“O VENTO CONTINUA A SER O PIOR PROBLEMA” NO COMBATE AO INCÊNDIO QUE ATINGE O CONCELHO DE VILA DO BISPO

Reativações durante a noite, “com maior ou menor dificuldade, todas foram extintas”, afirmou o Comandante Operacional do Distrito de Faro, Vítor Vaz Pinto, em conferência de imprensa.

“Hoje, domingo, há mais vento, de norte e noroeste, na zona de Barão de São Miguel, mas o incêndio encontra-se circunscrito e com os muitos meios colocados no terreno, existe capacidade de resposta por parte da Proteção Civil, pelo que a situação está controlada”. Quem diz, em declarações ao Litoralgarve, é o presidente da Junta de Freguesia de Barão de São Miguel, Alberto Encarnação, numa altura em que a maior parte da área ardida nesta zona do concelho do Vila do Bispo, é mato, a que se juntam pinheiros e eucaliptos. Segundo apurámos, mais de 60 por cento dos terrenos atingidos pelo fogo, são mato.

64 pessoas – 30 na zona da Pedralva e as restantes 34 na zona de Barão de São Miguel e Vinha Velha, tiveram de ser deslocadas pela Guarda Nacional Republicana, por medida de precaução

Na conferência de imprensa realizada pouco depois das 13.00 horas deste domingo, dia 21 de Junho, no Centro Escolar de Budens, para fazer o ponto da situação do incêndio que  teve início na sexta-feira, em Vilarinha, no concelho de Aljezur, e já se estendeu, arrastado pelo vento intenso, aos concelhos de Vila do Bispo e de Lagos, o Comandante Operacional Distrital de Operações de Socorro, Vítor Vaz Pinto, referiu que “foram deslocadas pela Guarda Nacional Republicana, por questões de segurança, 64 pessoas – 30 na zona da Pedralva e as restantes 34 na zona de Vinha Velha e em Barão de São Miguel”.

Várias pessoas retiradas das suas habitações, “já voltaram, não tendo perdido nada”, enquanto que outras, sobretudo alemães e ingleses, “estão alojadas em casas de familiares”, esclareceu, em declarações ao Litoralgarve, o presidente da Junta de Freguesia de Barão de São Miguel, Alberto Encarnação

“Houve pessoas que foram retiradas das suas habitações, por precaução, e já voltaram, não tendo perdido nada”, esclareceu, durante esta tarde, ao Litoralgarve, o presidente da Junta de Freguesia de Barão de São Miguel, Alberto Encarnação. “As que perderam, estão alojadas em casas de familiares. São, sobretudo, cidadãos alemães e ingleses. Todas as pessoas que, por medida de precaução, foram levadas das suas habitações pela GNR, saíram de forma pacífica”, acrescentou o autarca. 

Mais de 1.000 papo-secos foram oferecidos, aos operacionais que estão no terreno, pela Junta de Freguesia de Budens e pelo proprietário da padaria desta localidade do concelho de Bispo, enquanto um popular residente na Figueira deu 150 croissants

Por seu turno, Fábio Mateus, presidente da Junta de Freguesia de Budens, localidade onde está instalado o Comando Operacional, disse ao Litoralgarve, que “o vento continua ser o pior problema” no combate às chamas. “A Junta de Freguesia de Budens tem adquirido produtos alimentares, nomeadamente sandes e fruta, para entregar aos operacionais que estão no terreno. Hoje, domingo, comprámos 850 papo-secos, e um popular da localidade da Figueira ofereceu 150 croissants. Também a padaria de Budens ofereceu 200 papo-secos e a Santa Casa da Misericórdia de Vila do Bispo colaborou na confeção de refeições”, contou o autarca Fábio Mateus.

Houve, durante a noite, “um conjunto de reativações de maior ou menor intensidade, tendo sido “todas extintas”, afirmou o Comandante Operacional Distrital, Vítor Vaz Pinto

Na última noite, neste incêndio que atinge, neste momento, sobretudo o concelho de Vila do Bispo, registou-se “um conjunto de reativações de maior ou menor intensidade. Com maior ou menor dificuldade, todas foram extintas”, sublinhou o comandante Vítor Vaz Pinto.

Autor: José Manuel Oliveira

PUBLICIDADE