Isilda Gomes visita empreendimento de aquacultura que produz 500 toneladas anuais de robalos e douradas na Ria de Alvor

A presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, visitou recentemente o empreendimento de aquacultura Natura Fish-Alvor, para se inteirar da amplitude deste projeto sustentável, que tem uma produção anual de 500 toneladas de robalos e douradas.

A autarca, que esteve acompanhada nesta visita de trabalho pelo vereador João Gamboa, ficou a conhecer em detalhe esta importante aquacultura de água salgada, localizada na reserva natural no estuário da Ria de Alvor, com 19 hectares de área disponível e 19 tanques para produção.

Ao beneficiar de condições naturais altamente favoráveis à sua atividade e utilizando e desenvolvendo tecnologia de ponta, a Natura Fish visa um produto de excelência, resultante de uma produção sustentável, com respeito por todos os intervenientes, sendo que pretende sobretudo atuar no mercado nacional, nomeadamente na restauração de alta cozinha.

O local utilizado é totalmente licenciado para a aquicultura e integra-se num santuário de pássaros que faz parte da Natura 2000, a rede da União Europeia de áreas de proteção da natureza, o que garante a preservação a longo prazo do meio ambiente ao seu redor, incluindo a biodiversidade e a qualidade da água, fatores essenciais para a produção de peixes naturais.

A empresa investe substancialmente em I&D e sistemas que permitam operar nos mais elevados níveis de eficiência, o que possibilita ao sistema de gestão da aquacultura reunir dados de cada tanque, permitindo monitorar remotamente e, em alguns casos, controlar a renovação da água, os níveis de oxigênio, a temperatura, a atividade de alimentação e os patógenos.

O sistema é acessível através de uma aplicação móvel, possibilitando a monitorização e o controlo remotos 24 horas por dia, sete dias por semana, ao passo que as notificações automáticas por SMS informam sobre mudanças nas condições que requerem a atenção de um ser humano, de que são exemplos as alterações incomuns no nível de oxigénio dissolvido, os níveis da água ou a atividade alimentar.

As predefinições direcionam o sistema para responder automaticamente às mudanças nas condições em cada tanque individual, sem intervenção humana, como sucede quando a concentração de oxigênio cai abaixo de um determinado nível predefinido, o que faz disparar as respetivas válvulas de oxigênio até que os níveis adequados de concentração de oxigênio sejam restaurados para dentro de limites aceitáveis, quando então as válvulas são desligadas automaticamente.

No final da visita, Isilda Gomes reconheceu os méritos deste ambicioso projeto, inserido numa das zonas mais ‘verdes’ do concelho, tendo endereçado aos responsáveis da Natura Fish-Alvor votos de pleno sucesso.

PUBLICIDADE