Diretor da ONPT reúne com o cardeal PETER TURKSON, responsável pelo discatério para o serviço desenvolvimento humano integral

O Padre Miguel Neto, diretor da Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT), teve ontem, dia 20 de julho, uma reunião privada (online) com o cardeal Peter Turkson, prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

Para além de fazer uma breve resenha sobre o estado atual do sector turístico em Portugal, nomeadamente com alguns dados que se prendem com o decréscimo do número de visitantes no período pandémico, o responsável pela ONPT teve, ainda, a oportunidade de salientar ao Cardeal Turkson a importância que a Igreja poderá ter neste sector, como agente daquilo a que o Papa Francisco chamou a “ecologia integral”, sobretudo num momento em que se vivem várias crises, todas elas com ligação entre si e que geram, nos agentes que atuam nesta indústria, alguma incapacidade de adaptação às novas normas impostas.

Miguel Neto salientou estarmos perante «novas sociabilidades», bem como perante desafios que geram o «abandono de um conjunto de atividades económicas, de lugares, das paisagens, dos espaços» e que tudo isto vem criar «barreiras à visitação» contribuindo para a ausência de «receita para muitos lugares, incluindo os religiosos, que dependiam deste setor para manter a sua funcionalidade» e, logo, gerando «desemprego, vulnerabilidade num setor que ainda é muito sazonal e onde há muita fragilidade».

O sacerdote destacou, ainda, a importância que poderá ter a Igreja na reflexão e retoma desta atividade, que não voltará a ser igual ao que era e que deverá passar pela preocupação de implementação de um turismo cada vez mais sustentável. Esta reflexão, que já vem sendo promovida sobre outras questões no âmbito de uma comissão criada pelo Santo Padre para análise dos problemas gerados pela COVID 19, precisa, na opinião da ONPT, de uma abordagem específica ao turismo, pois importa que se possa «estabelecer o diálogo com os empresários, os trabalhadores, os dirigentes políticos, no sentido de colaborar na criação de medidas concretas de apoio à recuperação do sector (como medidas de criação de emprego, de promoção turística, de comunicação/divulgação, etc.)», Também será decisivo «trabalhar no sentido de preservar o património sem recorrer sistematicamente aos subsídios, buscando implementar iniciativas que a consigam autossustentar (por exemplo, criando produtos de merchandising) e contando, também, com a consciencialização dos visitantes para o papel que têm enquanto agentes que contribuem para a preservação patrimonial», explicou Miguel Neto e reforçou, igualmente, um aspeto que considera muito importante: «A nossa preocupação não passa apenas pelos locais de grandes peregrinações, que foram severamente afetados. Passa pelas pequenas comunidades, que apostam na criação de empregos, que pretendem a salvaguarda do património, que estão a desenvolver todos os esforços possíveis e vivem com dificuldades. Terá de haver uma palavra do Vaticano para as Conferências Episcopais e destas para as Dioceses, de modo que os Párocos e suas comunidades não desistam dos projetos que estão em marcha, que esses sejam considerados como fonte de criação permanente de rendimentos e não de caridade de emergência».

Nesse sentido, o diretor da ONPT referiu ao Cardeal Turkson a necessidade de existir «um espaço próprio de debate das questões do Turismo dentro do Dicastério», pois «o Vaticano e a sua ação serão sempre o motor e o escudo, que garantirão a possibilidade de agir e de fazer agir, dentro da Igreja, em qualquer âmbito e em qualquer lugar.

Esta reunião surge após o envio de uma carta pelo padre Miguel Neto logo após a sua tomada de posse como novo responsável da ONPT. «Pareceu-me importante que pudéssemos, ao nível da Igreja Universal, ter indicações muito específicas sobre este tema e não, somente, uma mensagem no Dia Mundial do Turismo, com uma reflexão sempre oportuna sobre o tema, mas que não garante canais de comunicação e estratégias de ação claras», explicou, ao referir os motivos da sua decisão.

A carta teve o melhor acolhimento do Cardeal Turkson, responsável por este Dicastério, que tem a responsabilidade, dentro da estrutura do Vaticano, sobre as questões do Turismo e surgiu a reunião privada, em que ambos os clérigos puderam conhecer-se e trocar impressões.

Desta reunião e diligências desenvolvidas pela ONPT resultou uma proposta do Cardeal Turkson: uma nova reunião (que será em princípio no dia 26 de julho), com os responsáveis da Pastoral do Turismo de Espanha e França, no sentido de todos se conhecerem, trocarem impressões e, provavelmente, definirem algumas linhas de trabalho comuns.

PUBLICIDADE