Dino Lourenço e Luís Paixão, vereadores do movimento de independentes ‘Somos pelo Concelho – Vila do Bispo’ dizem, ao ‘Litoralgarve’, que “está tudo em cima da mesa” para a recandidatura às eleições autárquicas, em 2025

“Se nos candidatarmos, desta vez será mesmo para vencer e, assim, conquistar a presidência da Câmara Municipal de Vila do Bispo”, assume Luís Paixão. Este movimento de independentes, que perdeu por pouco mais de três dezenas de votos as eleições, em 2021, para o executivo camarário, acabou por tirar a maioria absoluta ao PS, assim como eleger o presidente da Assembleia Municipal e ganhar duas das quatro freguesias deste concelho do barlavento algarvio.

José Manuel Oliveira

Os vereadores Dino Lourenço e Luís Paixão, que representam o movimento de cidadãos independentes ‘Somos pelo Concelho – Vila do Bispo’ no executivo camarário local, admitem uma nova candidatura a este órgão do município, nas próximas eleições autárquicas a realizar em Setembro ou Outubro de 2025. “Está tudo em cima da mesa”, limitaram-se a dizer, ao ‘Litoralgarve’, Dino Lourenço e Luís Paixão, ao serem questionados esse sentido, pouco depois da sessão solene no Dia do Município de Vila do Bispo, dedicado ao seu padroeiro, São Vicente, que decorreu, na manhã do dia 22 de Janeiro de 2024, no auditório do Centro Cultural desta localidade do barlavento algarvio.

“São necessários projetos para aproveitar os fundos da União Europeia, provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), de forma a evitar o desperdício de verbas no desenvolvimento deste concelho”

Depois de, nas últimas eleições autárquicas, no dia 26 de Setembro de 2021, aquele movimento de cidadãos independentes ter obtido o segundo lugar, com 836 votos e a uma escassa diferença de 33 votos em relação do Partido Socialista (869), que sob a liderança de Rute Silva, acabou por vencer, mas sem a maioria absoluta que assegurou ao longo de vários mandatos, o vereador Luís Paixão acabou por se mostrar confiante perante o futuro. “Se nos candidatarmos, desta vez será mesmo para vencer e, assim, conquistar a presidência da Câmara Municipal de Vila do Bispo”, perspectivou aquele autarca, em declarações ao nosso Jornal. E já a pensar nos próximos tempos, referiu que “são necessários projectos para aproveitar os fundos da União Europeia, provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), de forma a evitar o desperdício de verbas no desenvolvimento deste concelho.” Nesse sentido, defendeu a criação de um gabinete de apoio, com técnicos especializados.

“Não será difícil conseguir as assinaturas necessárias” para apresentar listas destinadas aos vários órgãos do município de Vila do Bispo

Para já, os dois vereadores do movimento de independentes na Câmara Municipal de Vila do Bispo preferem aguardar até tomar uma decisão quanto a uma eventual recandidatura nas eleições autárquicas, em 2025, considerando que “não será difícil conseguir as assinaturas necessárias” para apresentar listas para os vários órgãos do município.

Recorde-se que o movimento ‘Somos pelo Concelho – Vila do Bispo’, além dos dois vereadores, sem pelouros, que conseguiu eleger para o executivo camarário, no qual tirou a maioria absoluta ao PS, conta com cinco deputados na Assembleia Municipal, cujo presidente, Luciano Rafael, pertence a esse grupo. Por outro lado, também o presidente da Junta de Freguesia de Sagres, Clésio Ricardo, e a presidente da Junta de Freguesia de Vila do Bispo e Raposeira, Marisa Dias, foram eleitos, em 2021, pelo movimento ‘Somos pelo Concelho – Vila do Bispo’, num concelho onde existem quatro freguesias e estavam inscritos, nessa altura, 4.193 eleitores.