fortes indícios da prática dos crimes de violência doméstica, violação e coaçãosexual, sendo que o suspeito apresentava antecedentes criminais pelos mesmos crimes.” E na quinta-feira, dia 13 de Junho, “após buscas domiciliárias, foi apreendida uma arma de fogo de calibre 6.35 mm a um segundo homem, suspeitando-se que recorria à referida arma para ameaçar a vítima”, adianta o comunicado policial.

Termo de Identidade e Residência para homem indicado dos crimes de violência doméstica e detenção de arma proibida 

Depois de terem sido presentes em Tribunal, “foi decretada prisão preventiva para o detido indiciado da prática dos crimes de violência doméstica, violação e coação sexual”, enquanto aguarda julgamento, indica a PSP. Já o outro detido, acrescenta, “indiciado dos crimes de violência doméstica e detenção de arma proibida”, fica sujeito a “Termo de identidade e Residência”, estando, assim, em liberdade, até ser, de novo, chamado à justiça.