COMO ESTÁ A EVOLUIR O NOVO CORONAVÍRUS COVID-19 A NÍVEL NACIONAL E NO ALGARVE – DIA 14 DE JUNHO DE 2020

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, no dia 14 de Junho de 2020 a situação do novo coronavírus Covid-19 em Portugal é a seguinte:

– Número total de casos confirmados acumulados – 36.690  (mais 227 do que no dia 13 de Junho de 2020)

– Número total de recuperados – 22.669  (mais 231do que no dia 13 de Junho de 2020)

– Número total de internados – 419  (menos 09 do que no dia 13 de Junho de 2020)

73 em Unidades de Cuidados Intensivos  (menos 04 do que no dia 13 de Junho de 2020)

– Número total de casos suspeitos acumulados desde 01/01/2020 – 349.997  (mais 1.160 do que no dia 13 de Junho de 2020). Do total dos casos suspeitos, 311.922 não se confirmaram  (mais 1.064 do que no dia 13 de Junho de 2020).

Entretanto, 1.385 pessoas  (menos 131 do que no dia 13 de Junho de 2020) aguardam os resultados laboratoriais aos testes efetuados, ao mesmo tempo que 30.658 (mais 03 do que no dia 13 de Junho de 2020) estão sob vigilância pelas autoridades de saúde.

– Número total de óbitos – 1.517   (mais 05 do que no dia 13 de Junho de 2020. Os óbitos ocorreram na zona de Lisboa)

A região Norte contabiliza 17.078 casos de infeção confirmados acumulados desde o início da pandemia  (mais 12 do que no dia 13/06/2020) e 812 óbitos (sem alteração).

Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo que já atingiu 14.828 casos de infeção confirmados acumulados  (mais 206 do que a 13/06/2020, concentrando 91 por cento dos casos registados em Portugal) e 427 mortes (mais 05 do que a 13/06/2020).

A região Centro tem 3.874 casos de infeção confirmados acumulados (mais 06 do que no dia 13/06/2020) e 246 falecimentos (sem alteração).

O Alentejo conta, agora, com 282 casos de infeção acumulados (mais 01 do que no dia 13/06/2020) e 02 óbitos (sem alteração).

A Região dos Açores continua a registar 143 casos de infeção acumulados e 15 óbitos. Sem alterações.

Já a Madeira mantém 90 casos de infeção acumulados, desde 07/05/2020, e nenhum óbito até ao momento.

ALGARVE

Direção-Geral da Saúde já confirma 395 casos de infeção acumulados nesta região

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, neste domingo, dia 14 de Junho de 2020, indica um total de 395 casos de infeção confirmados acumulados no Algarve. É o mesmo número apontado pela Autoridade de Saúde Regional no dia 12 de Junho de 2020, ao fazer o habitual ponto de situação semanal, como tem referido o Litoralgarve. 

15 óbitos no Algarve – indica a Direção-Geral da Saúde;

17 falecimentos – confirma a Autoridade de Saúde Regional

Já no tocante a óbitos, a Direção-Geral da Saúde mantém, no dia 14 de Junho de 2020, um total de 15 no Algarve desde o início da pandemia. A Autoridade de Saúde Regional, desde as 00h00 de 12/06/2020, recorde-se, indica 17 mortes.

Além do cidadão sexagenário, de nacionalidade espanhola, recentemente falecido no Hospital de Portimão, vítima de um AVC, após ter estado internado com vários problemas de saúde, entre os quais Covid-19, como o Litoralgarve revelou, juntou-se outra vítima mortal (a 17ª. no relatório da Autoridade de Saúde Regional do Algarve). Trata-se, segundo apurou o Litoralgarve, de uma senhora já idosa que morreu, há dias, em Portimão, onde tinha segunda habitação (a primeira era em Lisboa), sem apresentar sintomas do novo coronavírus. A situação foi detetada através da autópsia. Tudo aconteceu quando uma outra senhora, em Portimão, acusou positivo ao teste de Covid-19 e ao ser investigada a possível fonte de contágio, as autoridades de saúde ficaram a saber que tinha trabalhado na casa dessa idosa que veio a falecer. A autópsia acabou por esclarecer a situação, de acordo com informações recolhidas pelo Litoralgarve. 

Os óbitos conhecidos no Algarve são:

– 3 em Portimão

  As vítimas mais recentes da Covid-19, recorde-se, são um cidadão sexagenário, de nacionalidade espanhola, que residia neste concelho do barlavento algarvio, e uma senhora idosa, portuguesa, que tinha em Portimão segunda habitação. Acabou por falecer nesta cidade. Residia habitualmente em Lisboa.

 – 1 em Quarteira, no concelho de Loulé

–  5 em Boliqueime, no concelho de Loulé

 – 1 no concelho de São Brás de Alportel

–  2 em Vila Real de Santo António

 – 2 no concelho de Albufeira

–  2 no concelho de Lagoa

Concelhos de Loulé e Albufeira são os que têm mais pessoas recuperadas no Algarve

Casos de recuperação conhecidos:

– 78 no concelho de Loulé

– 69 no concelho de Albufeira

– 48 no concelho de Faro

– 36 no concelho de Portimão, indica a Câmara Municipal

 -26 no concelho de Tavira

– 15 no concelho de Vila Real de Santo António

16 no concelho de Silves

– 13 no concelho de Olhão

– 07 no concelho de Lagoa

– 04 em Lagos

– 02 no concelho de Castro Marim

– 01 no concelho de Monchique

– 02 no concelho de São Brás de Alportel

Continuam a aumentar casos de infeção na região

O número total de casos de infeção confirmados acumulados no concelho de Loulé, desde o início desta pandemia, ascende a 102, segundo informações recolhidas, sendo o mais elevado a nível do Algarve. Já o concelho de Albufeira contabiliza 81 casos. Faro (58), Tavira (34) e Silves (20) surgem nas posições seguintes, enquanto que Vila Real de Santo António tem 17 casos de infeção confirmados (acumulados), Olhão 14 e o concelho de Lagoa 11. O concelho de Portimão já conta com 11 casos de infeção ativos confirmados, refere a Câmara Municipal.

Por seu turno, o concelho de Castro Marim, segundo a autarquia, tem recuperados os 02 casos de infeção que se registavam no concelho. Já a Direção-Geral da Saúde aponta 03 casos de infeção neste concelho do sotavento algarvio. Em Lagos, também de acordo com a Direção-Geral da Saúde, existem agora 05 casos de infeção. O concelho de São Brás de Alportel apresenta 03 casos, dois deles já dados como recuperados. No concelho de Monchique também está recuperado o único caso de infeção que havia. No Algarve, apenas os concelhos de Alcoutim, Aljezur e Vila do Bispo continuam livres desta pandemia que atinge o mundo.

Recorde-se que o Boletim Epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde indica, apenas, o “total de notificações clínicas no sistema SINAVE, correspondente a 91 por cento dos casos confirmados.” E quando os casos confirmados são “inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados”. Daí poder existir discrepância entre números divulgados.

Autor: José Manuel Oliveira

PUBLICIDADE