Diversos

PRESIDENTE DA ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO ALGARVE, PAULO MORGADO: “ESTIMAM-SE QUE, PELO MENOS, SETE MILHÕES DE PESSOAS POSSAM SER VACINADAS CONTRA O COVID-19” EM PORTUGAL

“Se para a gripe o país irá vacinar cerca de dois milhões de pessoas, do ponto de vista do Covid estimam-se que, pelo menos, sete milhões de pessoas possam ser vacinadas”, perspetivou Paulo Morgado, presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Algarve.  Novo coronavírus  obriga, também, a  contratar  mais  profissionais de saúde para esta região.

Pelo menos sete milhões de pessoas poderão ser vacinadas em Portugal, no início do próximo ano, contra o novo coronvírus, Covid-19. E já a partir do dia 28 de Setembro de 2020, cerca de dois milhões de cidadãos neste país deverão receber a vacina contra a gripe, numa altura em que se aproximam o Outono e o Inverno. É essa a perspetiva do presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, Paulo Morgado, que aponta, também, para o reforço de médicos, enfermeiros e outros profissionais nos hospitais e centros de saúde desta região.

VACINAÇÃO    CONTRA     A   GRIPE    “SERÁ,   TAMBÉM,   DE    CERTA    MANEIRA,    UM    TESTE    PARA    A    VACINAÇÃO    COVID  QUE   ACONTECERÁ     MUITO    PROVAVELMENTE      NO    INÍCIO     DO    PRÓXIMO    ANO”

“Estamos a trabalhar, a iniciar o processo para a vacinação da gripe, que irá decorrer muito provavelmente a partir da semana 40   (28 de Setembro de 2020 – n.d.r.) e se vai prolongar até ao mês de Dezembro. Este processo de vacinação é um processo que se reveste de especial importância porque será, também de certa maneira, um teste para a vacinação Covid, que acontecerá muito provavelmente no início do próximo ano. Isto, se tudo correr bem com as vacinas que estão neste momento em estudo e se forem aprovadas, se forem consideradas seguras para serem administradas”, afirmou, em conferência de imprensa, o presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve.

“O    PAÍS    VAI   TER    MAIS   VACINAS    DO    QUE    TEVE   NO    ANO     PASSADO”

“Como sabem – prosseguiu Paulo Morgado – há um procedimento centralizado da Comissão a nível da União Europeia, no qual Portugal e, obviamente, o Algarve, está também incluído, e serão distribuídas vacinas a nove países e também distribuídas vacinas às regiões em termos de funcionamento. De certa maneira, esta vacinação da gripe vai ser mais uma vacinação. O país vai ter mais vacinas do que teve no ano passado. Vai ter de ser mesmo  um teste para a vacinação do Covid, embora a vacinação do Covid se pretenda que seja uma vacinação muito mais alargada do que a vacinação da gripe”.

E acrescentou: “Se para a gripe o país irá vacinar cerca de dois milhões de pessoas, do ponto de vista do Covid estimam-se que, pelo menos, sete milhões de pessoas possam ser vacinadas. Portanto, logicamente será muitíssimo superior. Mas este é um processo complexo que estamos a tentar montar e que, obviamente, a seu tempo, depois, daremos nota sobre esta situação”.

COVID-19      OBRIGA     À       CONTRATAÇÃO    PELO    SERVIÇO    NACIONAL    DE    SAÚDE   DE      MAIS     MÉDICOS,    ENFERMEIROS,   TÉCNICOS    E    ASSISTENTES   NO   ALGARVE

Por outro lado, Paulo Morgado referiu que “do ponto de vista daquilo que é a capacitação do Serviço Nacional de Saúde para dar resposta a estas questões, até ao momento a Administração Regional de Saúde do Algarve já contratou 189 profissionais –

49 enfermeiros, 18 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, 42 assistentes técnicos, 77 assistentes operacionais e três técnicos superiores”.

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) – que inclui os hospitais de Faro, Portimão e Lagos –  por seu turno, especificou Paulo Morgado, “contratou seis médicos, 47 enfermeiros, cinco técnicos de diagnóstico e terapêutica, 16 assistentes técnicos, 54 assistentes operacionais e mais quatro técnicos superiores”. E adiantou: “Vamos, também, contratar um conjunto de nove médicos para apoio às nossas Unidades de Saúde Públicas, um técnico de farmácia, nove psicólogos e sete técnicos de diagnóstico e terapêutica. Estes concursos estão previstos para serem abertos em breve. E ainda mais 29 assistentes técnicos e 13 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica”. “Portanto, há aqui um esforço da parte das instituições, quer seja da ARS Algarve, enquanto responsável pelos Cuidados de Saúde Primários, quer, também, do CHUA, no sentido de reforçar a sua capacidade em termos de profissionais”, sublinhou Paulo Morgado, observando que, neste “reforço de capacidade que tem sido feito, relacionado com o Covid, obviamente, também há que adicionar aquilo que é, digamos, a atividade normal em termos de contratação”.

TRINTA    E     CINCO    VAGAS    DESTINADAS  A     ESPECIALISTAS    DE    MEDICINA     GERAL       E    FAMILIAR     PARA     OS     CENTROS     DE     SAÚDE    E    QUARENTA   E   DUAS     PARA     MÉDICOS    NOUTRAS    ESPECIALIDADES    NOS   HOSPITAIS   DA   REGIÃO    

Aquele responsável lembrou, ainda, que “também estão abertos concursos para contratação de médicos especialistas, quer para a ARS Algarve, quer para o CHUA”. “A ARS Algarve irá contratar  –  abriu ou vai abrir 35 vagas –  para os seus centros de saúde especialistas de medicina geral e familiar. E o CHUA tem 42 vagas abertas para a contratação de médicos especialistas em várias especialidades, em muitas especialidades, para as suas unidades hospitalares”, em Faro, Portimão e Lagos. Isto, recorde-se, numa altura em que esta região se debate com falta de clínicos, nomeadamente nas especialidades de ortopedia, oftalmologia, urologia e cardiologia, entre muitas outras.

“Portanto, há aqui um grande esforço do ponto de vista de dotar as instituições dos profissionais que são necessários para poderem dar uma resposta mais satisfatória àquilo que é este desafio que está colocado”, concluiu Paulo Morgado, presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Algarve

José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta