Pianista Artur Pizarro concilia música e natureza em concerto marcado para o Teatro Municipal de Portimão

30 de abril – 21h00

O TEMPO – Teatro Municipal de Portimão recebe este sábado, 30 de abril, o conceituado pianista Artur Pizarro, que escolheu para este concerto um repertório onde a música se associa à natureza através das composições de diversos autores, como Granados, Tchaikovsky ou Messiaen, entre outros, e temas como “Gli Ucceli”, “La Colombe”, “Le coucou” ou “L’alouette lulu”, numa inesquecível viagem pelo mundo das aves.

O espetáculo, produzido pela Associação Grupo Coral Adágio e Academia de Música de Portimão (AMP), culmina o conjunto de ações educativas sob o lema “Música e Biodiversidade”, levadas a cabo entre 19 e 30 de abril pelo Agrupamento de Escolas António Aleixo e própria AMP.

Os bilhetes custam 7,50 euros e podem ser adquiridos em https://tempo.bol.pt e na bilheteira do TEMPO até sexta-feira, dia 29 de abril, das 13h00 às 18h00, ou no dia do concerto a partir das 13h00 e até às 21h00.

Breve biografia de Artur Pizarro

Nascido em Lisboa em 1968, Artur Pizarro apresentou-se em público pela primeira vez aos três anos de idade e no ano seguinte apresentou-se na RTP ao lado do professor Campos Coelho (aluno de Vianna da Motta, Isidor Phillip e Ricardo Viñes) no programa “Histórias da Música”, de Victorino d’Almeida.

Entre 1974 e 1990, o pianista estudou em Portugal e nos EUA com Sequeira Costa (também aluno de Vianna da Motta e ainda de Mark Hambourg, Marguerite Long, Jacques Février e Edwin Fischer). Durante um ano frequentou ainda a classe de Aldo Ciccolini no Conservatório Nacional Superior de Paris e recebeu aulas de Bruno Rigutto. Esta linhagem deu a Artur Pizarro um raro conhecimento da escola francesa e da alemã diretamente da chamada idade de ouro do pianismo do século XX.

Artur Pizarro detém três primeiros prémios de concursos internacionais, nomeadamente o Concurso Vianna da Motta em 1987, o Greater Palm Beach Invitational Piano Competition de 1989 (onde seis primeiros prémios de concursos internacionais são convidados a competir) e o Leeds International Piano Competition de 1990, que lançou a sua respeitável carreira internacional.

Artur Pizarro atua regularmente em recitais a solo, em duo de piano com Rinaldo Zhok e em concertos de música de câmara, apresentando-se com as mais prestigiadas orquestras por todo o mundo, dirigido por maestros tais como Simon Rattle, Philippe Entremont, Yan Pascal Tortelier, Andrew Davis, Esa-Pekka Salonen, Yuri Temirkanov, Vladimir Fedoseev, Martyn Brabbins, Tadaaki Otaka, Tugan Sokhiev, Yakov Kreizberg, Yannick Nezet-Seguin, Libor Pesek, Vladimir Jurowski, Ion Marin, Julia Jones e Charles Mackerras.

As suas gravações constam nos catálogos da Collins Classics, Hyperion Records, Linn Records, Brilliant Classics, Klara, Naxos, Danacord, Phoenix Edition, Cappricio, Cavi, e Odradek Records onde recentemente completou a integral da obra para piano de Sergei Rachmaninoff e os cino concertos para piano e orquestra de Beethoven com a Sinfónica de Wuppertal, dirigida por Julia Jones. Com Rinaldo Zhok gravou dois cd, em que tocam obras de Dvořák e Beethoven para piano a quatro mãos.

Em reconhecimento da relevância da sua arte, Artur Pizarro foi galardoado com o Prémio Bordalo, o Premio SPA, a Medalha de Mérito Cultural da Cidade de Funchal e a Medalha de Mérito Cultural de Portugal, tendo recebido em 2014 o Prémio Albéniz pelo Festival Albéniz em Camprodon, Espanha, reconhecendo o trabalho na divulgação da Suite Iberia através da sua gravação e inúmeras atuações em palco.

PUBLICIDADE