Diversos

“O FILHO DE SOUSA CINTRA NÃO DIZ COISA COM COISA E É UM RISCO ESTAR EM LIBERDADE”, CONTA, AO LITORALGARVE, POPULAR EM VILA DO BISPO

Detido na terça-feira, dia 15 de Setembro de 2020, por militares da Guarda Nacional Republicana de Vila do Bispo, Miguel de Sousa Cintra estava barricado na sua vivenda junto  à praia da Ingrina, após ter feito vários disparos contra máquinas industriais. Autoridades encontraram 18 armas e várias munições de diversos calibres em casa do  suspeito, populares receiam a sua presença na zona e família pede o internamento compulsivo devido a  problemas psiquiátricos. Foi presente, na quarta-feira, 16/09/2020, ao Tribunal Judicial de Portimão e saiu em liberdade, ficando proibido de utilizar armas, entre outras medida de coação.

“O filho de Sousa Cintra não diz coisa com coisa, não tem um discurso correto, coerente. Quem fala com ele, percebe logo que sofre de problemas psíquicos. Saiu recentemente de uma clínica em Cascais, onde esteve internado, mas a situação mantém-se. Os vizinhos estão com muito medo dele.”

É este o testemunho de um popular, residente em Vila do Bispo, que, em declarações ao Litoralgarve, alerta para o risco que representa Miguel de Sousa Cintra, de 51 anos e filho único do antigo presidente da Direção do Sporting Clube de Portugal, ter ficado em liberdade, após ser detido, na terça-feira, dia 15 de Setembro de 2020, por militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) daquela localidade e na presença de inspetores da Polícia Judiciária (PJ), na sua vivenda situada perto da praia da Ingrina, neste concelho do barlavento algarvio, onde se tinha barricado, com um arsenal de armas descoberto pelas autoridades. Pouco antes, de acordo com populares, Miguel de Sousa Cintra fez vários disparos contra máquinas industriais e viaturas naquela zona turística da costa vicentina.  A família já requereu o seu internamento compulsivo devido a problemas psiquiátricos. O pai reconhece que o filho está doente.

“FALA     A    GUARDA    NACIONAL     REPUBLICANA.   SAIA    DE    CASA     COM    OS    BRAÇOS     NO    AR”

“Fala a Guarda Nacional Republicana. Saia de casa com os braços no ar”, pediu um militar negociador desta força de segurança, utilizando para o efeito um megafone junto à moradia de Miguel de Sousa Cintra, onde o filho do empresário e antigo presidente da Direção do Sporting Clube de Portugal era visto na varanda, com uma arma e a andar de um lado para o outro. Acabou por sair sem oferecer resistência às autoridades, tendo passado a noite numa cela do posto da GNR de Vila do Bispo, onde lhe foi servida uma refeição proveniente do lar da Santa Casa da Misericórdia, situado em Sagres.

JÁ    TINHA   PROVOCADO   PROBLEMAS    NO    SÁBADO    NA    ZONA     DA     INGRINA  E    AS    PESSOAS    ESTÃO     COM    RECEIO

Miguel de Sousa Cintra já tinha provocado problemas no passado sábado, dia 12/09/2020, com armas de fogo, na zona da Ingrina, onde está situada a sua vivenda, ao ponto de vizinhos e outros populares recearem a sua presença. “O problema dele é a dependência de bebidas alcoólicas”, dizem, ao Litoralgarve, moradores no concelho de Vila do Bispo, enquanto que outros falam no consumo de estupefacientes. Contudo, esta última versão é afastada por quem já acompanhou o filho de Sousa Cintra.

“O  INDIVÍDUO   ESTAVA    SOB    INFLUÊNCIA   DO    ÁLCOOL,  TENDO   ACUSADO   UMA   TAXA   DE   ÁLCOOL    NO    SANGUE   SUPERIOR    A    1,2    GRAMAS    POR    LITRO”,    REVELA    A    GNR   

Entretanto, em comunicado enviado durante a tarde de quarta-feira, dia 16/09/2020, aos órgãos de comunicação social, o Comando Territorial de Faro da GNR justificou a detenção de Miguel de Sousa Cintra “por disparos de arma de fogo contra máquinas industriais, em Vila do Bispo”, na via pública, após denúncia de um popular às autoridades. “O indivíduo estava sob influência do álcool, tendo acusado uma taxa de álcool no sangue superior a 1,2 gramas por litro”, refere o comunicado.

APREENDIDAS   18     ARMAS   E   VÁRIAS   MUNIÇÕES    DE   DIVERSOS    CALIBRES

Na sequência da detenção, foi apreendido o seguinte material na moradia: “seis caçadeiras, cinco carabinas, quatro armas de ar comprimido, uma pistola very light, dois punhais, várias munições de diversos calibres”. A GNR acrescenta que, “no passado dia 12 de Setembro, havia sido detido pela mesma conduta”.

FOI    OUVIDO    NO   TRIBUNAL    JUDICIAL    DE    PORTIMÃO    E    SAIU    EM    LIBERDADE

Miguel de Sousa Cintra foi presente ao Tribunal Judicial Portimão  na quarta-feira, dia 19/09/2020, tendo saído em liberdade. Fica proibido de utilizar armas e é obrigado a tratamento médico.

Paulo Silva

José Manuel Oliveira 

Deixe uma resposta