SUPERMERCADOS COVIRAN DEIXAM DE UTILIZAR SACOS DE PLÁSTICO NÃO BIODEGRADÁVEIS

  • A Cooperativa reforça a sua visão e valores ao implementar boas práticas que se destacam pelo aumento da consciência de um consumo e ambiente sustentável.
  • A eliminação de sacos de plástico que não sejam biodegradáveis antecede a previsão legislativa que proíbe a utilização de produtos plásticos de utilização única.

Com a missão de consciencializar para um consumo e adoção de um modelo de negócio mais sustentável e respeitoso para com o meio ambiente, a Coviran tem trabalhado em diferentes iniciativas com o objetivo de reduzir, o mais possível, a utilização de sacos de plástico nos pontos de venda e nos centros logísticos.

De facto, os hábitos dos portugueses mudaram e hoje a preocupação ambiental ganhou novos contornos implicando uma nova responsabilidade de consumo. Nesse sentido, a Cooperativa partilhou com os seus sócios a eliminação da utilização de sacos de plástico nas suas lojas, permitindo apenas os sacos biodegradáveis.

Na verdade, há cerca de seis anos iniciou-se uma nova era no que respeita à utilização de sacos de plástico nos supermercados onde estes passaram a ser pagos, registando-se um decréscimo no seu consumo. Esta situação, que acabou por se alargar aos sacos ultra-leves, comummente utilizados para transporte de fruta, padaria, deu origem à proibição de sacos de utilização única, que se prevê arrancar em 2023.

Alternativas ao plástico

A Coviran tem vindo a oferecer alternativas que têm registado uma grande aceitação por parte dos clientes. Uma dessas alternativas são os sacos de ráfia comemorativos das cidades da coleção exclusiva “A arte de fazer compras”. Estão também disponíveis os sacos de ráfia vermelha e o saco de papel bio reutilizável. A Cooperativa lançou também sacos de malha reutilizáveis para frutas e legumes.

Na Coviran, trabalhamos sempre para tornar as nossas lojas e produtos mais sustentáveis e temos total consciência da importância de reduzir a nossa pegada ambiental”, comenta Acácio Santana, Diretor Geral da Coviran Portugal. Sobre esta decisão, o responsável reforça que “esta medida surge em conformidade com os nossos princípios de responsabilidade ambiental e vem satisfazer a vontade dos nossos parceiros e clientes, também eles ambientalmente conscientes. Não podemos querer ser uma marca de referência sem apresentarmos uma política sustentável”.

Nos centros logísticos também se implementou a política de reduzir a utilização de plástico. Só em filme, um material imprescindível no processo de selagem dos alimentados transportados em paletes, utilizaram-se menos 5 toneladas que no ano anterior (-4,34%), um dado que também se reflete nas poupanças económicas dos centros de trabalho da Coviran.

PUBLICIDADE

Mais Artigos