Os 10 jogadores com mais jogos pelo Campinense na II Divisão

Fundada a 12 de dezembro de 1947, o Juventude Sport Campinense atingiu o momento mais alto da sua história em 1984-85, quando participou na II Divisão Nacional e concluiu o campeonato da Zona Sul no 16.º e último lugar. 
Essa presença no segundo escalão do futebol português surgiu no culminar de uma ascensão que levou o emblema de Campinas de Loulé pela primeira vez aos campeonatos nacionais em 1979, quando subiu à III Divisão.
Em 1988 voltou a cair nos distritais da AF Algarve, tendo regressado voltado a marcar presença na III Divisão entre 2006 e 2007.

Nessa única presença, 28 futebolistas jogaram pelo Campinense na II Divisão. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.

10. Ucha (17 jogos)

Ucha

Defesa central nascido em Moçambique que passou pelas camadas jovens do Sporting, reforçou o Campinense no verão de 1984, aquando da subida à II Divisão, já após ter passado pelo Elvas e pelo Esperança de Lagos.No segundo escalão disputou 17 encontros (16 a titular), não evitando a despromoção.
Após a descida à III Divisão rumou ao Quarteirense, tendo ainda passado por Estrela de Portalegre, Oliveirense e Portosantense antes de pendurar as botas.

9. Vitinha (19 Jogos)

Extremo esquerdo que concluiu a formação no Farense e passou ainda pelo 11 Esperanças, reforçou o Campinense no verão de 1983, contribuindo assim para o segundo lugar na III Divisão – Série F e consequente promoção à II Divisão em 1984.
No segundo escalão atuou em 19 partidas, mas foi titular em apenas três, e marcou um golo ao Atlético, insuficiente para evitar a despromoção.
Após a descida de divisão mudou-se para o Almancilense, mas voltou a representar a formação de Campinas de Loulé entre 1986 e 1988, na III Divisão.

8. José Inácio (20 Jogos)

José Inácio

Extremo direito de baixa estatura e veloz nascido em Alcantarilha, iniciou a carreira no Farense, tendo chegado a jogar na I Divisão. Sem espaço nos leões de Faro, passou pelo Silves, mas em 1981 voltou ao sotavento algarvio para representar o Campinense.Após ter perseguido a subida à II Divisão nas duas primeiras épocas em Campinas de Loulé, conseguiu-a finalmente na terceira, em 1983-84.
Na temporada seguinte participou em 20 encontros (17 a titular) no segundo escalão e apontou dois golos, frente a Odivelas e Torralta.
Haveria de continuar no clube até 1987, rumando depois ao Quarteirense.

7. Hélder (24 Jogos)

Hélder

Avançado de posição, representou Esperança de Lagos e Cova da Piedade antes de reforçar o Campinense no verão de 1984, aquando da subida à II Divisão.Ao serviço da formação do concelho de Loulé atuou em 24 partidas no segundo escalão, não conseguindo evitar a despromoção.
Depois rumou ao Vialonga, tendo ainda voltado ao Esperança de Lagos e passado por outros clubes algarvios antes de pendurar as botas.

6. Pena Vasques (25 Jogos)

Pena Vasques

Lateral esquerdo natural de Castro Marim e que despontou no Lusitano VRSA, chegou pela primeira vez ao Campinense em 1977, tendo participado na conquista do título distrital de 1978-79, o primeiro da história do clube.Em 1982 mudou-se para o Quarteirense, mas voltou a Campinas de Loulé no ano seguinte para contribuir para a inédita promoção à II Divisão.
No segundo escalão atuou em 25 jogos (todos como titular), mas não conseguiu impedir a descida à III Divisão.
Haveria de permanecer no clube até 1988, encerrando depois a carreira no Leões de Tavira.

