AUTÁRQUICAS 2021: JOÃO MARQUES APRESENTA UMA EQUIPA LIDER PARA FARO

João Marques apresentou hoje a sua candidatura à imprensa. Na presença de alguns elementos da sua equipa, os candidatos destacaram o que ambicionam para o futuro do concelho farense.

O PS Faro aprovou no passado dia 22 de Junho, por expressiva maioria, as listas candidatas aos órgãos autárquicos do concelho de Faro.

Através de um encontro com a imprensa, a candidatura do PS FARO, sob o mote “Gente de Faro, gente que faz” anunciou as listas que serão submetidas a sufrágio, bem como os grandes pilares do projeto que
pretende colocar Faro no caminho de um futuro com garantias de qualidade de vida para os Farenses.

Nas palavras de João Marques, a lista hoje apresentada é o resultado da soma de “lideranças” nas várias áreas, apresentando uma solução de futuro para o concelho, que passa por alguns candidatos que se encontram fora da ação partidária. “Temos uma lista em que, dos seis primeiros, há duas pessoas do PS. É um sinal de que não estamos
preocupados só com unanimismos de esquerdas ou direitas. Estamos preocupados em fazer o nosso projeto, com as pessoas” destacou o candidato a presidente da Câmara.

“Aceitaram o convite porque sentem esse apelo dos concidadãos farenses, de que é preciso mudar. Cada um tem a sua função e o seu contributo” disse João Marques.

A lista candidata à Câmara Municipal de Faro é formada por João Marques, Anabela Afonso (comissária do programa “365 Algarve”), Aquiles Marreiros (coordenador do órgão da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve que monitoriza a aplicação dos fundos comunitários na região), Paula Matias (coordenadora da ReFood Faro), Eusébio Pacheco (especialista em saúde púiblica), André Lara Ramos (professor e dirigente associativo), Sandra Nunes (psicóloga), Leonel Morgadinho (gestor) e Joana Tomás (médica).

“Apresentamos os seis possíveis eleitos por uma questão estratégica, para dar o sinal de que a nossa vontade é ter uma maioria reforçada na Câmara de Faro, reforçando, logicamente, a componente técnica depois no trabalho” disse João Marques.
Nas palavras de Anabela Afonso, subscritas pelos restantes candidatos, destaca-se “a coragem que o PS teve” em avançar para uma candidatura aberta à sociedade civil, “desafiando um conjunto de pessoas que não são da vida política mais tradicional”.


“Não hesitei quando o João [Marques] me fez o convite, precisamentepor causa desta ideia de equipa que afirmou hoje e por perceber que o tom deste trabalho se centrava nas características e do conhecimento no terreno e das suas áreas que estas pessoas têm” disse Anabela Afonso. A candidata apresenta um elevado conhecimento ao nível da
Cultura, sendo uma garantida mais valia para o executivo, nomeadamente para a candidatura de Faro a Capital da Cultura.

Para João Marques destacam-se 4 pilares fundamentais no projeto que pretendem para o futuro de Faro e dos Farenses: habitação, ação social, mobilidade e a doca exterior.


“Faro precisa de regressar a uma política de habitação, de habitação social e a custos controlados. Há cerca de 12 anos que não temos essa política em funcionamento no concelho, que precisa de criar condições habitacionais para as pessoas, para os mais jovens e até para uma classe média” disse o candidato, não esquecendo “os problemas que estamos a viver, na sequência da pandemia, e que vamos continuar a viver”.


João Marques salientou que “na mobilidade, falta tudo. São precisas mais ciclovias, um grande parque verde e recuperar as nossas vias da cidade. As primeiras queixas que temos recebido passam precisamente pela recuperação dos espaços públicos e vias pedonais”, destacando ainda a importância da mobilidade sustentável para um concelho como
Faro, que se quer com uma visão europeia e futurista.


João Marques, que já serviu o concelho enquanto vereador do Município de Faro, empresário na área dos seguros e atual presidente do Ginásio Clube Naval de Faro, apresentou como um dos pilares fundamentais a
construção da doca exterior, permitindo a abertura e a ligação mais proxima e vincada à zona ribeirinha, à Ria Formosa e às ilhas-barreira.“Com esta equipa, com esta abrangência, vamos conseguir dar essa resposta porque em cada um nós há uma liderança naquilo que é a sua área. O que vejo nos nossos candidatos é que acertaram em fazer aquilo
de que gostam e na área de que gostam. O que queremos é discutir o futuro. É com esse espírito que vamos trabalhar – isto é para fazer com gosto, junto das pessoas e dos farenses” disse João Marques.

O candidato afirmou querer começar a executar o projeto pretendido logo a partir do primeiro ano do mandato para que pretende ser eleito.
“Pedimos a confiança dos farenses para que acreditem neste conjunto de pessoas, para que, a partir da primeira hora, sintam que tenham retorno desse voto no trabalho na cidade” disse João Marques.
O trabalho desenvolvido pela candidatura até ao momento tem sido marcado pela auscultação dos farenses, sendo que o projeto terá em consideração todas as opiniões e sugestões até agora recolhidas.

PUBLICIDADE

Mais Artigos