Jovens detidos numa viatura por agentes da PSP de Lagos, após agressões e rapto de dois cidadãos, já estão em prisão preventiva

A operação ocorreu no sábado, dia 27 de Janeiro de 2024, e no interior do veículo, que foi mandado parar pelas autoridades, após denúncias, “estavam dois cidadãos levados contra sua vontade e privados da sua liberdade, que tinham sido coagidos a entregar a entregar avultadas quantias em dinheiro”, revelou a polícia. Aos suspeitos foram apreendidas armas proibidas e objetos subtraídos a outras vítimas.

José Manuel Oliveira

Estão a aguardar julgamento em prisão preventiva, após terem sido ouvidos num primeiro interrogatório a cargo de um juiz de instrução criminal, os dois jovens, de 21 e 22 anos de idade, detidos em flagrante delito por agentes da Esquadra da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Lagos, no sábado, dia 27 de Janeiro de 2024, devido a indícios da prática de diversos “crimes violentos”, nomeadamente ofensas à integridade física, extorsão, roubo e rapto, segundo aquela força de segurança.

A detenção dos dois indivíduos surgiu na sequência da recolha de informação por parte da PSP sobre um possível crime que estaria a ocorrer na cidade de Lagos, tendo sido mobilizado, para o efeito, um dispositivo policial, que abordou uma viatura conduzida por um dos suspeitos envolvidos no caso, mandando o condutor parar.

No interior do veículo “estavam dois cidadãos levados contra sua vontade e privados da sua liberdade, que tinham sido coagidos a entregar avultadas quantias em dinheiro”, com sinais de agressões, revelou a PSP, em comunicado. Aos suspeitos foram apreendidas armas proibidas e objetos subtraídos a outras vítimas.

“Indiciados pela prática de vários roubos, furtos em residência, coação e ofensas à integridade física, por todo o concelho de Lagos”, indica a PSP

A investigação levada a efeito permitiu aos agentes da PSP apurar que os suspeitos estavam “indiciados pela prática de vários roubos, furtos em residência, coação e ofensas à integridade física, por todo o concelho de Lagos.” Os dois jovens, que agora se encontram em prisão preventiva, são suspeitos de escolherem alvos considerados vulneráveis, sobretudo imigrantes, “o que vinha a causar um forte sentimento de insegurança junto desta comunidade”, de acordo com a polícia.

Poderá ter havido um possível ajuste de contas para cobrança de dívidas por droga, apurou o ‘Litoralgarve’

Entretanto, segundo informações recolhidas pelo ‘Litoralgarve’, os suspeitos são portugueses e residem no concelho de Lagos. Este rapto, agora descoberto pela PSP, poderá estar relacionado com um eventual ajuste de contas para cobrança de dívidas por tráfico de estupefacientes.

(Em actualização)

Mais Artigos