COVID – 19 – Baixou para 8.751 o número de pessoas infetadas nos registos da Administração Regional de Saúde do Algarve, numa semana em que houve mais 5.702 recuperados, nove óbitos e 48 hospitalizados

Há    15    semanas,   Loulé,   Portimão   e    Faro    são   os    concelhos    com    mais     pessoas   contaminadas.   E   o  de   Alcoutim    permanece    como   o   menos    atingido     pela   pandemia   pelo    segundo   mês    consecutivo.

Loulé

O concelho de Loulé passou a ser o que conta com mais pessoas infetadas por Covid-19 no Algarve, ao registar  1.385  casos ativos  (menos  172 comparativamente à semana passada, a 23 de Junho de 2022), segundo o  relatório  semanal da Comissão de Proteção Civil da Região do Algarve, divulgado na última sexta-feira, dia  01  de Julho de 2022. Esse documento, que tem como fonte dados apurados até às  24h00 do dia anterior, 30 de Junho de 2022, pela Administração Regional de Saúde do Algarve, apontou  1.289  casos ativos no concelho de Faro  (menos  213  do que há uma semana), colocando-o, assim, na segunda posição entre os mais atingidos pela pandemia.

Portimão

Por sua vez, o concelho de Portimão, com  1.283  casos ativos  (menos  472) é, agora, o terceiro a contabilizar  maior número de infeções nesta região do sul do país.

Desse modo, os concelhos de Loulé, Faro e Portimão continuam como os mais afetados no Algarve pelo novo coronavírus há quinze semanas consecutivas. 

Ao invés, o concelho de Alcoutim mantém-se o menos atingido pela Covid-19, registando   23  casos ativos, o que corresponde a menos  28  face ao quadro da Administração Regional de Saúde do Algarve, apresentado na semana anterior.

Mais    um    doente   com   o    vírus    registado    em    enfermarias     de      hospitais   do    Algarve,  sendo    agora     45.   Mantêm-se    dois   em    Unidades     de    Cuidados    Intensivos    e    um ventilado,   indicam   os    dados    das    autoridades     de    saúde.

De acordo com o relatório da Comissão de Proteção Civil do Algarve, igualmente contendo “dados até às  24:00 horas do dia  30  de Junho  de  2022”  sobre a Situação Epidemiológica na Região e baseados na Administração Regional de Saúde do Algarve, nessa altura estavam registados, em hospitais,  45  doentes  com Covid-19  nas  enfermarias   (mais um em comparação com a semana passada),  2  em   Unidades de  Cuidados  Intensivos  (o número é igual) e   1   ventilado  (é, também, o mesmo número). Assim, no Algarve passaram a estar internados  48  doentes  com este vírus.

Numa    semana    em   que   faleceram,   de   novo,         nove    doentes    com    Covid-19,   desceu    para    8.751    o    número    de    casos   ativos,   correspondendo   a    menos   1.450   cidadãos infetados.  Enquanto   isso,   houve    mais    5.702    recuperados

CASOS ATIVOS E RECUPERADOS POR CONCELHO NA REGIÃO DO ALGARVE – 30 DE JUNHO DE 2022

Dados também “até  às  24:00  horas do  dia   30   de   Junho  de  2022”,  indicaram   8.751  casos ativos, situação que, numa semana, representa  menos  1.450  pessoas infetadas no Algarve. E durante esse período foram contabilizados mais  5.702  recuperados  (há uma semana tinham sido 4.536).

Ou seja, desde o início da pandemia, no dia  06 de Março de 2020, as autoridades de saúde registaram, em cumulativo,  202.879  pessoas curadas do novo coronavírus nesta região.

Por outro lado, houve mais  nove  falecidos na última semana com esta doença (curiosamente, o mesmo número da semana anterior), pelo que o total de óbitos, também desde 06 de Março de 2020, no Algarve, quando surgiu a pandemia, já ascende a  846.

8.706   pessoas,   por   precaução,   no  Domicílio,    e   2.164    em   Vigilância    Ativa,   o    que   representa   descidas    em   ambos   os   casos  

A Administração Regional de Saúde do Algarve anotou, ainda, no mesmo documento, 2.164  pessoas em Vigilância Ativa  (menos   683 em relação à outra semana) e  8.706 no Domicílio, por precaução  (menos 1.451).

Refira-se que desde o início da pandemia, a 06 de Março de 2020, no Algarve já foram confirmados  212.476 casos de infeção. 

José Manuel Oliveira

Paulo Silva

PUBLICIDADE