33.ª edição da Feira Concurso Arte Doce foi a mais visitada de sempre

Com um cartaz muito atrativo, uma maior área e mais dias de realização, o regresso deste grande evento de Lagos conseguiu bater recordes: 113 negócios participantes e um número estimado de 125 mil visitas ao longo dos cinco dias.

Realizada entre 27 a 31 de julho no Complexo Desportivo de Lagos, a Feira Concurso Arte Doce há muito que era esperada após dois anos de suspensão devido à crise pandémica, o que acabou por desafiar a autarquia a preparar um regresso em grande – cinco dias de feira, uma área maior que permitiu acomodar mais negócios participantes de doçaria, artesanato, tasquinhas e produtos regionais, e um dos melhores cartazes de eventos de verão no Algarve com nomes como Rui Veloso, Gabriel o Pensador, Dillaz, Bárbara Bandeira e Mariza.

Associando-se às comemorações do Centenário da Chegada do Comboio a Lagos, esse foi de resto o tema escolhido para este ano, estando presente na animação circulante e atividades infantis, mas também no mote lançado ao concurso Arte Doce. Nesta edição, a região convidada foi a Estremadura, que esteve presente através de stands de doçaria, showcookings e bandas que dividiram o palco secundário com artistas e bandas lacobrigenses. Também neste ano, a feira contou com uma série de novidades para melhorar a experiência, como uma página exclusiva, a dinamização das várias atividades por um conhecido apresentador de televisão e uma grande zona infantil repleta de diversões para os mais pequenos.

No entanto, apesar da vasta programação deste evento gratuito, o seu foco continua a estar na promoção e valorização da doçaria algarvia, premiando e estimulando a criatividade e experiência de doceiras e doceiros que “teimam” em não deixar desparecer esta arte com tradição e história. Nesta 33.ª edição, os concursos foram Qualidade na Tradição (Melhor Dom Rodrigo, Morgado, Doce Fino e Doce de Figo), Doces de Inovação e Arte Doce (Tema obrigatório e Tema livre), este último com criativos bolos expostos no recinto ao longo dos dias.  No último dia de feira, 31 de julho, as doceiras e doceiros vencedores foram homenageados numa cerimónia, proferindo palavras de defesa das tradições de doçaria e da sua promoção junto das gerações mais novas.

Para o próximo ano, o município de Lagos está já a preparar uma 34.ª edição igualmente forte, mantendo a tradição de valorizar o que de melhor se faz no Algarve ao nível da doçaria, mas também gastronomia, artesanato e tradições.

CONCURSO “ARTE DOCE”

Tema Livre

1.º lugar – Os doces da Fátima (Lagos)

 2.º lugar – As passinhas do Algarve (Lagos)

3.º lugar – Atelier dos sabores (Tunes)

Tema obrigatório (Centenário da chegada do comboio a Lagos):

1.º lugar – Cantinho doce da Fernanda (Lagos)

2º. lugar – Lucília Baptista (Lagos)

3º. lugar – Os docinhos da Gena (Lagos)


CONCURSO “QUALIDADE NA TRADIÇÃO”

Melhor Morgado – Bolos da Avó Isabel (Lagos)

Melhor D. Rodrigo – Maria Antónia Silva (Aljezur)

Melhor Doce Fino – Os docinhos da Gena (Lagos)

Melhor Doce de Figo – Ana Maria Santos (Mexilhoeira Grande)


CONCURSO “DOCES DE INOVAÇÃO”

1.º lugar – Pastelaria Doce e Arte (Monchique)

PUBLICIDADE