Entrevista a Cristóvão Norte, presidente do PSD/Algarve: “Creio serem inevitáveis novas eleições” legislativas e “claro” que Luís Montenegro tem condições para ser o próximo primeiro-ministro de Portugal

“Temos que estar todos [preparados]. Há muito trabalho feito e o PSD ao longo do último ano apresentou muitas propostas. É mais fácil assim”, disse o presidente da Comissão Política Distrital do PSD/Algarve, Cristóvão Norte, numa curta entrevista por escrito ao ‘Litoralgarve’, após o primeiro-ministro-ministro, socialista António Costa, ter anunciado a sua demissão, na sequência da investigação autónoma de que é alvo pelo Supremo Tribunal de Justiça sobre suspeita de negócios de lítio e hidrogénio verde, envolvendo o chefe de gabinete, ministros, empresários e autarcas.

Com 47 anos de idade, economista, jurista e ex-deputado na Assembleia da República, Cristóvão Norte deixa no ar o cenário de voltar a se candidatar ao parlamento, em 2024, em eleições legislativas antecipadas, ou à presidência da Câmara Municipal de Faro, nas eleições autárquicas que terão lugar no ano de 2025.

José Manuel Oliveira

Litoralgarve – Como reage à demissão do primeiro-ministro, António Costa, e ao escândalo que abalou, na terça-feira, dia 07/11/2023, o governo, com o ministro João Galamba a ser constituído arguido e as buscas efectuadas pela PSP e detenções do chefe de gabinete do primeiro-ministro e do ministro Duarte Cordeiro, além de empresários e autarcas, devido, nomeadamente, a suspeitas de corrupção nos negócios do lítio de Montalegre e do hidrogénio verde?

António Costa “assumiu a responsabilidade política, não apenas da sua circunstância pessoal, mas também da galeria de horrores que foi este último governo que liderou. Fez uma declaração de grande dignidade.”


Cristóvão Norte – A demissão de António Costa foi a melhor decisão que tomou enquanto Primeiro-Ministro. Assumiu a responsabilidade política, não apenas da sua circunstância pessoal, mas também da galeria de horrores que foi este último governo que liderou. Fez uma declaração de grande dignidade. Merece respeito por isso.

“Este Governo foi um nado-morto. Não tinha um desígnio, iniciativa política ou protagonistas de qualidade intelectual e moral para as funções. O PS estava cansado de governar, mas não cansado do poder.”


Litoralgarve  – Como é possível, na sua opinião, ter-se chegado a esta situação?

Cristóvão Norte – Este Governo foi um nado-morto. Não tinha um desígnio, iniciativa política ou protagonistas de qualidade intelectual e moral para as funções. O PS estava cansado de governar, mas não cansado do poder.


Litoralgarve  –  Na sua perspectiva, o que irá fazer, agora, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa? É inevitável convocar eleições legislativas antecipadas, as quais deverão ter lugar durante o primeiro trimestre de 2024, antes das eleições europeias marcadas para 09 de Junho do próximo ano?

Cristóvão Norte – Creio serem inevitáveis novas eleições. Por um lado,  é uma demissão no contexto de uma gravíssima suspeita que paira sobre várias figuras de proa do PS, mas também porque aquando da tomada de posse o Presidente da República foi claro quando disse que não era fácil esta maioria sobreviver a uma saída antecipada do Primeiro-Ministro.


Litoralgarve – O PSD está preparado para eleições legislativas antecipadas, numa altura em que tanto se fala em divisões no partido presidido por Luís Montenegro?

Cristóvão Norte – Tem que estar. Temos que estar todos. Há muito trabalho feito e o PSD ao longo do último ano apresentou muitas propostas. É mais fácil assim.


Coligação com o CDS/PP, Iniciativa Liberal ou o Chega? “Não sei, ainda ninguém pensou nisso”

Litoralgarve  – Luís Montenegro tem condições para ser o próximo primeiro-ministro de Portugal?
Cristóvão Norte – Claro.

Litoralgarve – O PSD admite, ou rejeita, coligações nas eleições legislativas? O CDS/PP, a Iniciativa Liberal ou o Chega serão partidos a considerar num acordo pré-eleitoral ou pós-eleitoral para uma futura governação?

Cristóvão Norte – Não sei, ainda ninguém pensou nisso. Eu, pelo menos, não.

“Em 8 anos de Governo, alguém se lembra de uma promessa cumprida do PS para o Algarve?”


Litoralgarve  –  Quais as repercussões que terão para o Algarve a demissão do primeiro-ministro e a consequente crise política em Portugal, quando ainda se discute, na especialidade, o Orçamento de Estado para 2024? O que mais receia neste aspecto?

Cristóvão Norte – Nenhumas. Em 8 anos de Governo, alguém se lembra de uma promessa cumprida do PS para o Algarve?

Litoralgarve  –  A política perde credibilidade com todos estes casos de suspeita de corrupção em Portugal? Quem ganha com isso?

“Isto corrói a democracia”

Cristóvão Norte – Claro que sim. Isto corrói a democracia. Não é um dia feliz.


Litoralgarve  – Que futuro antevê para António Costa?

Cristóvão Norte – Não faço ideia.

Litoralgarve  – E quais os reflexos de toda esta situação a nível internacional?

Cristóvão Norte – Não estamos num cenário de crise financeira ou orçamental, logo não antevejo que seja dramático para o país.

Cristóvão Norte, candidato a deputado à Assembleia da República, ou a presidente da Câmara Municipal de Faro? “A seu tempo saberá”


Litoralgarve  – A nível pessoal e político, o senhor estará disponível para encabeçar a lista do PSD candidata pelo Círculo Eleitoral de Faro à Assembleia da República (só ou em coligação com outro partido), ou prefere apostar numa candidatura à presidência da Câmara Municipal de Faro, nas próximas eleições autárquicas, em Setembro / Outubro de 2025?

Cristóvão Norte – É uma pergunta interessante. A seu tempo saberá a resposta.

Mais Artigos