Homem nu passeia de noite, ao frio e descontraído, na cidade de Lagos, e depois tenta fugir de um polícia que conseguiu detê-lo

“Alto e musculado”, segundo um popular, aparentava ser estrangeiro, com cerca de 40 anos. Mais tarde, um agente da PSP de Lagos foi no seu encalce e, como apurou o ‘Litoralgarve”, o indivíduo acabou por ser levado para o Hospital do Barlavento, em Portimão, e internado compulsivamente.

 

José Manuel Oliveira

Paulo Silva

 

Um homem completamente nu foi visto a passear, durante a noite, em várias ruas do centro da cidade de Lagos, por volta das 23.00 horas de segunda-feira, 04 de Dezembro de 2023. Pouco depois, um vídeo a circular na rede social ‘Facebook’ (e entretanto apagado), deu conta da actuação de um agente da Esquadra de Lagos da Polícia de Segurança Pública (PSP), no encalce do indivíduo, entre a zona da Praia dos Estudantes e a da Batata, na Avenida dos Descobrimentos. O homem, que tentou fugir do polícia, segundo apurou o ‘Litoralgarve’, acabou por ser internado compulsivamente, após ter sido detido e levado para o Hospital do Barlavento, em Portimão.

 

“Chegou a sorrir. Não falava, andava sozinho e até em passo acelerado”

 

“Eram cerca das 23.00 horas de segunda-feira, a noite estava fria e quando caminhava com um amigo meu, na Rua 25 de Abril, vi um homem alto, semi-careca e musculado, aparentando ser estrangeiro e ter por volta de 40 anos de idade, a passear descalço e completamente nu, descontraído, como se estivesse numa situação normal. Até chegou a rir. Não falava, andava sozinho e até, em passo acelerado, passou junto ao ‘snack’- bar «Abrigo», foi em direcção à Rua Lima Leitão, onde funcionava a papelaria Palinova, daí para a Praça Gil Eannes e por aí a fora. Ficámos incrédulos com o sucedido”, contou, ao ‘Litoralgarve’, António Santos, um conhecido popular, residente em Lagos.

E acrescentou: “ainda tentei captar, por telemóvel, uma imagem deste indivíduo, mas ele, depois, começou a andar mais depressa e já não foi possível, nem tão pouco apanhá-lo até à chegada da polícia.”

 

Incorre numa pena de três meses a um ano de prisão, ou ao pagamento de uma multa, por atentado ao pudor

 

Em Portugal, de acordo com o Código Penal, o homem poderá incorrer na prática de um crime de atentado ao pudor, punível com pena de prisão de três meses a um ano, ou ao pagamento de uma multa a decidir pelo tribunal.

 

(Em atualização)