Carlos Fonseca, presidente da Junta de Freguesia de Odiáxere, espera Carnaval sem chuva: “Se São Pedro nos deixar, será uma boa terça-feira de Entrudo, o que contribuirá para dinamizar a economia local, na restauração e do comércio”

Aguarda-se forte afluência de público a um evento estimado em 35 mil euros e que terá a habitual participação de um carro alegórico da Santa Casa da Misericórdia de Lagos e de outras viaturas em representação de clubes e associações. “Esperamos a afluência de muita gente e uma tarde muito animada em Odiáxere”, perspetiva o autarca, em declarações ao ‘Litoralgarve’.

José Manuel Oliveira

“Sabemos que o desfile do corso carnavalesco, com os carros alegóricos e muita animação pelo meio, depende das condições atmosféricas. Se o São Pedro [conhecido por deus da chuva] nos deixar, será uma boa terça-feira de Entrudo, o que contribuirá, naturalmente, para dinamizar a economia local, sobretudo em estabelecimentos do sector da restauração e do comércio”, afirmou, ao ‘Litoralgarve’, Carlos Fonseca, presidente da Junta de Freguesia de Odiáxere, onde o ponto alto do Carnaval está marcado, como é tradição, para o Largo do Moinho, nesta localidade do concelho de Lagos, durante a tarde do dia 13 de Fevereiro de 2024. Isto, claro, se a depressão que atinge Portugal Continental, com chuva e vento forte, e que até já obrigou a cancelar desfiles de crianças também no Algarve, não provocar a alteração dos planos.

“Haverá surpresas durante o desfile dos carros alegóricos, com temas variados e ‘picantes’ ”

O autarca lembrou o investimento levado a efeito no Carnaval, com a Junta de Freguesia, o Clube Desportivo de Odiáxere, entidade organizadora deste evento, e a Câmara Municipal de Lagos, num “total de 35.000 euros”, em que estão incluídos, além de toda a logística, “as contratações de artistas, seguros de responsabilidade civil e de acidentes pessoais, e a presença de militares da Guarda Nacional Republicana (GNR), para garantir as condições de segurança necessárias para a circulação do trânsito de viaturas e das pessoas, em geral.”

“Esperamos a afluência de muita gente e uma tarde muito animada em Odiáxere”, perspectivou Carlos Fonseca, prometendo “surpresas” ao nível dos carros alegóricos. “Haverá surpresas durante o desfile dos carros alegóricos, com temas variados e ‘picantes’ ”, até ao nível político, prometeu o presidente da Junta de Freguesia local, que espera, entre outras, a tradicional presença de uma viatura em representação dos lares de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Lagos, assim como de clubes e associações deste e de outros concelhos do barlavento algarvio, numa altura em que se mantém, em termos logísticos, no Carnaval de Odiáxere, o apoio do município de Torres Vedras, na cedência de bonecos e peças, aproveitando a sua geminação com a edilidade lacobrigense.

Concluir, até meados do ano de 2025, “obras de infra-estruturas ao nível de água e esgotos, além de arruamentos e a pavimentação de ruas em Odiáxere”, bem como “trabalhos de arranjos exteriores no Mercado Municipal”. Isto, sem esquecer o “projecto do Centro Interpretativo do Museu Rural”, no antigo moinho, que “será comparticipado pelo PRR – Plano de Recuperação e Resilência, com verbas da União Europeia, e que incluirá um espólio constituído por centenas de peças, entre alfaias, ferramentas e outros utensílios agrícolas, doado por um residente, já falecido”, para servir de atracção turística e valor pedagógico

Nestas declarações ao nosso Jornal, Carlos Fonseca apontou como principais apostas até final deste seu mandato autárquico, que termina dentro de pouco mais de um ano e meio, “a realização de obras de infira-estruturas ao nível de água e esgotos, além de arruamentos e a pavimentação de ruas em Odiáxere”, bem como “trabalhos de arranjos exteriores no Mercado Municipal,” e a concretização do “projeto do Centro Interpretativo do Museu Rural” no antigo moinho desta vila do concelho de Lagos.

“Trata-se de um projeto que será comparticipado pelo PRR – Plano de Recuperação e Resiliência, com verbas da União Europeia, e que incluirá um espólio constituído por centenas de peças, entre alfaias, ferramentas e outros utensílios agrícolas, doado à Câmara Municipal de Lagos por um antigo moleiro, aqui residente e já falecido. Este novo equipamento, que contará com exposições permanentes, servirá de atração turística, com valor pedagógico na freguesia de Odiáxere, para mostrar o que era esta terra que sempre esteve ligada ao mundo rural”, sublinhou Carlos Fonseca.

Está “disponível para continuar na política” após o final deste terceiro e último mandato consecutivo como presidente da Junta de Freguesia de Odiáxere. Integrar a Câmara Municipal de Lagos poderia ser uma possibilidade

Por outro lado, o presidente socialista da Junta de Freguesia de Odiáxere, que cumpre o seu terceiro e último mandato consecutivo neste cargo, não podendo, em face da atual lei, recandidatar-se nas próximas eleições autárquicas, as quais terão lugar em Setembro ou Outubro de 2025, confessou, ao ‘Litoralgarve’, estar “disponível para continuar na política” a partir dessa data e noutras funções. “Logo se verá…”, observou, lacónico, Carlos Fonseca. Perante a nossa insistência, ainda acrescentou: “Estou disponível se me quiserem, se ainda for útil”. E até admitiu, inclusive, essa disponibilidade para poder vir a integrar, eventualmente, o próximo executivo da Câmara Municipal de Lagos, quando deixar a Junta de Freguesia de Odiáxere.