COVID – 19 – No Algarve, houve mais 12 óbitos, numa semana em que as autoridades de saúde registaram a descida para 65 doentes internados e 6.688 pessoas infetadas

Faro,    Loulé     e    Portimão    mantêm-se   os  concelhos    mais    atingidos    pela    pandemia   há 18    semanas   consecutivas. 

Curiosamente, numa situação rara, dois concelhos  –  Faro e Loulé –  registaram o mesmo número de casos ativos  (1.115), continuando a ser os que têm maior número de pessoas infetadas com Covid-19, no relatório semanal nº. 28/2022, da Comissão de Proteção Civil da Região do Algarve, apresentado na sexta-feira,  dia  22 de Julho de 2022. O documento foi elaborado com base em dados recolhidos até às 24h00 de  21/07/2022 pela Administração Regional de Saúde do Algarve.

Com 1.115 casos ativos, no concelho de Loulé  passou a haver menos  152  contaminados comparativamente à semana passada, a 14 de Julho de 2022, enquanto o concelho de Faro assinalou uma redução de  94  pessoas afetadas pelo novo coronavírus. Já o concelho de Portimão mantém-se o terceiro mais atingido por esta pandemia no Algarve, ao contabilizar  899  casos ativos  (menos  95).

E   o    concelho   de    Alcoutim   continua   a   ser   o  que   tem    menos    pessoas    contaminadas

Neste ponto de situação das autoridades de saúde do Algarve, os concelhos de Loulé, Faro e Portimão permanecem, assim, há 18 semanas consecutivas como os mais infetados pela Covid-19. 

Por outro lado, o concelho de Alcoutim, onde existem agora  20  casos ativos  (menos  nove), continua a ser aquele que conta com menor número de pessoas com o vírus na região algarvia, há mais de dois meses.

Baixou     para    61    o    número    de     internados   com    Covid-19    em    enfermarias     de   hospitais    do    Algarve,    onde     passaram    a   estar    dois     doentes      em    Unidades    de    Cuidados    Intensivos,   representando   igualmente    uma    descida,    e     dois    ventilados,    neste   caso    uma   subida

De acordo com o relatório da Situação Epidemiológica na Região, indicando  “dados até às  24:00  horas do dia  21  de Julho de  2022”,  nessa altura havia   61  doentes  (menos   34 do que há uma semana, a 14 de Julho de 2022)  internados   em  enfermarias de hospitais do Algarve, devido à Covid-19,  2   em   Unidades  de  Cuidados  Intensivos   (menos   5)  e  outros   2   ventilados    (na passada semana encontrava-se  apenas um). Deste modo,  desceu de  103  para  65  o total de hospitalizados nesta região.   

CASOS ATIVOS E RECUPERADOS POR CONCELHO NA REGIÃO DO ALGARVE – 21 DE JULHO DE 2022

Mais    3.189    pessoas    recuperadas       e    12    mortes    com     o   vírus    nesta    região.   Enquanto   isso,   houve    menos     759     infetados,    pelo   que    o    número    de     casos   ativos    diminuiu     para   6.688.         

Já o número de  casos ativos no Algarve  registou uma redução para  6.688  no espaço de mais uma semana, o que corresponde a menos  759  pessoas atingidas pela pandemia   (na semana anterior foram menos 1.517).

Ao mesmo tempo houve  mais  3.189  recuperados  (há sete dias tinham sido  4.791), o que contribuiu para colocar em  214.293  o cumulativo de casos de recuperação desde que surgiu a Covid-19   a  06 de Março de 2020  no Algarve.

Entretanto, também numa semana as autoridades de saúde desta região registaram  mais  12  falecimentos  com ligação ao novo coronavírus  (foram  15  na semana anterior). Como tal, desde o início da pandemia, a 06 de Março de 2020, assinalaram  884  óbitos. 

1.297    cidadãos     em    Vigilância    Ativa    e    6.627,   por   precaução,    no   Domicílio,   correspondendo   a    reduções

Por outro lado, neste relatório da Comissão de Proteção Civil da Região do Algarve foram apontadas   6.627  pessoas, por precaução, no Domicílio  (menos  725)  e   1.297  em  Vigilância Ativa, o que equivale a menos de 60.

A concluir, refira-se que, desde o início da Covid-19, a 06 de Março de 2020, já existiram   221. 865 casos confirmados de infeção, segundo as autoridades de saúde do Algarve.

José Manuel Oliveira

Paulo Silva

PUBLICIDADE