Inovação social de encontro ao maior desafio da sociedade

Um projeto de coabitação intergeracional traz esperança
contra a solidão nas pessoas idosas
                                     

Sabia que Portugal é o 3º país mais envelhecido da Europa1 e o que menos investe nas pessoas idosas2?  E que temos mais de meio milhão de idosos a viver sozinhos ou isolados4?  Muito se fala da necessidade de transformar como lidamos com o envelhecimento, mas as políticas e ofertas de hoje são praticamente idênticas às de 50 anos atrás.  Não admira que haja tantos idosos deprimidos e que sejam o grupo etário com o risco mais alto de suicídio3.

A Lar no Lar é um projeto de coabitação inter-geracional que nasce no Algarve e propõe uma alternativa a envelhecermos desvalorizados e esquecidos. O nosso objetivo é reduzir o número de pessoas idosas a viver em isolamento social através da utilização de um recurso que muitas têm: um quarto vazio em casa.  A ideia é simples e fácil de explicar em 6 passos:


O isolamento social nos idosos surge de uma situação bilateral
: a sociedade desvaloriza e afasta o indivíduo, algo que normalmente começa com a reforma.  De retorno, o indivíduo ao se sentir desvalorizado, exclui-se a ele próprio da sociedade. 

A Lar no Lar pretende ser uma escolha preventiva para ajudar as pessoas idosas a se manterem ativas, independentes e autónomas durante mais tempo, adiando a necessidade de apoios sociais e institucionalização, reduzindo desta forma custos para o Estado e disponibilizando recursos para pessoas que não têm outras alternativas viáveis.  Ao viver com alguém de uma geração mais recente, a pessoa idosa tem a oportunidade de continuar a contribuir para sociedade: para além da contribuição com o quarto, pode tornar-se amiga, conselheira, mentora; partilhando conhecimentos, experiências e sentir-se útil.  A Lar no Lar vê a pessoa idosa como alguém que deve ser valorizado precisamente pela sua longa experiência de vida. 

Espera-se que os efeitos positivos da Lar no Lar possam vir a ser também sentidos nas vidas dos coabitantes e que estes efeitos se traduzam noutros benefícios para a sociedade:  A Lar no Lar contribui para a disponibilidade de habitação digna a custos acessíveis;  ao poupar na habitação, a/o coabitante pode investir em qualquer outra coisa que lhe seja importante como educação, viagens ou ajudar familiares, mas mais dinheiro disponível contribui para melhor qualidade de vida e maior autoestima.  Espera também contribuir para uma atitude mais positiva para com o envelhecimento e diminuição de discriminação contra as pessoas idosas.

A Lar no Lar segue as diretrizes de boas práticas recomendadas pela Homeshare International – uma organização que apoia estes projetos em todo o mundo.  Aspira vir a crescer e atuar em todo o território nacional e poder medir o impacto da sua atividade para contribuir para estudos científicos acerca do envelhecimento e vir a ser auto-sustentável.

Se deseja um pouco mais de informação, veja uma apresentação de 2 minutos que explica a história da Lar no Lar, veja este vídeo.

Se tem 5 minutos e quer compreender a relevância deste tipo de projetos, veja esta apresentação.

Grata pela atenção dedicada, subscrevo-me com os melhores cumprimentos, ficando disponível para quaisquer questões e esclarecimentos.

PUBLICIDADE

Mais Artigos