Duas edições do projeto “Brincar Seguro, Correndo Riscos”, é tempo de balanço: mais de meio milhar de crianças saíram de casa com os seus educadores e divertiram-se a valer

Passadas duas edições do projeto “Brincar Seguro, Correndo Riscos”, é tempo de balanço: mais de meio milhar de crianças saíram de casa com os seus educadores e divertiram-se a valer. O sucesso destas duas edições promete o regresso de uma terceira, em data a anunciar. Tratou-se de uma “boa oportunidade para crianças e adultos socializarem entre si, para além de estimular outras vertentes positivas, como aumentar o sentido de comunidade, o respeito pela natureza e pelo espaço público”, refere o autarca, José Carlos Rolo.

Mais de meio milhar de crianças participaram no projeto “Brincar Seguro, Correndo Riscos”,traduzindo-se “numa boa oportunidade para crianças e adultos socializarem entre si, para além de estimular outras vertentes positivas, como aumentar o sentido de comunidade, o respeito pela natureza e pelo espaço público”, refere o autarca, José Carlos Rolo em forma de balanço desta atividade, com a promessa de haver uma terceira edição do projeto.

A primeira edição do “Brincar Seguro, Correndo Riscos” aconteceu na Praça e na Praia dos Pescadores, no dia 19 de março (Dia do Pai) e reuniu perto de 350 participantes. Pais, tios, avós e crianças participaram em corridas de carrinhos de rolamentos, gincanas com arcos, saltaram à corda, andaram de andas, entre muitas outras brincadeiras que alegraram todos os presentes, nesse resgate de brincadeiras tradicionais, como forma de valorização das atividades infantis, acabando por promover o desenvolvimento físico, emocional e social das crianças e aproximando diferentes gerações.

Na edição de 2 de abril, as também cerca de 350 crianças, com idades compreendidas entre os 2 e os 14 anos, acompanhadas dos seus familiares, tiveram a pista de corta-mato na Aldeia das Açoteias como palco para as suas aventuras: saltaram à corda e ao elástico, subiram às árvores, andaram de bicicleta e triciclo e participaram em jogos tradicionais da cultura portuguesa como corridas de sacos e jogo de puxar a corda, entre outros.

Para além dos objetivos já referidos, este projeto visa promover a saúde física e mental dos mais novos e, no que concerne aos “riscos”, espera potenciar competências como confiança, resiliência e criatividade.

Refira-se que Albufeira integra o grupo de trabalho “Brincar na Cidade Educadora” da Rede Territorial de Cidades Educadoras.

A terceira edição do projeto já está confirmada, com data a anunciar em breve.

PUBLICIDADE