COMO ESTÁ A EVOLUIR O NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19) A NÍVEL NACIONAL E NO ALGARVE – DIA 19 DE JUNHO DE 2020

Dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, no dia 19 de Junho de 2020, indicam este quadro relativo à evolução do novo coronavírus (Covid-19), no nosso país:

  • Número total de casos confirmados acumulados – 38.464 (mais 375 do que no dia 18 de Junho de 2020)
  • Número total de recuperados – 24.477 (mais 467 do que no dia 18 de Junho de 2020)
  • Número total de internados – 422 (mais 06 do que no dia 18 de Junho de 2020)
  • 67 em Unidades de Cuidados Intensivos (o mesmo número do dia 18 de Junho de 2020)
  • Número total de casos suspeitos acumulados desde 01/01/2020 – 359.579 (mais 2.288 do que no dia 18 de Junho de 2020). Do total dos casos suspeitos, 319.585 não se confirmaram (mais 1.720 do que no dia 18 de Junho de 2020).

Entretanto, 1.530 pessoas (mais 193 do que no dia 18 de Junho de 2020) aguardam os resultados laboratoriais aos testes efetuados, ao mesmo tempo que 29.046 (menos 1.380 do que no dia 18 de Junho de 2020) estão sob vigilância das autoridades de saúde.

  • Número total de óbitos – 1.527 (mais 03 do que no dia 18 de Junho de 2020. Dois falecimentos ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo e um no Centro do país.)

A região Norte continua a ser a mais afetada, em Portugal, pela Covid-19, agora com 17.236 casos de infeção confirmados acumulados desde o início da pandemia (mais 28 do que no dia 18/06/2020) e 813 óbitos (sem alteração).

Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo que atingiu 16.255 casos de infeção confirmados acumulados (mais 284 do que a 18/06/2020) e 435 mortos (mais 02 do que a 18/06/2020).

A região Centro contabiliza 3.955 casos de infeção confirmados acumulados (mais 21 do que no dia 18/06/2020) e 247 óbitos (mais um do que no dia 18/06/2020).

O Alentejo regista agora 304 casos de infeção acumulados (mais 09 do que no dia 18/06/2020) e 02 falecimentos (sem alteração).

Na Região dos Açores, a Direção-Geral da Saúde continua a indicar 143 casos de infeção acumulados e 15 óbitos.

Já a Madeira subiu para 91 o número de casos de infeção acumulados (houve mais um caso, desde 07/05/2020) e nenhum óbito até à data.

Em Portugal existem 12.460 casos ativos de coronavírus a serem tratados pelas autoridades de saúde (menos 95 do que no dia 18 de Junho de 2020).

ALGARVE

Direção-Geral da Saúde indica mais 32 casos de infeção nesta região

De acordo com o relatório da Direção-Geral da Saúde no dia 19 de Junho de 2020, há um total de 480 casos de infeção confirmados acumulados no Algarve. Desta forma, mais trinta e duas pessoas estão infetadas com Covid-19, na sua maioria devido à festa em Odiáxere, no concelho de Lagos.

Há 15 óbitos no Algarve, refere a Direção- Geral da Saúde, enquanto que a Autoridade de Saúde Regional volta a confirmar 17 falecimentos desde o início da pandemia

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde mantém, no dia 19 de Junho de 2020, um total de 15 óbitos no Algarve desde o início da pandemia da Covid-19. Já a Delegada de Saúde Regional, Ana Cristina Guerreiro, na habitual conferência de imprensa semanal, em Loulé, confirma 17 mortes, como de resto o Litoralgarve tem referido.

Os óbitos conhecidos no Algarve são:

  • 3 em Portimão
    As vítimas mais recentes da Covid-19, recorde-se, são um cidadão sexagenário, de nacionalidade espanhola, que vivia neste concelho do barlavento algarvio, e uma senhora idosa, portuguesa, que tinha em Portimão a sua segunda habitação. Acabou por falecer nesta cidade. Lisboa era o seu local de residência habitual.
  • 1 em Quarteira, no concelho de Loulé
  • 5 em Boliqueime, no concelho de Loulé
  • 1 no concelho de São Brás de Alportel
  • 2 em Vila Real de Santo António
  • 2 no concelho de Albufeira
  • 2 no concelho de Lagoa

Algarve já tem 330 recuperados de Covid-19

Casos de recuperação conhecidos no Algarve:

  • 81 no concelho de Loulé
  • 69 no concelho de Albufeira
  • 50 no concelho de Faro
  • 40 no concelho de Portimão
    -28 no concelho de Tavira
  • 15 no concelho de Vila Real de Santo António
  • 17 no concelho de Silves
  • 13 no concelho de Olhão
  • 08 no concelho de Lagoa
  • 04 em Lagos
  • 02 no concelho de Castro Marim
  • 01 no concelho de Monchique
  • 02 no concelho de São Brás de Alportel

Aumentam os casos de contágio no Algarve, na sequência da festa em Odiáxere, no concelho de Lagos

Informações recolhidas indicam que, no concelho de Loulé, ascende a 103 o número de casos de infeção confirmados acumulados desde o início da pandemia da Covid-19. Segue-se, com 83 casos, o concelho de Albufeira. Depois, aparecem Faro (59), Tavira (34) e Silves (21). O concelho de Vila Real de Santo António contabiliza 20 casos de infeção confirmados (acumulados), Olhão (14) e Lagoa (13), enquanto que o de Portimão já apresenta 59 casos ativos, na sequência da festa em Odiáxere, perto de Lagos.
No concelho de Castro Marim, a Direção-Geral da Saúde continua a indicar 03 casos de infeção acumulados. No concelho de Lagos, ao final da tarde do dia 19 de Junho de 2020, já havia 90 pessoas infetadas, devido ao já referido evento ocorrido no salão do Clube Desportivo de Odiáxere.

Três pessoas infetadas no concelho de Vila do Bispo e outras sob vigilância das autoridades de saúde

São Brás de Alportel regista 03 casos de infeção, dois deles já dados como recuperados. O concelho de Monchique tem agora mais um caso de infeção, depois de ter sido recuperada uma senhora em Alferce.
Já em Vila do Bispo, um comunicado do presidente da Câmara Municipal, Adelino Soares, revela a existência de “três casos de pessoas com morada fiscal no concelho”, contaminadas pelo novo novo coronavírus (Covid-19), situação associada à festa em Odiáxere, enquanto que outras estão de quarentena, sob vigilância das autoridades de saúde. No Algarve, agora só os concelhos de Aljezur e Alcoutim continuam livres da pandemia.

Recorde-se que o Boletim Epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde indica, apenas, o “total de notificações clínicas no sistema SINAVE, correspondente a 91 por cento dos casos confirmados.” E quando os casos confirmados são “inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados”. Daí poder existir discrepância entre números divulgados.

José Manuel Oliveira

PUBLICIDADE