COMO EVOLUI O NOVO CORONAVÍRUS COVID-19 A NÍVEL NACIONAL E NO ALGARVE – DIA 05 DE JUNHO DE 2020

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde indica que, em Portugal, o novo coronavírus Covid-19 apresenta no dia 05 de Junho de 2020 o seguinte quadro:

– Número total de casos confirmados acumulados – 33.969 (mais 377 do que no dia 04 de Junho de 2020)

– Número total de recuperados – 20.526  (mais 203do que no dia 04 de Junho de 2020)

– Número total de internados – 475  (mais 30 do que no dia 04 de Junho de 2020)

64 em Unidades de Cuidados Intensivos (mais 06 do que no dia 04 de Junho de 2020)

– Número total de casos suspeitos acumulados desde 01/01/2020 – 334.923  (mais 1.817 do que no dia 04 de Junho de 2020). Do total destes casos suspeitos, 299.318 não se confirmaram (mais 1.545 do que no dia 04 de Junho de 2020).

Entretanto, 1.636 pessoas (menos 105 do que no dia 04 de Junho de 2020) aguardam os resultados laboratoriais aos testes efetuados, ao mesmo tempo que 28.088  (mais 597 do que no dia 04 de Junho de 2020) estão sob vigilância pelas autoridades de saúde.

– Número total de óbitos – 1.465 (mais 10 do que no dia 04 de Junho de 2020)

A região Norte contabiliza, agora, 16.834 casos de infeção acumulados (mais 15 do que no dia 04/06/2020) e 803 óbitos (mais 02 do que no dia 04/06/2020).

Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo, com 12.473 casos (mais 336 do que a 04/06/2020) e 387 mortes (mais 04 do que no dia 04/06/2020).

A região Centro regista 3.789 casos (mais 19 do que a 04/06/2020) e 244 falecimentos (mais 04 do que a 04/06/2020)

O Alentejo apresenta 263 casos (mais 01 do que no dia 04/06/2020) e um óbito.

Na Região dos Açores existem 140 casos de infeção acumulados (mais 02 do que no dia 04/06/2020) e 15 óbitos. E na Madeira são 90 casos de infeção (desde 07/05/2020) e nenhum óbito até à data.

ALGARVE

Há 380 casos confirmados de infeção acumulados, segundo a Direção-Geral da Saúde, mas a Autoridade de Saúde Regional indica 381  

O número total de casos de infeção acumulados desde o início desta pandemia na região algarvia, de acordo com relatório da Direção-Geral da Saúde publicado no dia 05 de Junho de 2020, ascende a 380. Contudo, na habitual conferência de imprensa quinzenal, realizada nesta sexta-feira, 05/06/2020, nas instalações do Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve, em Loulé, a Delegada de Saúde Regional, Ana Cristina Guerreiro, revelou que são 381 os casos confirmados (cumulativo). É esse, de resto, o número apontado no documento relativo à situação epidemiológica na região do Algarve, entregue aos jornalistas. Ou seja, existem 05 novos casos nesta região do Sul do país.

15 óbitos no Algarve, refere a Direção-Geral da Saúde; 16 aponta a Delegada de Saúde Regional

Também no tocante ao total de óbitos, os números são diferentes. Enquanto o relatório da Direção-Geral da Saúde  mantém 15, a Delegada de Saúde Regional indica 16 falecimentos, como de resto o Litoralgarve já tinha avançado. Esse número resulta, recorde-se, da recente morte de um cidadão sexagenário, de nacionalidade espanhola, no Hospital de Portimão, informação que revelámos na altura.

Os casos conhecidos são:

– 2 em Portimão

 O mais recente caso é um cidadão de nacionalidade espanhola, com “68/69 anos”, segundo apurou o Litoralgarve, que residia no concelho de Portimão. O indivíduo, com diversos problemas de saúde, incluindo Covid-19, esteve internado durante várias semanas, conseguiu recuperar do novo coronavírus, após o que obteve alta hospitalar. Já em casa, sofreu um AVC, tendo sido novamente internado no Hospital de Portimão, onde acabou por falecer. A nível regional, está registado como sendo a mais recente vítima da pandemia no Algarve.

 – 1 em Quarteira, no concelho de Loulé

–  5 em Boliqueime, no concelho de Loulé

 – 1 no concelho de São Brás de Alportel

–  2 em Vila Real de Santo António

 – 2 no concelho de Albufeira

–  2 no concelho de Lagoa

Loulé e Albufeira mantêm a liderança ao nível de casos de recuperação na região algarvia

Casos de recuperação conhecidos no Algarve:

– 70 no concelho de Loulé

– 61 no concelho de Albufeira

– 48 no concelho de Faro

– 36 no concelho de Portimão, informa a Câmara Municipal

 -26 no concelho de Tavira

– 14 no concelho de Vila Real de Santo António

13 no concelho de Silves

– 12 no concelho de Olhão 

– 07 no concelho de Lagoa

– 04 em Lagos

– 02 no concelho de Castro Marim

– 01 no concelho de Monchique

– 02 no concelho de São Brás de Alportel

Cinco casos de infeção confirmados no concelho de Portimão

De acordo com informações recolhidas, o concelho de Loulé soma 97 casos de infeção acumulados desde o início da pandemia, seguido de Albufeira, com 77. Faro (57), Tavira (34) e Silves (20) mantêm-se nas posições seguintes, enquanto Vila Real de Santo António continua com o registo de 17 casos de infeção confirmados acumulados. Olhão apresenta 14.

Já o concelho de Lagoa tem 10 casos de infeção confirmados acumulados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde. Em Portimão, são agora 05 os casos ativos confirmados e 36 os recuperados, refere a Câmara Municipal. Recorde-se que, segundo apurou o Litoralgarve, dois dos casos confirmados são pai e filho, menor de idade, que se encontram nesta altura isolados em Portimão, após terem contraído o novo coronavírus, na sequência de um encontro, em Lisboa, com a mãe do rapaz, que está infetada.

O concelho de Castro Marim, como temos noticiado, já tem recuperados os 02 casos de infeção que havia no concelho. Em Lagos, também já não existem casos ativos, estando recuperados os 04 doentes registados. Por seu turno, o concelho de São Brás de Alportel passou a constar das estatísticas divulgadas pela Direção-Geral da Saúde, com 03 casos de infeção. Dois deles já estão dados como recuperados. No concelho de Monchique também está recuperado o único caso de infeção registado. Sem qualquer caso relacionado com esta pandemia estão os concelhos de Vila do Bispo, Alcoutim e Aljezur.

Recorde-se que o Boletim Epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde indica, apenas, o “total de notificações clínicas no sistema SINAVE, correspondente a 91 por cento dos casos confirmados.” E quando os casos confirmados são “inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados”. Daí poder existir discrepância entre números divulgados.

Autor: José Manuel Oliveira