Ciclo de conferências “Filosofia na Cidade” está de regresso para falar sobre o papel das mulheres na música ao longo da história

27 de Maio | 18h00

 Auditório do Museu de Portimão

No próximo dia 27 de maio, pelas 18h00, o auditório do Museu de Portimão recebe mais uma conferência do ciclo “Filosofia na Cidade”, organizada pelo grupo de Filosofia do Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes, que irá abordar o tema “Silenciamento, participação e cidadania: o papel da mulher na música ao longo da história”, com a participação de Inês Thomas Almeida.

Depois de um interregno de três anos motivado pela pandemia, é desta forma retomada uma tradição em que a Filosofia, fora da sala de aula e também “fora da caixa”, se relaciona com outras áreas do conhecimento e das artes.

A conferencista convidada é a musicóloga Inês Thomas Almeida, nascida na República Dominicana e doutorada em Ciências Musicais Históricas pela Universidade Nova de Lisboa e investigadora integrada no INET-md/NOVA FCSH.

Inês Thomas Almeida foi bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia, tendo merecido a classificação máxima por unanimidade pela sua tese de doutoramento “O olhar alemão: A prática musical em Portugal em finais do Antigo Regime segundo fontes alemãs”, sob orientação de Rui Vieira Nery.

É licenciada em Canto Lírico pela Hochschule für Musik und Theater Rostock e foi bolseira da Fundação Yehudi Menuhin Live Music Now, tendo vivido na Alemanha entre 2003 e 2016, onde criou uma organização não-governamental para apoio à comunidade portuguesa em Berlim. Neste âmbito, foi responsável por inúmeras iniciativas de cariz cultural, social e humanitário e recebeu vários prémios e distinções pelos serviços prestados à comunidade.

Como musicóloga, os seus principais interesses de investigação são a música no século XVIII, literatura de viagens, mulheres e música, proto-feminismos, redes culturais transnacionais, bem como ligações entre Alemanha, Áustria e Portugal no século XVIII.

Tem publicado artigos científicos em revistas da especialidade sobre relatos de viagens em Portugal, as práticas musicais no fim do Antigo Regime, a salonnière sefardita Henriette Herz e vários outros temas relacionados com o século XVIII.

Mantém uma intensa atividade como conferencista, quer em colóquios nacionais e internacionais da sua área científica, quer nos Guias de Audição do Teatro Nacional de São Carlos e na Fundação Calouste Gulbenkian, dedicando-se de igual forma à divulgação e disseminação de conhecimento para o público não-especializado, com destaque para os webinars “Curso de Cultura Musical” e Mulheres Compositoras”.

Esta conferência, de entrada livre, tem o patrocínio da Câmara Municipal de Portimão e o apoio do Museu de Portimão, da Academia de Música de Portimão e dos Vinhos Quinta da Penina.

PUBLICIDADE