Quatro jovens, com idades entre 16 e 26 anos, cercam, agridem e roubam homem na Praia do Barranco das Canas, em Portimão

Ação conjunta entre agentes da Polícia de Segurança Pública de Portimão e da Polícia Marítima permitiu localizar e identificar os suspeitos e recuperar parte dos artigos roubados. Estes foram constituídos arguidos, com a medida de coacção mais leve de Termo de Identidade e Residência, estando a aguardar em liberdade a evolução do processo, que será apreciado pelo Ministério Público.

José Manuel Oliveira

Um homem foi cercado, agredido e roubado por quatro jovens, com idades compreendidas entre os 16 e os 26 anos de idade, durante a tarde de quarta-feira, dia 24 de Janeiro de 2024, na Praia do Barranco das Canas, zona do Vau, em Portimão. Os suspeitos acabaram por ser localizados e identificados numa operação conjunta entre agentes da Esquadra de Investigação Criminal da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Portimão e da Polícia Marítima, os quais acabaram por recuperar parte dos artigos roubados.

Colocaram-se em fuga após assalto e agressões à vítima

Em comunicado, o Comando Distrital de Faro da PSP refere que, nessa acção conjunta, “procedeu à constituição como arguidos de 4 jovens, com idades entre os 16 e os 26 anos de idade, suspeitos da prática de um crime de roubo”. A operação decorreu “na sequência de um roubo ocorrido na Praia do Barranco das Canas, em Portimão, na tarde de ontem [24 de Janeiro de 2024], em que um cidadão foi surpreendido por 4 homens que o cercaram, agrediram e retiraram-lhe os seus pertences pessoais, colocando-se, posteriormente, em fuga”, acrescenta.

“Face à gravidade dos factos, foram de imediato desenvolvidas diversas diligências investigatórias conjuntas entre a Polícia de Segurança Pública e a Polícia Marítima, as quais levaram à localização dos 4 suspeitos, bem como à recuperação de parte dos artigos roubados. Os suspeitos foram constituídos arguidos e sujeitos a Termo de Identidade e Residência. Os resultados destas diligências serão oportunamente remetidos para apreciação do Ministério Público”, conclui a PSP, neste comunicado, sem adiantar mais pormenores.