Protocolo de Gestão Partilhada vai permitir reabilitar e reabrir o Núcleo Museológico de Lagos do Museu Nacional Ferroviário

A Câmara Municipal de Lagos aprovou, na sua última reunião, a minuta do Protocolo de Gestão Partilhada do Núcleo Museológico de Lagos do Museu Nacional Ferroviário. A parceria, a estabelecer entre o município e a Fundação Museu Nacional Ferroviário Armando Ginestal Machado (FMNF), tem como grande objetivo devolver à comunidade o acesso à história e a um espaço e património há muito desejado. O documento será assinado no próximo sábado, dia 30 de julho, data em que se celebram os 100 anos da chegada do comboio a Lagos, estando a cerimónia integrada no programa comemorativo da efeméride.

O primeiro comboio chegou a Lagos a 30 de julho de 1922. A característica desta estação como terminal de ramal originou a existência de uma importante cocheira de locomotivas e de uma placa giratória. Com a construção e entrada em funcionamento da nova estação ferroviária – já no século XXI – a antiga Estação de Lagos foi desativada, tendo aquelas estruturas sido preservadas e integradas no património da Fundação como Núcleo Ferroviário, mantendo-se visitável durante alguns anos. A necessidade de uma intervenção de maior abrangência no edifício, a inexistência de um discurso expositivo e o facto de o núcleo não estar dotado de recursos humanos que permitissem manter o espaço aberto em permanência, acabaram por ditar o seu encerramento. No entanto, quer a Fundação, quer o município, encararam sempre este encerramento como temporário, nunca perdendo de vista o objetivo de valorizar o espaço e reabri-lo ao público.

No âmbito dos preparativos para as Comemorações do Centenário da Chegada do Comboio a Lagos, as conversações ganharam novo fôlego e, fruto do diálogo mantido nos últimos meses com a Fundação, foi possível acordar entre as partes o procedimento e os passos a dar com vista à reabilitação, musealização e abertura ao público da antiga cocheira de locomotivas – atual Núcleo Museológico de Lagos do Museu Nacional Ferroviário – que é considerado um espaço fundamental para melhor compreender a história da ferrovia e do próprio concelho.

No protocolo que será assinado no próximo dia 30 de julho, pelas 16:00, no Centro Cultural de Lagos, o município irá assumir a sua disponibilidade para aceitar a transferência da gestão do Núcleo Museológico de Lagos, que se encontra integrado no Domínio Público Ferroviário, sob administração da Fundação. A autarquia ficará também responsável pela requalificação da antiga cocheira e espaço envolvente, pela manutenção do edificado, pela dotação de recursos humanos para o funcionamento do Núcleo, respetiva abertura ao público, vigilância, limpeza, promoção e dinamização. A FMNF, por sua vez, continuará a gerir o Núcleo e o seu acervo, mas agora de forma partilhado com o município, assumindo toda a vertente científica, como sejam a investigação e inventário museológico do espólio, os projetos de museologia e museografia, assim como a manutenção e restauro do acervo.

PUBLICIDADE