Município de Silves assinou, esta terça-feira, 15 de novembro, na Base de Apoio Logístico (BAL) da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Quarteira

O Município de Silves assinou, esta terça-feira, 15 de novembro, na Base de Apoio Logístico (BAL) da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Quarteira, mais dois protocolos de comparticipação relativo às condições e contratação de duas (2) Equipas de Intervenção Permanente (EIP), uma no Corpo de Bombeiros de Silves e outra no Corpo de Bombeiros de São Bartolomeu de Messines a operacionalizar já a partir de janeiro de 2023. A cerimónia que contou com a presença do Ministro da Administração Interna, Dr. José Luís Carneiro, que enquadrou ainda a formalização de mais equipas na região.

O incremento do apoio às corporações do concelho, numa visão de progressivo reconhecimento dos bombeiros, da sua capacitação e profissionalização, tem sido uma forte aposta do executivo camarário, passando de uma (1) equipa em 2013, para seis (6) em 2023, ficando assim constituída uma força permanente assegurada por 30 operacionais nas duas corporações do concelho. Os custos associados à remuneração dos elementos, encargos relativos ao regime de segurança social, seguros e acidentes de trabalho são assegurados de forma bipartida e equitativa entre o Município de Silves e a ANEPC, aliviando assim a pressão sobre as Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários.

Cada equipa, composta por 5 elementos, constitui um piquete com uma disponibilidade obrigatória de 40 horas semanais, visando a prossecução das atividades e missões que estão acometidas por lei no domínio específico da proteção de pessoas e bens, e na melhoria da eficácia e eficiência da proteção civil e das condições de prevenção e socorro no Concelho de Silves, sobretudo na prevenção e resposta ao risco de incêndio florestal, incêndios urbanos, acidentes rodoviários e ferroviários, cheias, inundações e.g. 

O investimento do Município na constituição das 6 equipas é significativo, totalizando 240.000,00 € a partir de 2023. O governo central, através da ANEPC, comparticipa com idêntico valor.

PUBLICIDADE