“A laranja doce do Jesuíta” é o nome do teatro de marionetas que animará os mais novos na 6.ª Mostra Silves Capital da Laranja

“A laranja doce do Jesuíta” é o nome do teatro de marionetas que animará os mais novos na 6.ª Mostra Silves Capital da Laranja. A iniciativa, que terá lugar no espaço Laranjinha Kids, conta com sessões dirigidas à comunidade escolar (no dia 18, pelas 11h00 e 14h00) e a famílias com crianças com idade superior a 3 anos (nos dias 19 – às 11h00, 15h00 e 16h00 –  e 20, pelas 11h00).

Serão momentos que trarão muita animação junto dos mais novos e que irão contar a história de como um jesuíta entrou nos portões da Cidade Proibida para trazer consigo uma muda da laranja mais doce e de como foi a sua aventura até chegar a Silves.

O evento cumpre as orientações da DGS. A entrada em cada sessão está condicionada à apresentação de voucher (entregue no local uma hora antes do inicio do espetáculo) e de certificação de vacinação ou teste negativo (para maiores de 12 anos).

Programa disponível em https://www.cm-silves.pt/pt/menu/1677/6-mostra-silves-capital-da-laranja.aspx

Lotação: 50 pessoas

Classificação: M/3

SINOPSE

Conta-se que depois da chegada da laranja da china, no algarve, mais precisamente em Silves, a vida das suas gentes nunca mais foi a mesma. Conta-se que até os povos da Almóada já se desentendiam devido a este belo, doce e sumarento fruto. Silves ficou no mapa pelo seu passado ligado à cultura e costumes mouriscos, mas nada é equivalente à sua fama de ser a eterna capital da laranja.

Mas como é que a laranja doce chegou a Portugal? Em Portugal só existiam laranjas amargas, mas uma vez um jesuíta visitou a Cidade Proibida na China e aí provou as laranjas mais doces que um algum dia tinha comido. Surpreso com a doçura, com muita astúcia, um dia roubou uma muda dentro do seu cajado oco. Conseguiu sair dali voltou a Lisboa aonde plantou essa muda. Daí em diante iniciou-se a disseminação do fruto, tendo este chegado ao Algarve e ter-se vingado como símbolo e comércio primordial de Silves.

Diz-se por aí, entre as gentes que esse tal de jesuíta teve a astúcia maior para passar os portões da Cidade Proibida sem que ninguém soubesse de nada, com a ajuda do seu cajado oco e de seu burrico que o transportava para todo o lado. A Cidade Proibida era um lugar somente habitado pelo imperador, sua família e serventes. Quem lá entrasse sem permissão era dolorosamente punido. O risco de ali ter entrado o jesuíta, ter conhecido as gentes do palácio e ter sido agraciado com as laranjas doces e estas terem um dia chegado a Silves, são o mote para uma história animada de teatro de fantoches.

CONDIÇÕES DE ACESSO

A entrada no recinto a maiores de 12 anos está condicionada à apresentação de certificado digital válido ou teste negativo (de acordo com as normas em vigor);

O recinto do espetáculo estará delimitado, o acesso será condicionado e controlado;

Devem evitar-se aglomerações de pessoas à entrada e à saída do recinto;

Acesso ao recinto apenas para os titulares de voucher;

Higienização das mãos à entrada e à saída;

Seguir pelos circuitos independentes de entrada e de saída;

Cumprir o período de entrada e saída de público alargado;

Entrada e saída de público desfasada, cumprindo as regras de distanciamento;

Uso obrigatório de máscara;

Não é permitido movimentar a cadeira ou mudar de lugar;

Mantenha a distância de segurança (2 metros) sempre que deambular pelo recinto;

Os espaços, equipamentos, objetos e superfícies são limpos e desinfetados periodicamente, conforme a sua frequência de utilização;

Ao aceder e permanecer no recinto o espectador consente a captação, reprodução, publicação e identificação da sua imagem e som, em quaisquer meios, incluindo nas redes sociais, para efeitos de marketing ou promocionais, a título gratuito.

PUBLICIDADE