5. Ângelo (25 jogos)

Ângelo Capote

Disputou o mesmo número de jogos de Pena Vasques, mas amealhou mais 143 minutos em campo – 2220 contra 2077.Médio também conhecido por Ângelo Capote, nasceu em Sintra, concluiu a formação no Belenenses, jogou no Desp. Chaves e no Tirsense, mas aos 21 anos radicou-se no Algarve e fez o resto da carreira no futebol algarvio.
Após passagens por Farense e Silves, reforçou o Campinense no verão de 1984, aquando da promoção à II Divisão, tendo disputado 25 jogos (todos a titular) no segundo escalão e apontado um golo ao Lusitano Évora, insuficiente para evitar a despromoção.
Depois mudou-se para o Torralta e passou ainda por Imortal e Alvorense antes de pendurar as botas.

4. Barriga (26 Jogos)

Barriga

Médio formado no Farense e com passagens por Silves e Louletano, reforçou o Campinense no verão de 1982, a tempo de contribuir para a promoção à II Divisão dois anos depois.No segundo escalão atuou em 26 encontros (22 a titular) e marcou três golos, frente a BarreirenseAtlético e Nacional, não conseguindo ainda assim impedir a descida à III Divisão.
Haveria de permanecer mais uma época no clube, tendo depois voltado ao Louletano e passado por clubes algarvios como Quarteirense, Leões de Tavira e Padernense.

3. Balela (26 jogos)

Manuel Balela

Disputou o mesmo número de jogos de Barriga, mas amealhou mais 550 minutos em campo – 2274 contra 1724.
Mais conhecido pelo seu trabalho como treinador, uma vez que orientou o Farense na I Divisão duas ocasiões, Manuel José Marques Pires herdou a alcunha “Balela” do pai e jogava no meio-campo. Após cinco temporadas na equipa principal dos leões de Faro, onde nunca teve grande espaço, mudou-se para o Campinense no verão de 1980 e quatro anos depois contribuiu para a promoção à II Divisão.
Titular indiscutível em Campinas de Loulé, atuou em 26 partidas (25 a titular) no segundo escalão e apontou três golos, frente a AtléticoOlhanense e Lusitano Évora.
Após a descida de divisão encerrou a carreira de futebolista, quando ainda tinha 28 anos, e iniciou a de treinador.

2. Arménio (28 jogos)

Arménio

Defesa central natural de Almancil, fez toda a carreira no concelho de Loulé, à exceção de um ano de júnior em que vestiu a camisola do Farense.Depois de ter representado Quarteirense e Louletano, transitou para o Campinense no verão de 1982, tendo formado uma boa dupla com Joaquim Sequeira no eixo defensivo e contribuído para o segundo lugar na III Divisão – Série F e consequente promoção à II Divisão dois anos depois.
Em 1984-85, na zona sul do segundo escalão, participou em 28 jogos e marcou um golo ao Atlético, mas não conseguiu evitar a despromoção.
Ainda se manteve mais um ano no clube, mas depois voltou ao Quarteirense, tendo ainda passado por Almancilense e Salir antes de pendurar as botas.
Depois tornou-se treinador, tendo orientado clubes como Salir, ImortalLouletano, Quarteirense e Silves.

1. João Luís (29 jogos)

João Luís

Por último, o guarda-redes da equipa, que participou em 29 das 30 jornadas e sofreu 66 golos.Natural de Vila Real de Santo António, começou a jogar com regularidade na equipa principal do Lusitano VRSA ainda em tenra idade, tendo passado por Atlético e Farense e jogado na I Divisão ao serviço de Olhanense e Sp. Espinho antes de voltar ao clube onde despontou e rumar ao Campinense no verão de 1983, aos 32 anos.
Embora já em fim de carreira, foi um dos esteios da equipa que logrou a promoção da formação de Campinas de Loulé à II Divisão em 1984, não evitando um rápido regresso ao terceiro escalão no ano seguinte.
Após a despromoção pendurou as luvas.

Autor: DAVID PEREIRA

PUBLICIDADE

Mais Artigos