Autárquicas 2021 – Em Vila Real de Santo António, o partido Livre vai integrar a lista do PS candidata à Câmara Municipal

Um acordo estabelecido com o PS vai permitir ao partido Livre colocar um representante no quarto posto da lista socialista à Câmara de Vila Real de Santo António nas próximas eleições autárquicas, a realizar no dia 26 de Setembro de 2021, disse a candidata escolhida para o lugar.

Em declarações à Lusa, Marta Setúbal, vencedora das primárias do Livre naquele concelho algarvio, vai agora representar o partido na lista do PS liderada pelo socialista Álvaro Araújo com o objetivo de “salvar” um concelho que está “numa situação muito difícil”.

O anúncio do apoio do Livre à lista socialista, com a integração de Marta Setúbal no quarto posto da lista, vai também acompanhada da integração de Manuel Mariano, o mais votado nas primárias do Livre no concelho à Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António, no oitavo posto da lista do PS a esse órgão autárquico.

Marta Setúbal, de 35 anos, licenciada em Arquitetura e com um mestrado em Estratégia de Espaços, disse à Lusa considerar que o facto de aquela autarquia ter “a maior dívida por habitante do país” é fruto de uma “gestão muito mal feita, especialmente nos últimos quatro mandatos” de maioria PSD.

“O concelho está muito devastado, não só fisicamente como socialmente, e isto tudo se deve a uma gestão muito mal feita, especialmente nos últimos quatro mandatos. Vendo esta situação consideramos que deve haver uma ação e é importante que os partidos e os cidadãos, mesmo sem dinheiro [devido à situação económica do município], unam esforços para salvar o concelho”, afirmou.

A candidata considerou que a lista socialista liderada por Álvaro Araújo é a “única opção credível” para pôr termo a 16 anos de gestão PSD e liderar a Câmara de Vila Real de Santo António, ao incorporar “linhas gerais” importantes para o Livre, como a “transparência”, o “fortalecimento da democracia” ou na necessidade de apostar cada vez mais na “sustentabilidade”.

Marta Setúbal frisou que existem “fortes indícios de corrupção” na gestão autárquica do PSD e lembrou que a renúncia de Conceição Cabrita da presidência do município, após ser detida no âmbito de um processo relativo à venda de um terreno em Monte Gordo, é uma prova disso, sendo necessário alterar o paradigma da gestão.

Questionada sobre o regresso de Luís Gomes como cabeça de lista do PSD, depois de em 2017 ter atingido o limite de mandatos e ter apoiado a Conceição Cabrita, até aí sua vice-presidente, para o suceder, a candidata disse não entender “como consegue voltar a candidatar-se e a encarar a população de Vila Real de Santo António depois do que fez”.

Além de Luís Gomes (PSD), e de Álvaro Araújo (PS), as eleições autárquicas para a Câmara de Vila Real de Santo António contam já com outros quatro candidatos anunciados: Álvaro Leal (CDU), Celeste Santos (BE), David Costa (Chega) e Marcelo Jerónimo (Movimento independente Construir o Futuro).

Atualmente, a Câmara de Vila Real de Santo António conta com a maioria absoluta do PSD, depois de nas últimas eleições autárquicas ter conseguido quatro dos sete eleitos, contra dois do PS e um da CDU.

A Câmara de Vila Real de Santo António é atualmente presidida por Luís Romão, vice-presidente da autarquia até abril, altura em que Conceição Cabrita foi detida por suspeitas de corrupção no âmbito da “Operação Triângulo”, tendo de seguida renunciado ao mandato.

PUBLICIDADE