Aprontamento do dispositivo especial de combate a incêndios rurais da região do Algarve arranca com programa de treino operacional

Na passada terça-feira, 7 de abril, arrancou o programa de treino operacional para as forças de empenhamento permanente do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) do Algarve no âmbito do processo de aprontamento que vai decorrer nas próximas semanas e que visa o aperfeiçoamento técnico das Mulheres e Homens que agora se preparam para um período habitualmente mais exigente, caraterizado pelo aumento do número de ocorrências e o adverso desenvolvimento de incêndios.


São 17 ações de treino operacional que vão chegar a todos os Corpos de Bombeiros da região, às Equipas de Sapadores Florestais, à Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da Guarda Nacional Republicana (GNR) e aos Serviços Municipais de Proteção Civil (SMPC). d cronograma termina com um exercício de larga escala que envolve as Regiões do Alentejo e Algarve a ter lugar no próximo dia 12 de maio de 2023.


O cardápio de temas a abordar neste programa abrangente e inclusivo, centrado na interoperabilidade, vai alcançar toda a linha de resposta no combate aos incêndios rurais, nomeadamente nas diferentes dimensões do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro (SIOPS) e na aplicação dos níveis de atuação do Sistema de Gestão de Operações (SGO) – estratégico, tático e de manobra desde o ataque inicial, passando pelo ataque ampliado e até à reposição da normalidade.


Com este processo de aprontamento pretende-se assegurar uma eficaz e eficiente resposta do dispositivo dedicado, correspondendo aos exigentes indicadores de desempenho no despacho precoce para uma chegada rápida e diferenciada, contributos essenciais para a resolução célere de eventuais ocorrências, priorizando a segurança das forças e a salvaguarda das populações.
No que concerne ao comando e controlo serão realizadas ações para os elementos de comando, oficiais e graduados dos Corpos de Bombeiros que desempenham um papel central na dinamização do SGO, ao longo das diferentes fases de desenvolvimento da organização na gestão das operações de supressão.


Do ponto de vista tático e de manobra, as equipas das diferentes forças, vão aperfeiçoar técnicas de combate com ferramentas manuais e mecânicas, condução de veículos táticos, entre outros aspetos relevantes na dinâmica de um teatro de operações.


Também os operadores de máquinas de rastos e os responsáveis setoriais pelo seu empenhamento terão uma jornada técnica dedicada ao seu enquadramento no esforço de supressão dos incêndios.
Paralelamente, conclui-se neste período um plano de formação para os Bombeiros do Algarve que garante a qualificação do efetivo que integra o DECIR, enquanto principal Agente de Proteção Civil e a mais expressiva força de empenhamento permanente deste mecanismo de resposta.