Agentes da Polícia Marítima de Lagos intercetam duas pessoas em atividade de apanha e pesca-submarina noturna, em Sagres, e apreendem produto capturado e material utilizado 

Foram detectadas três infracções, por se tratar do exercício da atividade fora do período permitido e sem o respetivo licenciamento.

José Manuel Oliveira

Duas pessoas foram intercetadas por dois agentes do Comando Local da Polícia Marítima de Lagos, em plena atividade de apanha e pesca-submarina noturna, em Sagres, no concelho de Vila do Bispo, tendo sido apreendido marisco, pescado diverso e material utilizado na sua captura, designadamente calças e fato de mergulho.

Fiscalização dirigida à actividade de apanha e pesca-submarina na área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, teve lugar a 11 e 12 de Junho

Nesta acção de fiscalização, que decorreu nos dias 11 e 12 de Junho, dirigida à atividade de apanha e pesca-submarina na área do Parque Natural do Sudoeste Alentejo e Costa Vicentina, os agentes da Polícia Marítima, com o apoio de uma viatura, “detetaram três infrações, por se tratar do exercício da atividade fora do período permitido e sem o respetivo licenciamento”, refere, em comunicado, o Gabinete de Imagem e Relações Públicas da Autoridade Marítima Nacional, com sede em Lisboa.

Marisco vivo devolvido ao mar e restante pescado doado a uma instituição de solidariedade social de Lagos

Uma vez que ainda se encontrava vivo, o marisco foi devolvido ao seu ‘habitat’ natural, enquanto o restante pescado acabou por ser doado a uma instituição de solidariedade social de Lagos, acrescentou a Autoridade Marítima Nacional, sem entrar em detalhes, nomeadamente sobre as quantidades apreendidas e do que se tratava.